Infame

Tempo nunca haverá
Para aquela que morre aos poucos
Porque acreditou que um marido bastaria
Para lhe dar o que comer
O que vestir
O que dizer
O que sentir

 

Tempo nunca haverá
Para mulher, aquela
Que jaz na sepultura do silêncio
Não basta mais um marido
Que lhe dava o que comer
Ja não veste
Desdiz
E não senti.

(Bárbara Fontes in Projeto de Poetisa. Chapada dos Guimarães/MT, 30.06.19)

Foto: obra da artista plástica, Nívea Castro)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s