Ciência

Dia Nacional da Ciência e o Dia Nacional do Pesquisador são comemorados nesta semana

 

O dia 8 de julho (segunda-feira) é um dia dedicado à Ciência brasileira. Celebra os 71 anos de fundação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que contou com a participação de 60 cientistas reunidos na Associação Paulista de Medicina, em São Paulo, liderados pelo médico e farmacologista Maurício Rocha e Silva; pelo médico e jornalista José Reis; e pelo biólogo Paulo Sawaya. A recém-criada sociedade (após a Segunda Guerra Mundial) tinha o objetivo de dar força e representatividade à comunidade científica. Foi o primeiro passo para uma história rica em pesquisas, experimentos e descobertas que permitiram a evolução da Ciência no país.

 

banner71SBPC

 

Atualmente a SBPC conta com 142 sociedades científicas afiliadas e mais de cinco mil sócios, compostos por pesquisadores, docentes, estudantes e cidadãos brasileiros. Sua sede fica em São Paulo, porém, está presente em todo país por meio de suas Secretarias Regionais e todos os anos acontece a Reunião Anual e Regional em quase todos os estados brasileiros. A sociedade científica também conseguiu aprovar no Congresso Nacional duas datas importantes para a promoção da Ciência brasileira: o Dia Nacional da Ciência (Lei nº 10.221, de 18 de abril de 2001), e o Dia do Pesquisador (Lei nº 11.807, de 13 de novembro de 2018).

 

 

 

Seciteci em prol da Ciência em Mato Grosso

O dia 8 de julho também foi celebrado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), responsável por criar políticas públicas para a área. Segundo Nilton Borgato, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação,

a data tem o objetivo de chamar a atenção da população para a importância da produção científica, estimular o gosto dos jovens pela ciência e para o desenvolvimento sustentável do país”.

 

 

A superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação da Seciteci, Lecticia Figueiredo afirma que,

Muitos estudantes das séries finais do Ensino Fundamental e Médio são estimulados e orientados a desenvolver projetos que são apresentados e premiados em feiras de ciências nacionais e internacionais. Estes projetos são oriundos de vários estados do Brasil e ganham visibilidade por meio da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) entre outras. Com isso, não só atestam a capacidade inovadoras dos nossos jovens autores, em busca de soluções para problemas reais e práticos das regiões onde habitam, como também surpreendem pela seriedade e competência com que foram desenvolvidas”.

 

 

DiaCiência_foto_JuniorSilgueiro_SeducMT
Crédito: Junior Silgueiro/Seduc-MT

 

 

Lecticia faz uma observação importante: o Brasil conta com grandes cientistas em diversas áreas que obtiveram reconhecimento mundial como Cesare Mansueto Giulio Lattes, mais conhecido como César Lattes, um físico brasileiro, codescobridor do méson pi, descoberta que levou o Prêmio Nobel de Física de 1950, concedido a Cecil Frank Powell. Lattes foi fundamental para o desenvolvimento da física atômica. Ele também foi um grande líder científico brasileiro e uma das principais personalidades por trás da criação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os brasileiros Oswaldo Cruz, médico sanitarista, e Alberto Santos Dumont, inventor do 14-Bis também colaboraram com os avanços da ciência mundial.

 

 

*Esta matéria do Blog da Bárbara Fontes também tem informações da SBPC, e da assessoria de imprensa da Seciteci (Soraya Medeiros).

 

 

Saiba mais no Blog da Bárbara Fontes:

Escolas Técnicas Estaduais – Calendário 2019, acesse aqui.

Bárbara Pergunta: Joaci Silva (Seciteci), acesse aqui.

Anúncios

Publicado por

barbarafontes

Bárbara Fontes é formada em Comunicação Social pela UFMT. Especialista em Educação (Cinema e Educação). É cineasta, jornalista, roteirista, fotógrafa e poetisa. Seu primeiro trabalho em Assessoria de Comunicação foi em 1995. Iniciou no Cinema/Audiovisual/TV em 1994. Passou temporadas em vários países como Uruguai, Argentina, Bolívia, Panamá. Morou em Estocolmo, capital da Suécia, entre os anos de 2000 a 2002. Sua primeira entrevista para a televisão foi aos 12 anos, no programa de variedades, Vitrine, da TV Centro América. Aos 13 anos, escreveu seu primeiro artigo, publicado no jornal impresso, Correio Várzea-grandense. Desde que se conhece por gente, escreveu histórias, composições musicais, roteiros e poemas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s