Premiados Veja Comer & Beber 2018/2019. Crédito: Amaury Santos

Os melhores de Cuiabá!

Revista nacional premia os melhores Restaurantes, Bares e Comidinhas.

Palco_Easy-Resize.com
Crédito: Bárbara Fontes

Assim como foi no ano passado, Cuiabá abriu a temporada de premiações da maior revista de gastronomia do Brasil:  revista Veja Comer & Beber 2018/2019. Divididos em três grupos – Comidinhas, Bares e Restaurantes – foram 20 categorias contempladas: Comidinhas: O melhor baguncinha; A melhor doceria; O melhor hambúrguer; A melhor padaria; O melhor salgado; e o melhor sorvete. Bares: O melhor boteco; A melhor caipirinha; A melhor cozinha de bar; A melhor música ao vivo; e o melhor bar para ir a dois. Restaurantes: O melhor chef do ano; A melhor carne; O melhor brasileiro/regional; O melhor japonês; A melhor peixaria; A melhor pizzaria; A melhor receita de bacalhau; O melhor variado/contemporâneo; e O melhor da Chapada dos Guimarães.

Os vencedores de cada categoria foram conhecidos durante a cerimônia de premiação,  uma festa linda que Cuiabá mereceu! Os premiados podem ser conferidos na edição de maio da revista (está como encarte na revista Veja desta semana). A publicação faz um mapeamento do que há de melhor na gastronomia local.

Bárbara Fontes (de costas) entrevistando Mônica Santos, editora da revista VEJA Comer & Beber! Crédito: Pau E Prosa
Olha eu (de costas) entrevistando Mônica Santos, editora da revista VEJA Comer & Beber! Crédito: Pau E Prosa

O Blog da Bárbara Fontes conversou com Mônica Santos, uma das editoras da revista  Veja Comer & Beber e coordenadora/editora da edição de Cuiabá:

Blog da Bárbara Fontes: Mônica, vinte e dois anos de Veja Comer & Beber no Brasil, e dois anos em Cuiabá. O que representa para uma revista nacional, esse olhar para Mato Grosso?

Mônica Santos: A gente estreou aqui no ano passado e voltamos para reafirmar uma constatação que nos trouxe aqui no ano passado: tem uma cena gastronômica muito boa na região. Cuiabá é uma cidade de passagem para turistas, e de forte interesse no agronegócio, que traz muito gente pra cá o ano inteiro. E a gente está mostrando o que Cuiabá tem de bacana.

Blog da Bárbara Fontes: E essa sensibilidade de olhar para o nosso baguncinha?

Mônica Santos: A gente sempre procura em todas as cidades não olhar apenas para a alta gastronomia. A gastronomia fala da cultura de um lugar e ela não está só nos restaurantes mais caros ou mais estrelados. A gastronomia está no nosso arroz e feijão de todo dia, também. O baguncinha é uma expressão só daqui. Não tem baguncinha em lugar nenhum, então, a gente achou curioso e a gente percebeu que é uma coisa muito afetiva. A gente achou bacana fazer menção.

Blog da Bárbara Fontes: Em relação às premiações, Cuiabá é a primeira cidade a receber o prêmio em 2018?

Mônica Santos: Cuiabá está estreando de novo! Ela está abrindo a série, que são 13 no total. Em 17 de maio será em Brasília. Em São Paulo, a premiação ocorre em setembro.

Blog da Bárbara Fontes: Como foi em Cuiabá o processo de selecionar os estabelecimentos, a revista fez as visitas?

Mônica Santos: Não. A gente só tem duas redações próprias: Veja Rio e Veja São Paulo. Fora dessas duas cidades, gente monta um juri local, cuja característica é a diversidade, a gente tenta de colocar pessoas de diferentes perfis, profissões, e que morem em diferentes bairros para ser uma coisa bem equilibrada. E a gente sempre renova esse juri. Mas um jurado só nunca define um campeão. Para você ter uma ideia, Cuiabá tem 20 categorias, cada jurado tem três votos em cada categoria, ou seja, a gente recebe um total de 600 votos. E aí, tabula tudo isso. A votação iniciou no início de fevereiro.

Juri Cuiabano

Um juri composto de 27 moradores de Cuiabá (artistas, esportistas, profissionais da comunicação e do cinema, professores de Gastronomia; servidores públicos e profissionais liberais ) elegeram os melhores Bares, Restaurante e Comidinhas e mantendo tudo em segredo. Pelo menos, 80% das pessoas que participaram da votação, eu conheço, inclusive, alguns são meus amigos de conversas diárias – e ninguém falou que fazia parte do júri da revista. Realmente foi um segredo muito bem guardado! O júri só foi revelado durante a festa de premiação. Eu só soube, na festa, que minhas amiga Keiko Okamura, produtora cultural, e Ruth Albernaz, artista visual, faziam parte do juri. Na verdade, nem elas sabia quais eram os outros jurados (Keiko descobriu lendo a relação na revista que foi entregue após a premiação).

COMIDINHAS – JURADOS

Ana Rafaela (cantora); Carlos Carvalho (advogado); David Moura (judoca); Fabrício Carvalho (maestro); Julia Graminho (jornalista), Justino Aguiar (o Lau, da dupla Nico & Lau); Maínna Figueiredo (jornalista); Marcus Paulo Valentin (publicitário) e Steffani Loryn (nutricionista).

BARES – JURADOS

Anamaria Bianchini (colunista social); Anderson Luiz Sartori (servidor público); Bruno Bini (cineasta); Camila Piacenti (apresentadora); Celso Dorileo (advogado); Keiko Okamura (produtora cultural); Marcus Paulo Valentin (publicitário); Mário Medeiros Neto (advogado) e Soraya Medeiros (jornalista).

RESTAURANTES – JURADOS

Flávio Ferreira (diretor de teatro); Izabel Coutinho (jornalista); João Carlos Caldeira (professor de Gastronomia); José Augusto Filho (jornalista); Luiz Evaristo Volpato (presidente do Conselho Regional de Odontologia); Ramon Carlini (editor de livros); Rita Comini (jornalista); Ruth Albernaz (artista visual); Valda Dias (Coordenadora de curso de Gastronomia) e Zildinete de Arruda (analista técnica do Senac/MT).

Segundo a revista, os jurados escolheram, em ordem decrescente, os três melhores em cada uma das categorias definidas pela redação. De posse de todos os rankings dos jurados nas respectivas categorias, a redação atribuiu pontos a cada posição: o primeiro colocado recebeu 5 pontos; o segundo, dois pontos; e o terceiro, 1 ponto. A soma deles determinou os três primeiros lugares. Para eliminar os empates, foram adotadas três soluções, onde o critério inicial foi o número de menções na tabela do júri: ficou à frente o nome lembrado por mais gente. Se o empate permanecesse, levou-se em conta a posição na tabela – ou seja, o número de vezes em que o local ficou em primeiro, segundo ou terceiro lugar. Ao se manter ainda o empate, a equipe de VEJA, apoiada em avaliações in loco, aplicou o voto de minerva.

A Revista

revista Veja Comer & Beber Cuiabá
Crédito: Bárbara Fontes

Com 22 anos de existência, a revista Veja Comer & Beber premia bares, restaurantes e comidinhas de algumas capitais brasileiras. A capital de Mato Grosso, que sempre é vista como uma cidade hospitaleira, também, mostra que possui uma gastronomia de primeira – como a Maria Izabel, a farofa de Banana e as peixadas, à comida contemporânea assinada por chefs renomados, dignos de estrelas Michelin.

Muito além de uma premiação, a revista abre uma importante porta de divulgação, que por meio da gastronomia, promove a difusão do turismo e o aquecimento da economia local – algo muito bem vindo nesses tempos difíceis. O prêmio traz autoestima para a população que se vê contemplada por uma revista nacional que há mais de 20 anos está no mercado. É um orgulho para qualquer cuiabano (nascido ou adotado) ter entre os premiados, ícones da nossa culinária, como a dona Eulália. É um momento especial em que Cuiabá está em evidência no país por meio da sua gastronomia.

O Melhor Baguncinha – Prêmio Inédito no Brasil

Baguncinha_BelattoLanches_Easy-Resize.com
Reprodução/Revista Veja Comer & Beber 2018/2019

As pessoas que estiveram em Cuiabá nos últimos anos, devem ter ouvido, pelo menos uma vez na vida, o nome BAGUNCINHA. É o lanche típico da cidade. Sensível à identidade cultural local, a revista Veja Comer & Beber inseriu o baguncinha entre as categorias do prêmio. Só quem vive em Cuiabá (e também em Várzea Grande) sabe o poder cultural que esse lanche tem. Há duas décadas atrás, eu fiz parte da equipe de Assessoria de Comunicação que promoveu a inauguração do primeiro fast food instalado em Cuiabá, e para a surpresa de todos, presenciamos uma onda de protestos contra o restaurante estadunidense e em prol do baguncinha, que na época, custava apenas 1 real e era muito delicioso. Lembro bem da orientação que recebemos para não contestar e respeitar esse momento de forte identidade cultural local (apesar de que o baguncinha é um derivado do lanche de hambúrguer, popularizado mundialmente graças à rede de fast food que estava chegando em Cuiabá. Ironias da vida!). Naquela época, se pensava que uma gigante mundial fosse destruir um produto local (era bem no momento caloroso da discussão “globalização x local”). Décadas se passaram e, atualmente, Cuiabá tem quatro marcas (globalizadas) de fast food, e centenas trailers de baguncinha, todos harmonicamente instalados.

O tempo mostrou que Cuiabá merecia crescer, receber novas empresas, porém, sem descaracterizar a sua identidade cultural. Cuiabá nasceu cosmopolita: a primeira povoação era composta por gente de todo canto do Brasil, assim como muitos estrangeiros. A primeira padaria da cidade pertencia a uma família italiana. Os cuiabanos devem ter bons olhos para o ‘novo’ (que vem para agregar, gerar emprego e renda), e sempre cobrar das autoridades locais a conservação de sua história e cultura.  O Blog da Bárbara Fontes deseja que a premiação realizada em Cuiabá seja uma injeção de ânimo para a cidade e que inspire políticas públicas para o turismo que contemplem a nossa gastronomia. A comida agrega pessoas e une culturas.

Os premiados da revista Veja Comer & Beber 2018/2019

Comidinha_Easy-Resize.com
Crédito: Bárbara Fontes

O Blog da Bárbara Fontes esteve na cerimônia de premiação. Foi um evento bonito, com comidinhas e bebidas deliciosas, e com muitos mimos para os convidados. O blog agradece a Pau & Prosa, que fez a Assessoria de Imprensa, pelo envio dos materiais solicitados e fotos. A foto de capa desta matéria foi tirada pelo fotógrafo Amaury Santos. Confira os premiados:

 

COMIDINHAS

BelattoLanches_Easy-Resize.com
Crédito: Bárbara Fontes

Sem dúvida, a premiação mais aguardada da noite foi o de O melhor Baguncinha. O prêmio foi entregue à Belatto Lanches, por uma dupla muito querida da cidade: José Didier Provenzano (Xomano que mora logo Ali) e Anderson (K-bça Pensante) para o Belatto Lanches. Os humoristas também entregaram o prêmio de A melhor doceria para a tradicional Baba de Moça. Camila Fraga e Cleber Clemente entregaram os prêmios de O melhor hambúrguer para Rock Burger, e a de melhor padaria para Sorella.

Amaury Santos_donaEulalia_premio
Dona Eulália com o fotógrafo Amaury Santos – idealizador da exposição fotográfica “Cuiabá de Eulália”.

 

 

Será que alguém tinha dúvidas de que o prêmio de melhor salgado seria dado à dona Eulália e Família? Dona Eulália faz parte do patrimônio cultural de Cuiabá, e recebeu o prêmio das mãos da nossa Miss Mato Grosso, Caroline Backma, e de Marcus Paulo, do blog “Experimentando por aí”. A dupla, também, entregou o prêmio para Matteo Gelato Criativo, eleito o melhor sorvete da cidade.

 

BARES

O grande vencedor da noite foi o famoso Bar do Jarbas, com três prêmios recebidos: Melhor Boteco (entregue pelo colunista social Fernando Baracat e pela empresária Mara Delcanale); Melhor Caipirinha; e a de Melhor Cozinha de Bar (os dois prêmios foram entregues pela apresentadora Camila Della Valle).

Na categoria o Melhor Para Ir a Dois, o vencedor foi Fundo de Quintal. O prêmio, também, foi entregue pelo colunista social Fernando Baracat e pela empresária Mara Delcanale. O cantor Raul Fortes entregou o prêmio para o Mundaréo, a de Melhor Música ao Vivo.

 

RESTAURANTES

A disputa foi acirradíssima! Cuiabá tem excelentes restaurantes para todos os gostos e bolsos. Antônio Galvan, presidente Aprosoja, e Emily Giglio, Diretora da Casa Cor, entregaram os prêmios de a melhor carne para Uruguayo Parrilla; e a de melhor brasileiro/regional para o lendário Regionalíssimo. O melhor japonês foi para Haru Oriental, prêmio entregue pela dupla Lucas de Senna (reporte do Globo Esporte MT) e Diana Bispo (Gerente Regional Santander). Eles também entregaram o prêmio de a melhor receita de bacalhau para outro lendário restaurante: Taberna Portuguesa. A colunista social Anamaria Biachini entregou os prêmios:  a melhor peixaria (Lélis), e a melhor pizzaria (Gato Mia). O melhor da Chapada dos Guimarães foi o Atmã, prêmio entregue pela apresentadora Fernanda Arantes, e por João Carlos Caldeira, professor de Gastronomia.

O melhor Variado/Contemporâneo, disputado pelos excelentes restaurantes Mahalo, Flor Negra, e Seu Majó  – que, na minha opinião, merecem estrelas Michelin!. O grande vencedor foi o Mahalo – o primeiro restaurante a ter uma cozinha experimental onde as pessoas podiam visitar e fazer cursos diversos. Também introduziu pratos executivos com preços acessíveis. Mahalo é um restaurante tão bonito, que a gente fica sem vontade de ir embora!

Melhor Chef do Ano

ArianiMalouf_premio_Easy-Resize.com
Mônica Santos com Ariani Malouf. Crédito: Pau E Prosa.

Acredito que o júri deve ter tido muito trabalho para escolher o Melhor Chef do Ano. Os três finalistas foram: Ariani Malouf (Mahalo); Carol Manhozo (Flor Negra); e Hugo Rodas (Seu Majó). A vencedora, pelo segundo ano consecutivo, foi Ariani Malouf. A chef cuiabana sempre buscou a se superar  e trazer inovações para o Mahalo. É formada pela escola francesa de gastronomia Le Cordon Bleu, e sempre aparece nas edições do Masterchef Brasil, como chef convidada.

O prêmio Empreendedor, oferecido pelo Santander, foi entregue pelo Superintendente Regional, Wilson Silveira Jr, para o casal Adriana Costa e Antonio Checchin (Leivinha), proprietários do restaurante Atmã (Chapada dos Guimarães).

2º Festival gastronômico

O evento será realizado em 19 restaurantes da capital e dois da Chapada dos Guimarães entre os dias 28 de abril e 27 de maio. Nesse período, todos eles vão oferecer um menu exclusivo a preço especial: no almoço, o menu custará R$49,90 e no jantar, R$ 59,90.

Desafio do Blog

Depois dessa matéria ficou a vontade de visitar todos os estabelecimentos premiados desta segunda edição da revista VEJA Comer & Beber. O Blog da Bárbara Fontes vai  começar, claro, com o Melhor Baguncinha. Aguarde!!!

Saiba mais:

Os endereços dos estabelecimentos podem ser conferidos na revista VEJA Comer & Beber Cuiabá.

Para conhecer os premiados da primeira edição do prêmio em Cuiabá, realizada em 2017, acesse aqui.

 

Anúncios

Publicado por

barbarafontes

Bárbara Fontes é formada em Comunicação Social pela UFMT. Especialista em Educação (Cinema e Educação). É cineasta, jornalista, roteirista, fotógrafa e poetisa. Seu primeiro trabalho em Assessoria de Comunicação foi em 1995. Iniciou no Cinema/Audiovisual/TV em 1994. Passou temporadas em vários países como Uruguai, Argentina, Bolívia, Panamá. Morou em Estocolmo, capital da Suécia, entre os anos de 2000 a 2002. Sua primeira entrevista para a televisão foi aos 12 anos, no programa de variedades, Vitrine, da TV Centro América. Aos 13 anos, escreveu seu primeiro artigo, publicado no jornal impresso, Correio Várzea-grandense. Desde que se conhece por gente, escreveu histórias, composições musicais, roteiros e poemas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s