Gastronomia

Festival do Chocolate de Mato Grosso, o maior e mais delicioso do Centro-Oeste acontece nesta sexta-feira em Cuiabá

 

 

“Chocolate! Chocolate! Chocolate!
Eu só quero chocolate
Só quero chocolate
Não adianta vir com guaraná pra mim
É chocolate
O que eu quero beber”

 

 

close up photography of cocoa powder
Foto por Delphine Hourlay.

Assim já dizia o poeta Tim Maia que imortalizou em forma de música, uma das melhores invenções gastronômicas do mundo. Quem diria que da semente do cacau, planta nativa do continente americano, surgiria uma bebida forte e afrodisíaca (xocoatl) feita pelos indígenas do período pré-colombiano. O Chocolate que conhecemos hoje, passou por muitas transformações e além de ser um bálsamo nos dias de TPM (Tensão Pré-Menstrual), também se encontra em pratos salgados e até na indústria cosmética. Com chocolate não tem tempo ruim porque é bom em todas as estações do ano.

 

Cuiabá também se rendeu às benesses do chocolate e há quatro anos sedia o Festival do Chocolate, que vai acontecer entre os dias 26, 27 e 28 de julho, no Sesi Papa, no bairro Morada do Ouro. O evento reúne as tradicionais empresas de doces da capital, além de salgados, comidas saudáveis, artesanato, moda, plantas naturais, divulgação de projetos sociais e oficinas gratuitas. São cerca de 160 expositores e há uma estimativa de um público de 40 mil pessoas. A entrada é gratuita.

 

Cuiabá 300 anos

O festival deste ano tem como tema, o tricentenário da capital de Mato Grosso, celebrado em 8 de abril. Além da decoração alegre e festiva, também vai realizar um concurso de bolo cenográfico, uma das novidades da quarta edição. “A proposta é revelar a criatividade dos apaixonados por confeitaria”, explica Zilda Castanho, idealizadora e organizadora do Festival do Chocolate. Zilda é uma expert no assunto e já participou de vários eventos pelo país, como o Festival de Chocolate e Cacau de Ilhéus.

 

 

 

WhatsApp Image 2019-07-09 at 3.38.18 PM
Zilda Castanho no Festival de Chocolate e Cacau de Ilhéus (acervo pessoal)

 

“A configuração do Festival baiano é diferente do nosso, até mesmo porquê a região é famosa pela produção de chocolate, reunindo também produtos da agricultura familiar, feitos por cooperativas, associações e assentamentos. No entanto, temos em comum essa vocação de criar ambiente propício para divulgação e comercialização dos produtos e serviços de empresas de todos os portes, especialmente o empreendedor individual, a confeiteira, a artesã, o cozinheiro”.

 

 

 

Empreendedorismo  

A empresária do segmento de chocolates, Fabiane Louly, que participa desde a primeira edição do Festival, comenta que a Louly Chocolates está preparando sabores exclusivos para esta edição. Desde a segunda edição do evento, porém no segmento de comidas salgadas, Janildo da Divina Batata explica que em quatro anos de história a marca já desenvolveu 15 sabores, processando mais de 1 tonelada de batatas por mês. “Estamos testando novas receitas para o Festival. No ano passado levamos o Gellato de batata doce e foi um sucesso”, comemora.

A empresária Anna Carolina L Barbosa Colombo, da Sannta Doçura, que atua com doces para festas e casamentos, pontua que uma das características do Festival do Chocolate é a afetividade: “Empresas familiares ficam ainda mais unidas pois todos se envolvem no feitio do produto, colocam a mão na massa, até a comercialização nos dias do evento, que atrai meu público alvo. Ele restaurou o meu negócio e a minha família, veio para mudar a nossa história”.

Já Mariana Prata Aguiar, da Quitandas da Vó Rita, comenta que é a sua primeira participação no evento e está ansiosa para servir as petas feitas artesanalmente com polvilho doce em seis sabores como tradicional; cebola, alho e salsa; pimenta; queijo; multigrãos e beterraba.

 

Artesanato e Moda

O Festival do Chocolate abre espaço para o artesanato, a moda, tendências. Assim, diversas artesãs, empreendedoras e apaixonadas pelo acabamento perfeito, linhas e tecidos expõem suas peças. A artesã Célia Cardoso, das Coisinhas da Vovozinha, que atua com laços, arcos, faixas de bebês feitos artesanalmente, destaca a organização do evento. Esta é a sua terceira participação e já começou a criar peças inspiradas no Festival. “É maravilhoso, sempre que participo eu tenho retorno e para nós, artesãos, oportunidades desta natureza são importantes pois incrementam nosso negócio. A minha expectativa é muito grande, tenho certeza de que será ainda melhor”.

 

A empreendedora Loureana Alves Silva, da Inovary Acessórios, conta que lançou a moda afro em acessórios no Festival do ano passado e percebeu que os clientes conquistados na ocasião continuaram.  A expectativa também motiva Cristina Ribeiro que atua com cintas modeladoras, que apesar de cinco anos atuando no segmento, há dois anos passou a fabricar seu produto e agora comercializa suas peças não só no ambiente virtual, reconhecendo o Festival como uma excelente oportunidade de divulgação.

Pela primeira vez no Festival, Marcia Rodrigues aposta na moda com temática cristã para conquistar o público. “Com inovação, diferenciação e excelência em qualidade, as peças se destacam também em beleza”, acrescenta. Também pela primeira vez no Festival, Pamela Melo de Castro, da Sal Rosa moda fitness, vai levar o conceito de conforto em vestuário para a prática de atividades físicas: “Para mim o Festival traz um público engajado nas redes sociais e o evento é uma oportunidade de fazer negócios. Comecei como sacoleira, trabalhando também em outras empresas de eventos, resolvi abrir meu próprio negócio e estou com uma ótima expectativa sobre o Festival”.

 

Um festival que faz o Bem

Desde a sua primeira edição, o evento abre espaço para entidades beneficentes e filantrópicas no sentido de contribuir com a responsabilidade social:

As entidades são convidadas a participar, sem qualquer custo, justamente para otimizar a comercialização de seus produtos, além claro, de divulgar as iniciativas que fazem a diferença em nossa cidade e transformam realidades”. (Zilda Castanho)

bazar

 

Neste ano, participam a Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer de Mato Grosso, Amor em Retalhos, Luxo sem Lixo, Apam, Lions Clube Cuiabá Norte, Pastoral Familiar São João Paulo II, Clichês na rua e projeto Verde Novo.

 

 

Sempre presente no festival, a Rede Feminina está com o Bazar do Bem, em que comercializa roupas e sapatos recebidos em doação. Criada em 1989, a entidade filantrópica surgiu do sonho de um grupo de mulheres com intuito de prestar atendimento e assistência social aos pacientes carentes com diagnóstico de câncer. A presidente da Rede Feminina, Maria Carmen Palma Faria Volpato, destaca que a participação no Festival é essencial pois o valor arrecadado contribui para aquisição de medicamentos e próteses destinados aos pacientes oncológicos, bem como o auxílio na realização de exames.

O projeto Amor em Retalhos participa pelo segundo ano do Festival e prepara diversos produtos como jogos americanos, capa de galão de água, toalhas de lavabo, difusores, velas, caminhos de mesa, sacolinhas para carro, toalhas de banho, toalhas para cabeça, guardanapos, sousplat, capa de sousplat, nécessaire. Amor em Retalhos é um ateliê com peças feitas por voluntários, cujo objetivo é ajudar as obras sociais Irmão Áureo, que atendem famílias em vulnerabilidade social no bairro Santa Laura, em Cuiabá. Isolda Risso, empresária e coordenadora do ateliê, comenta que o Festival foi um marco decisivo na história do projeto. “A partir do Festival, o Amor em Retalhos ampliou seu espaço físico, montou a loja para atender a demanda que veio depois da nossa participação”, comentou.

Também pelo segundo ano consecutivo participando do Festival, o projeto Luxo sem Lixo, originário do espaço Nassar (que remete às iniciais das palavras Natureza, Amor, Saber, Simplicidade, Amizade e Realização), nasceu a partir de uma doação de sobras de material de cortinas. A iniciativa estimula a economia criativa, reunindo costureiras da região do Coophema, que recebem uma porcentagem do valor pela produção. Assim, utilizando outros tecidos e materiais incorporados à doação recebida, diversos produtos foram confeccionados, como mochilas, bolsas, porta-moeda, avental, lixeirinha de carro. “Temos cinco costureiros e costureiras, entre eles um de 17 anos, um meio de incentivar a criatividade, descobrir novos talentos, e ainda motivar a arte da costura independente da idade”, comentou Ju Manfredini.

Também participa do evento, a Associação Matogrossense Protetora dos Animais (Apam), criada em 1996 e que a partir de 2006 teve uma alavancada em suas ações por conta da adesão de membros protetores, de padrinhos e eleição de uma nova diretoria. A Associação possui um abrigo, ainda sem sede própria, para cerca de 60 cães e gatos. “Realizamos o Bazar mensalmente no bairro Pedra 90, normalmente no segundo domingo do mês, fazemos rifas venda de almoço, calendário e camisetas. Desde 2017 participamos do Festival com o Bazar e o valor arrecadado é muito importante para nossas ações”, explicou Valéria Cerisara.

Realizado no Sesi Papa, o Festival do Chocolate 2019 vai contar com a participação da Comunidade Memorial São João Paulo II. A coordenadora da Pastoral Familiar, Susi Aparecida Inoui explica que o milho e seus derivados, como pamonha, bolos e curau, são os protagonistas do estande, sendo a renda revertida para a ampliação da capela São João Paulo II. “É a nossa primeira participação no Festival, estamos felizes pela oportunidade e ansiosos para receber o público aqui no Memorial, um espaço tão significativo em nossa cidade. O Papa João Paulo II visitou Cuiabá em 16 de outubro de 1991 e celebrou missa campal às 11 horas no espaço onde hoje há uma praça de oração com uma cruz no centro”, acrescentou Susi.

O projeto Clichês Na Rua vai levar sua arte para o Festival do Chocolate. Para Talissa Briante, fundadora da iniciativa com Thiago Azevedo, somos vários corações pulsando e almejando por uma mesma coisa: “Transformar o mundo, o mundo de uma pessoa, através do Amor. Assim, o Clichês Na Rua é um movimento e uma marca social, com a missão de fazer uma diferença significativa na vida de cada pessoa que passa por nós”, pontua ela. Talissa conta que o Clichês Na Rua realiza três tipos de trabalhos: impacto social nas ruas, em que são colados arte de rua (lambe-lambe) com frases de amor, positividade e encorajamento, em postes e muros abandonados, com autorização do poder público; produção e comercialização de produtos como camisetas, canecas, pôsteres e adesivos e doações, em que a cada venda, uma parte do valor é doado para comunidades e investido no impacto social. No Festival, a ideia é comercializar os produtos e causar um impacto social por meio das mensagens.

Já o Lions Clube Cuiabá Norte, Organização não governamental de prestação de serviços voluntários e vinculado ao Lions Clubes Internacional, participa do Festival em parceria com a tradicional sorveteria Nevaska. São 50 anos de fundação, originando-se do Lions Clube de Cuiabá, o primeiro clube de Lions fundado em Mato Grosso, há mais de 60 anos na capital.

Pela primeira vez no evento, o projeto Verde Novo vai distribuir mudas de árvores de espécies tropicais ao público. Uma iniciativa do Tribunal de Justiça, da Vara Especializada do Meio Ambiente – Juizado Volante Ambiental (VEMA-JUVAM), Prefeitura de Cuiabá e a OSCIP Instituto Ação Verde, o projeto tem como objeto estruturar e conduzir ações de educação ambiental com foco na arborização de escolas públicas e privadas, área públicas e grandes espaços de Cuiabá, conscientizando a população sobre a importância das áreas verdes para as zonas urbanas, além de buscar o resgate do título de “Cidade Verde” para a capital.

 

Espaço Kid e Espaço Pet

As crianças podem e devem participar do festival, há um espaço lúdico para brincar e interagir. O evento também está de braços abertos para receber os pets, e com opções de doces específicos para animais.

 

Realização

A quarta edição do Festival do Chocolate ocorre em parceria com o Serviço Social da Industria (Sesi) e a Universidade de Cuiabá (Unic), apoio da Itaipava e Gráfica Print.

 

SERVIÇO

4º Festival de Chocolate de MT

Data: 26, 27 e 28 de julho, das 16h às 00h

Local: Sesi Papa, Av. Oátomo Canavarros, S/N, bairro Morada do Ouro, Cuiabá

Entrada gratuita

Informações: (65) 98412-9090 (Zilda Castanho) e nas redes sociais .

 

*Esta matéria também possui informações da assessoria de imprensa do Festival do Chocolate de Mato Grosso (Ana Cristina Vieira).

Anúncios

Jornalistas Que Correm (Atualizado)

Em sua quinta edição, iniciativa esportiva reúne jornalistas em parque cuiabano neste sábado (27.07)

 

 

Pautar, apurar, investigar, entrevistar, reportar, escrever, editar e publicar, essas ações técnicas fazem parte da rotina de jornalistas em todo mundo, somado a isso, sempre há um relógio que marca os minutos finais para a entrega da matéria ou reportagem – deadline, no jargão jornalístico. Ser jornalista é uma missão gratificante, porém, muito estressante porque viver todos os dias sob o imediatismo da notícia não é uma tarefa fácil e com o tempo, a mente cansa e o corpo adoece.

 

É comum imaginar que ser jornalista é viver sem rotinas burocráticas, viajar para lugares desconhecidos, escrever muito, fumar um cigarro atrás de outro e curtir a boemia noturna com outros intelectuais e artistas. Essa imagem foi fortalecida pelo cinema hollywoodiano que também disseminou a ideia do jornalista como um curioso que se mete em confusões como os repórteres Louis Lane e Tintin, ou capaz de atos heroicos como Clark Kent, o Superman, que sai às pressas no meio do expediente do jornal Planeta Diário para salvar o mundo. A verdade nua e crua é: jornalista é um ser humano de carne e osso que trabalha muito, ganha menos do que merece e adoece com muito mais facilidade por causa da vida estressante no trabalho e, geralmente sedentária na vida privada.

 

 

Sensível à essa realidade, surgiu o “Jornalistas que Correm” (JQC), liderado pelo jornalista e escritor Paulo Vieira, 50 anos, que já participou de quatro maratonas e meias-maratonas. Desde 2013, o projeto esportivo incentiva profissionais da Comunicação Social a treinarem e competirem em corridas de rua, como a São Silvestre, a maior do Brasil. A iniciativa deu tão certo e recebeu um apoio importante: a inclusão do projeto Saber Beber, programa de consumo responsável do Grupo Petrópolis. Em todos os eventos do JQC que acontecem pelo país há um treinador que orienta os participantes antes de começarem a correr (alguns caminham) em percursos de curta e média distâncias. Depois da corrida é oferecido um café da manhã e também há cerveja bem geladinha. Ao final do evento, os participantes ganham packs de cerveja Petra.

 

 

 

Jornalistas Que Correm em Cuiabá

WhatsApp Image 2019-06-25 at 6.45.02 PM
Jornalistas na terceira edição do Jornalistas Que Correm Cuiabá, no parque Tia Nair. (Assessoria)

 

Acontece neste sábado, 27 de julho, a partir das 7h, no parque Tia Nair, a quinta edição cuiabana do JQC. Desde o final de 2018, mais de 100 jornalistas residentes em Mato Grosso participaram do projeto que incentiva a prática da corrida esportiva. O sucesso do evento na capital que recentemente completou 300 anos, se deve à proposta de mostrar ao jornalista que praticar esportes é um ótimo antídoto contra o estresse, e que a vida não é só correr atrás de furos de reportagens.

 

 

 

Dani_Pacheco_Paola
Daniele Danchura, Ronaldo Pacheco e Paola Carlini. (acervo pessoal)

“Eu vi vários amigos da área de Jornalismo, da Comunicação Social morrerem jovens por problemas de saúde porque eram sedentários, não faziam nenhum tipo de exercício, levavam a vida muito boêmia. Desde 2014 eu voltei a praticar esportes. Eu abracei o projeto como uma questão pessoal, de ativismo mesmo, de fazer com que as pessoas entenderem que não é por uma questão de estética. Lógico que praticando atividade física, o seu corpo vai mudar para melhor, mas é principalmente para a saúde. Fazer atividade física é uma questão de saúde. Vivemos numa profissão que ficamos muito sentados, hoje em dia a gente fica muito sentado, tem muito estresse, muita tensão e correr é uma forma de aliviar o estresse. Correr produz a endorfina, o seu cérebro irriga mais o sangue e trabalha melhor. Então é uma maneira de você viver melhor, qualidade de vida.” (Daniele Danchura, 41 anos, jornalista e corredora)

 

 

 

A rotina de trabalho de um jornalista é bem puxada, com horas extras e plantões. No final de semana, quando é possível, a maioria quer dormir até mais tarde, portanto, correr às sete da manhã não faz parte dos planos. Também tem a questão da preguiça ou desinteresse em praticar esportes, mesmo que todos saibam que é importante para a saúde. É aí que entra o projeto Jornalistas Que Correm ao incentivar esses profissionais acordarem mais cedo não apenas para correr, também para reencontrar amigos e colocar a conversa em dia, tomar um café da manhã delicioso, tomar uma cervejinha e ainda ganhar presentes!

 

WhatsApp Image 2019-06-27 at 8.45.31 PM
No café da manhã do JQC, Celly com Laura no colo, o marido Jonison e as colegas jornalistas. (acervo pessoal)

“Eu participei do Jornalistas Que Correm no ano passado, quando estava grávida de sete meses e eu só caminhei e me senti muito bem. Depois que a Laura nasceu teve outras edições eu continuei participando porque preciso me manter ativa, fazer alguma coisa um pouco fora do universo da maternidade e também não me sentir anulada. É importante manter contato com os colegas de profissão, rever colegas e também praticar uma atividade física. O meu corpo mudou muito depois que a Laura nasceu, depois do parto. Eu aproveito esses momentos que surgem para não ficar parada. O JQC é um incentivo porque além da prática do exercício físico, também tem a parte social de rever os colegas. Eu acho isso muito importante. Tem gente que fala que não pode ir porque não dá conta de correr, mas além de mim há outros jornalistas que também só caminham. Cada um vai de acordo com a sua limitação. (Celly, 28 anos, jornalista e escritora)

 

 

4º Edição (29/07)

 

 

 

 

Bate-papo com o Blog

O Blog da Bárbara Fontes conversou com o profissional de Educação Física, Fernando Gois, treinador de corrida de rua (FG Assessoria Esportiva), responsável pelos treinamentos do projeto Jornalistas Que Correm em Cuiabá:

 

Blog da Bárbara Fontes: Antes de iniciar a corrida, você faz um treinamento. Por quê?

Fernando Gois: Chamamos de educativos de corrida. São exercícios que visam melhorar a técnica do corredor.

 

 

BBF: No parque Tia Nair qual é o percurso da corrida?

FG: O percurso foi saindo do parque e indo em direção ao Florais Itália e voltando.

 

 

BBF: Jornalistas têm uma vida profissional estressante, como podemos incentivar esses profissionais a participarem do Jornalistas Que Correm?

FG: Com esse tipo de ação onde casa o estímulo de correr com café da manhã e companheirismo demonstra-se ser uma excelente ideia. A dica para iniciar é ir com um amigo, uma turma, procurar uma Assessoria Esportiva para que o estímulo seja maior, melhorando assim o comprometimento e disciplina.

 

JQC2_Assessoria
Fernando, em primeiro plano, com a galera do JQC Cuiabá. (Assessoria)

 

 

BBF: Professor, por que o evento Jornalistas que Correm é importante?

FG: Devido à grande adesão dos participantes, tirando muitos do sedentarismo e despertando o interesse para ser uma pessoa ativa e mais saudável.

 

BBF: Eu sempre ouço: correr libera a endorfina. O que significa isso?

FG: É um importante hormônio responsável pela sensação de bem-estar, reduzindo sintomas depressivos e ansiedade.

 

                                                          &&&&&&&&&&&&&&

 

*Foto de capa: Jornalistas que participaram da 4º edição do Jornalistas Que Correm (29.06), em Cuiabá/MT. Crédito: Ícone Press (Assessoria de Imprensa do evento)

**Matéria publicada em 27/06, e atualizada em 21/07.

Esporte

Inscrições abertas para a Corrida da Advocacia e Corrida Kids, em Cuiabá (MT)

 

 Acontece no dia 25 de agosto, a partir das 6h, no aeroporto Bom Futuro, região dos condomínios Florais em Cuiabá, a VII Corrida da Advocacia. Promovido pela Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso (CAA/MT), este ano conta com uma novidade: a inclusão do percurso de 21km, além dos 5km e 10km. O evento esportivo é voltado para profissionais da área do direito, estagiários e público em geral, com premiações aos primeiros colocados de cada categoria.

Segundo o presidente da CAA/MT, Itallo Leite, a corrida tem o objetivo de integrar a comunidade e promover o bem-estar social através da atividade física:

Contamos com o apoio dos profissionais do direito e da sociedade para fazer um evento especial com a expectativa de mil inscritos. Com o novo percurso de 21 km, seremos os primeiros a realizar uma meia maratona no asfalto na Capital”. (Itallo Leite)

 

Inscrições abertas

Os corredores podem se inscrever até o dia 16 de agosto pelo site da entidade (link no final desta matéria). Advogados (as) e estagiários (as) inscritos(as) na OAB/MT pagam R$ 80,00 + taxa para 21km, e R$ 60,00 + taxa para 5Km ou 10 km. Para o público geral será R$ 100,00 + taxa a inscrição nos 21 km, e R$ 80,00 para 5km ou 10km. Atletas acima de 65 anos têm redução de 50% na taxa de inscrição sobre o valor normal. O pagamento pode ser feito por boleto ou cartão de crédito.

 

 

Corrida inclusiva

Os atletas com deficiência (ACDs) – cadeirante, deficiente visual, deficiente físico andante membro inferior e andante membro superior – podem participar dos 5km, sendo isentos do pagamento da taxa de inscrição.

As categorias são subdivididas em: público geral; advogados (as) e estagiários (as) e atletas com deficiência (ACD),  masculino e feminino.

 

 

Largada

A Corrida da Advocacia terá largada a partir das 6h.

 

Premiações

Todos os atletas inscritos que concluírem a prova ganharão medalhas e os melhores colocados gerais em suas categorias terão direito a troféus e as seguintes premiações:

Advogados (as)/Estagiários(aS)

*21km – 1º lugar: Vale-compra R$ 1.000 / 2º lugar: R$ 800 / 3º lugar: R$ 500

*10km – 1º lugar: Vale-compra R$ 800 / 2º lugar: R$ 600 / 3º lugar: R$ 400

*5km – 1º lugar: Vale-compra R$ 600 / 2º lugar: R$ 400 / 3º lugar: R$ 300

 

Público Geral (Fem/Masc)

*21km – 1º lugar: R$ 800 / 2º lugar: R$ 500 / 3º lugar: R$ 300

*10km – 1º lugar: R$ 500 / 2º lugar: R$ 300 / 3º lugar: R$ 200

*5km – 1º lugar: R$ 300 / 2º lugar: R$ 200 / 3º lugar: R$ 100

Atlestas com Deficiência (ACDs)

*ACD – Cadeirante (Fem/Masc) – 5km – R$ 100

*ACD – Visual (Fem/Masc) – 5km – R$ 100

*ACD – Andante Membro Inferior (Fem/Masc) – 5km – R$ 100

*ACD  – Andante Membro Superior (Fem/Masc) – 5km – R$ 100

A VII Corrida da Advocacia premiará ainda os melhores tempos por faixa etária tanto na categoria advogados(as)/estagiários(as) quanto público geral.

 

Crianças Que Correm

Este ano também acontece a IV Corrida da Advocacia Kids, para crianças entre dois e 12 anos. As inscrições estão abertas e o valor é de R$ 50,00 + taxa,  pago via boleto ou cartão de crédito. Vagas limitadas.  A corrida será dia 24 de agosto, às 16h, no campo da Associação dos Advogados, no bairro Despraiado, em Cuiabá. Todas as crianças inscritas ganharão camiseta, número de peito e medalha de participação.

A prova contempla distâncias distintas, conforme as faixas etárias:

*2 a 4 anos de idade – 40 metros

*5 e 6 anos de idade – 100 metros

*7 e 8 anos de idade – 150 metros

*9 e 10 anos de idade – 200 metros

*11 e 12 anos de idade – 300 metros

 

Realização

A organização é do Ultramacho e conta com o apoio da OAB Mato Grosso, da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob), da Polícia Militar e do Batalhão de Trânsito.

 

SERVIÇO

VII Corrida da Advocacia

Data: 25 de agosto (domingo)

Horário: a partir das 6h

Onde: Avenida dos Florais, acesso ao aeroporto da Bom Futuro, em Cuiabá

Percursos: 5k, 10k e 21k

Inscrições, acesse aqui.

 

IV Corrida da Advocacia Kids

Data: 24 de agosto (sábado)

Horário: 16h

Onde: Campo da Associação dos Advogados, no bairro Despraiado, em Cuiabá

Inscrições, acesse aqui.

 

*Esta matéria possui informações da assessoria de imprensa Cafeína Conteúdos Inteligentes

**Foto: arquivo

Dia da Caridade

Empresa cuiabana doa mil pacotes de pães para entidades sociais escolhidas por internautas

 

 

Uma criativa ação solidária, organizada pela Casa do Padeiro, contou com a ajuda de internautas que escolheram 13 entidades que atuam em prol dos mais necessitados em Cuiabá (MT). Mil pacotes de pães foram distribuídos para creches, abrigos, asilos, casas de apoio e de recuperação instaladas em Cuiabá, na sexta-feira (19.07), data em que se comemora o Dia da Caridade.

 

WhatsApp Image 2019-07-18 at 4.37.41 PM
Campanha da Casa do Padeiro que mobilizou internautas. (Reprodução)

 

Segundo a diretora Administrativo Financeiro da Casa do Padeiro, Ana Mamede:

Foram muitas indicações dos internautas e selecionamos as 13 mais votadas para receber os pacotes de pães. Sempre contribuímos com várias entidades, mas nessa data específica é a primeira vez. ”

 

A intenção da Casa do Padeiro é conhecer a realidade de cada entidade e selecionar uma para dar continuidade ao apoio. A empresa, filiada à Associação Mato-grossense de Atacadistas e Distribuidores (AMAD), iniciou as atividades em Cuiabá em 1996 e, além de produtos para panificação, oferece equipamentos e serviços.

 

Entre as entidades contempladas está a Obras Sociais Rafael Verlangieri, presidida por Alessandra Teluira Martinho. O Blog da Bárbara Fontes conversou com Jones Martinho, jornalista e gestor de projetos da entidade:

Nós sentimos felizes e orgulhosos de termos sido escolhidos por esse grupo de pessoas pelo reconhecimento da nossa instituição pelo trabalho que desenvolve. Nós temos 18 anos de atuação no Bairro Renascer/Pedregal, atuando junto à crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. Estamos muito felizes em termos sido agraciados pela Casa do Padeiro que fez toda a movimentação para que os pães pudessem chegar até o nosso público final, que são as crianças e jovens que fazem parte dos nossos projetos sociais. Esses pães servirão para que essas crianças possam se sentir motivadas a estarem envolvidas nesses projetos. Quando vem doações assim, a gente economiza no investimento que a gente faz no lanche e podemos renumerar profissionais para atuar nos projetos. (Jones Martinho, Jornalista e Gestor de Projetos)

 

Dia da Caridade

A data que celebra o altruísmo da nação brasileira foi instituída por meio da Lei 5.063, de 04 de julho de 1966, assinada pelo então presidente da República, Castello Branco. O Dia da Caridade tem por objetivo “difundir e incentivar a prática da solidariedade e do bom entendimento entre os homens”. Os Ministérios da Saúde, Educação e Cultura são responsáveis pelas organizações dos planos para as comemorações, “constando obrigatoriamente, sem prejuízo de outras iniciativas, de visitas a hospitais, casas de misericórdias, asilos, orfanatos, creches e presídios, e a todos os demais lugares onde a pobreza e a dor mais se façam sentir”.

 

“O dia da caridade é para despertar atitudes como esta e mobilizar a sociedade para fazer frente às mazelas sociais e não deixar apenas por conta do ente governo para resolver os problemas sociais. Todos nós vivemos em Comunidade e temos de fazer a nossa parte”, finaliza Jones Martinho.

 

Saiba mais:

A Lei do Dia da Caridade foi publicada no Diário Oficial da União – Seção 1 – 7/7/1966, Página 7451 (Publicação Original).

 

 

Confira as entidades que receberam doações da Casa do Padeiro:

 

 

 

*Esta matéria também possui informações e fotos da assessoria de imprensa da AMAD, Cafeína Conteúdos Inteligentes.

Agenda do Blog – Julho 2019

O Blog da Bárbara Fontes preparou uma agenda bem bacana do que rola no mês de julho em Chapada dos Guimarães, Poconé e Cuiabá. O Blog agradece as assessorias de imprensa que enviaram releases.

 

 

*CHAPADA DOS GUIMARÃES*

 ARTES:

Artista plástica expõe obras que permeiam várias fases da carreira:

Nívea Castro, 43 anos, nasceu no estado do Maranhão, e ainda bem pequena mudou com a família para Fortaleza. Na capital cearense, ela teve uma experiência com Teatro de Rua, é cantora, compositora e dançaria, e participou de muitas peças publicitárias e de programas de TV. Passou uma temporada na Europa onde teve contato com artistas e cineastas. Apesar de atuar como artista plástica há poucos anos, sua relação com a pintura existe desde que se entende por gente, “Eu não sei se era um sonho pintar, mas era a primeira coisa que eu me lembro de ter feito sempre. Eu sempre desenhei, rascunhei em parede e papel, isso bem criança mesmo. Eu me lembro de ter pego os esmaltes da minha mãe porque eu queria mais cor, e só com o lápis de cor ou canetinha não ficava satisfeita”, recorda a artista que atualmente vive em Chapada dos Guimarães com o marido André e a filha Iuanne, de dois anos. “Eu vejo nessa coisa de pintar a missão do artista que é libertar, porque capta o momento, uma história ou conta sobre si mesmo; nas minhas obras eu conto muito de mim. Quando você mostra alguma coisa e alguém se identifica é uma maneira de se libertar”, conclui Nívea.

 

ExposiçãoNíveaCastro_BárbaraFontes
Nívea Castro é clicada pelo fotógrafo Geraldo, na abertura da exposição. Foto: Bárbara Fontes

 

Exposição das Obras de Nívea Castro

Período: até 29 de julho de 2019 (de quinta a domingo)

Horário: a partir das 18h

Local: Hamburgueria Cawii Classic Burger. Chapada dos Guimarães/MT

Classificação etária: Livre

Gratuito  

 

 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 

*POCONÉ/MT*

PROGRAMAÇÃO DE FÉRIAS

A programação gratuita inclui atividades recreativas, mediação de leitura, cinema com pipoca e brincadeira de casinha.

 

Férias Sesc Poconé Foto Jhenifer_Heinrich_.JPG

 

Férias no Sesc Poconé/MT

Período: até o dia 28/07

Horários: das 9h às 11h e das 13h às 19h

Local: Avenida Generoso Ponce, entrada da Rodovia Transpantaneira, Centro de Poconé.

Saiba mais:

Site, acesse aqui.

Programação (Facebook), acesse aqui.

 

 ****************************************************************

 Literaciência

A Literaciência surge da vontade da artista cientista, podemos assim dizer, de unir arte com ciência, tendo em sua formação graduação em física licenciatura e ensino superior de teatro com ênfase em direção, além de trabalhar com teatro a um bom tempo, vislumbrou uma maneira de juntar as suas duas paixões. Ampliando assim tanto o olhar para arte quanto para ciência, proporcionando assim momentos lúdicos ao ouvir histórias ao mesmo tempo que se faz experimentos de ciência.

literaciência
Divulgação

 

 

Teatro de sombras

 

WhatsApp Image 2019-07-12 at 10.42.49 PM.jpeg

 

 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 

Vila Bela da Santíssima Trindade

FESTA DO CONGO 

 

WhatsApp Image 2019-07-17 at 3.23.28 PM

 

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 

*CUIABÁ (MT)*

 

Degustação de Feijoada

O Fort Atacadista da Miguel Sutil realiza uma degustação de feijoada com produtos exclusivos para preparar um dos grandes símbolos da identidade da culinária brasileira. O ambiente será animado pela banda Papo de Samba. Na oportunidade, os clientes serão convidados a provar a iguaria feita com feijão Tio Lino e produtos selecionados da Aurora Alimentos, como linguiças calabresa defumada e paio, costelinha de porco, lombo, rabo e outros ingredientes típicos de uma boa feijoada, acompanhada da cerveja Cacildis, uma Premium Lager de baixa fermentação e puro malte. A degustação da feijoada integra uma série de eventos promovidos pela rede Fort Atacadista para aguçar o apetite do consumidor durante os meses do inverno. Todos os itens da feijoada estarão disponíveis para compra na loja.

 

 

feijoada1
Divulgação

 

 

Serviço

Degustação de Feijoada

Data: 20.07.19 (sábado)

Local: Fort Atacadista da Miguel Sutil, em Cuiabá

Horário: das 11h30 às 16h

 

*************************************************

TEATRO INFANTIL

Apresentações das peças de Teatro, “Pinóquio” e “O Mágico de Oz”.  A peça “Pinóquio”, conta a história de um velho marceneiro que, cansado da solidão, cria um boneco de madeira para lhe fazer companhia. Em uma noite, ao ouvir seu pedido, uma bela fada entra em seu quarto e da vida a Pinóquio, que começa a viver experiências e aventuras de um garoto comum, dando alegria e muito trabalho a Gepeto. Já o “O Mágico de OZ”, conta a história da menina Dorothy Gale, que vive em uma fazendo com a família e seu cãozinho Totó, mas que sonha estar num lugar melhor. Um dia, ao sair de casa, a pequena é carregada por um furacão que a leva para um mundo desconhecido. Nesse mundo, vive muitas aventuras, ao lado de seus novos amigos: o Homem de Lata, o Espantalho e o Leão Covarde, em busca daquele que pode fazê-la retornar ao seu lar, o Mágico de Oz. As apresentações terão duração de 40 minutos cada, com classificação livre.

 

Teatro infantil Pantanal Shopping (1)
Divulgação

 

SERVIÇO

Teatros Infantis no Pantanal Shopping

20/07 – Pinóquio

21/07 – O Mágico de Oz

Local: Praça de Alimentação

Horário: 17h

Duração: 40 min

Classificação Livre

Evento Gratuito

 

******************************************************************

 

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA

 Entidade internacional “Médicos Sem Fronteiras” realiza exposição fotográfica que registra as ações humanitárias pelo mundo:

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por graves crises humanitárias. Também é missão de MSF chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelos pacientes atendidos em seus projetos. Está presente em mais de 70 países e atua há quase 50 anos, possuindo uma longa vida humanitária sendo até mesmo reconhecida pelo Prêmio Nobel da Paz em 1997.

 

08185516072019_Exposicao_MSF_1
Divulgação

 

Exposição “Da Ação à Palavra”

Local: Shopping Estação Cuiabá, Avenida Miguel Sutil, 9300, Santa Rosa – Cuiabá.

Data: de 28/06 a 30/07

Horário: Segunda a sábado, das 10h às 22h e domingos e Feriados, das 14h às 20h (horário de funcionamento do shopping)

 

 ******************************************************************

 

CONCURSO DE BELEZA

Miss Beleza de Mato Grosso concorre em concurso nacional

A biomédica Natália Maíne, de 22 anos, vencedora do Miss Beleza de Mato Grosso, disputará com outras 30 participantes, o concurso Belezas do Brasil 2019. O tema deste ano é “Empoderamento Feminino “ e a vencedora irá representar o país em concurso internacional.

 “Não será avaliada somente a beleza, os jurados procuram mulheres fortes, inteligentes e completas. Por isso, a nossa preparação vai desde aulas de inglês, espanhol, oratória, passarela, cultura, entre outras”, revela a modelo.

 

12283415072019_2aaf0c4f_85f4_456a_a9de_b8c7f0b2df8c
Divulgação

 

 Belezas do Brasil

Período: de 17 a 20 de julho de 2019

Horário: a partir das 18h

Local: São Bernardo do Campo/SP

Classificação etária: Livre

 Saiba mais, acesse aqui

 

 

MÚSICA

Instituto Flauta Mágica realiza show que celebra 21 anos de atuação

 O Show Aplausos reúne no palco quarenta alunos de flauta doce, canto coral e balé, do Instituto Flauta Mágica, que apresentarão um repertório inédito. A entidade realiza há mais de duas décadas, ações sociais e de educação musical gratuitas para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social. “Trata-se pura e simplesmente de uma ação em que a educação é associada ao respeito mútuo entre educador e educando, onde todos se envolvem profundamente na busca do conhecimento, do desenvolvimento da técnica e do detalhe que faz toda a diferença no palco e na vida de cada um”, declara o idealizador do projeto, maestro Gilberto Mendes.

 

18191312072019_Post_Show_Aplausos1

 

Show Aplausos – Comemoração de 21 anos do Flauta Mágica

Data: Sexta-feira, 19 de julho

Horário: 20h

Local: Cine Teatro de Cuiabá

Ingressos: R$30,00 mais 1 kg de alimento não perecível (antecipados – bilheteria do Cine Teatro)

 

 *********************************************************************

 

CORAL DA UFMT 

O espetáculo que celebra e homenageia músicas, artistas, autores e compositores mato-grossenses retorna aos palcos de Cuiabá para ganhar vida nas vozes do Coral UFMT. Inicialmente o espetáculo foi roteirizado e dirigido cenicamente pelo músico cuiabano, hoje residente em São Paulo, Maurício Detoni. Essas novas apresentações ganharam novas cenas e coreografias elaboradas por Danielle Batista e Watila Fernando. A direção geral está a cargo da maestrina Dorit Kolling.  O concerto é uma realização da UFMT/PROCEV, Agenda Tricentenária e Coral UFMT, com apoio cultural da Bellsom Iluminação e Sonorização.

 

coralufmt_divulgaçãoevento

 

Coral UFMT apresenta “Claro Canto Cuiabá”

Quando: 19 e 20 de julho de 2019
Horário: 20h
Onde: Teatro UFMT
Entrada: 01 livro de literatura infantil ou infantojuvenil
Trocas dos ingressos: de 15 a 18/07 (segunda a quinta-feira), das 14h às 19h30 na sala do Coral UFMT (próximo ao Centro Cultural); dias 19 e 20/07, dias do espetáculo, a partir das 18h na bilheteria do Teatro UFMT.

Informações: (65) 3615-8307

Saiba mais, acesse aqui.

 

 ***********************************************************************

 

Picnic de férias no shopping

Oficinas gratuitas de areia cinética, slime, pizzaiolo e chocolate, os finais de semana vão ser ainda mais animados no Picnic de Férias do Goiabeiras Shopping. A areia cinética, experiência mágica e hipnotizante, novidade entre as oficinas, acontecerá somente neste sábado e domingo (13 e 14.07).  O espaço vai ter ainda brinquedoteca e feirinha de slime com ambiente decorado e monitoria. “Temos atividades para crianças e adolescentes e a família também pode vir se divertir durante as férias. Aqui, os pequenos descansam brincando”, diz a gerente de Marketing do Goiabeiras Shopping, Fabiana Totti.

 

d0e17c96-a947-4bdc-954a-1a3117b9c37a

 

Picnic de Férias Goiabeiras Shopping

Datas: 13, 14, 20, 21, 27 e 28 de julho (sábados e domingos)

Horários: As sessões das oficinas acontecem às 14h, 15h, 16h, 17h, 18h e 19h

Local: 1º piso (próximo à loja Siberian)

Evento Gratuito – Vagas Limitadas

 

******************************************************************

  

GASTRONOMIA

Festival do Chocolate

A quarta edição do festival gastronômico vai ter muito chocolate, artesanato, moda e um evento solidário. Desde sua primeira edição, comenta a idealizadora e organizadora do Festival, Zilda Castanho, o evento abre espaço para entidades beneficentes e filantrópicas no sentido de contribuir com a responsabilidade social: “As entidades são convidadas a participar, sem qualquer custo, justamente para otimizar a comercialização de seus produtos, além claro, de divulgar as iniciativas que fazem a diferença em nossa cidade e transformam realidades”. Neste ano, participam a Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer de Mato Grosso, Amor em Retalhos, Luxo sem Lixo, Apam, Lions Clube Cuiabá Norte, Pastoral Familiar São João Paulo II, Clichês na rua e projeto Verde Novo. Idealizado para toda a família, o Festival contará com espaço kids e espaço pet para deixar os animais de estimação, que também terão doces especialmente para eles.

 

WhatsApp Image 2019-07-13 at 7.56.58 PM

 

4º Festival de Chocolate de MT

Data: 26, 27 e 28 de julho, das 16h às 00h

Local: Sesi Papa, Av. Oátomo Canavarros, S/N, bairro Morada do Ouro, Cuiabá

Entrada gratuita

Contato: (65) 98412-9090

 

****************************************************************

 

TEATRO

V Mostra de Cenas

 

A Quinta Mostra de Cenas da MT Escola de Teatro da Unemat vai apresentar três peças com duração de vinte minutos cada, no palco principal do Cine Teatro Cuiabá.  A primeira peça a ser apresentada é “Lugar Nenhum”, que conta duas histórias paralelas, a de Pitágoras, um matemático que, apesar de muito respeitado, por uma imprecisão de coordenadas, falha terrivelmente no envio de um navio com ajuda humanitária a crianças africanas; e a de Pito, um inofensivo e ingênuo homem que cruza o alto-mar em uma pequena embarcação. As duas histórias se encontram quando Pito tem sua jornada interrompida por quatro figuras que o envolvem como réu em um julgamento sobre o erro de Pitágoras.

O segundo espetáculo da noite é “In-Cômodos”, uma comédia dramática envolvendo Klaus, o palhaço sem graça; General, o militar fanático religioso; Drª Luana, a primeira astronauta mulher a pisar na Lua; Couro, um corcunda com dificuldades em se articular verbalmente e Margot, uma menina introspectiva. Os personagens encontram-se enclausurados em estranhos cômodos e se veem obrigados a compartilhar seus íntimos incômodos.

Encerrando a Mostra, em “Urubus in Cena” um velório fictício é encenado para uma suposta reunião familiar, composta por três irmãos e duas sobrinhas, com idades variadas. A reunião dispara uma série de conflitos familiares, questiona o símbolo paterno, que representa toda regra, moral ou atitude castradora e revela atrocidades de todos os personagens. Uma tormenta emocional varre a sala, ninguém é poupado. Tudo caminha para uma catástrofe, não existem atenuantes, todos são sempre culpados.

A MT Escola de Teatro é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura (SEC-MT) em parceria com a Associação Cultural Cena Onze, a Associação dos Artistas Amigos da Praça e Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

 

 

13165405072019_Convite_1

 

Quinta Mostra de Cenas da MT Escola de Teatro da Unemat

Data: 22 e 23 de julho

Horário: 19h30

Local: Cine Teatro Cuiabá

Valor: Acesso Gratuito. Proposta de contribuição R$5,00.

 

 

CINE TEATRO CUIABÁ

 

 

WhatsApp Image 2019-07-14 at 8.02.23 PM

Greve na Educação

Mais de 15 mil servidores da rede pública de ensino de Mato Grosso tiveram cortes nos salários.

 

 

 

Segundo o Governo de Mato Grosso, cerca de 41% das escolas continuam em greve, o que resultou no corte do ponto no salário, no mês de junho, de 15.211 professores, técnicos e apoios. O reflexo foi imediato e os trabalhadores da educação da rede estadual, por meio do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), deliberaram em Assembleia, na sexta-feira (12.07), pela continuidade da greve por unanimidade. O objetivo da greve que já dura mais de 40 dias, é assegurar o cumprimento do direito a valorização profissional (Lei 510/2013).

 

O Blog da Bárbara Fontes conversou com Gilmar Soares Ferreira, da Direção Estadual, do Sintep-MT:

 

Nosso posicionamento é de que o governo está cometendo uma arbitrariedade e está agindo com truculência, com autoritarismo. A nossa greve não foi considerada ilegal e o argumento que o governo utiliza é da súmula do STF, e então deixa de considerar o elemento do chamado ilícito. Mas quem comete o ilícito hoje, nesta relação, é o governador porque deixa de cumprir a Lei 510, que está em plena vigência, e que ele simplesmente deixou de lado.”

 

Segundo Gilmar, o governador não procurou a categoria com antecedência para negociar e propor prazos, “a greve está estabelecida em função desta condição e a nossa greve é legal, e o governador corta o ponto de salário de forma arbitrária. Nós estamos estudando várias iniciativas do ponto de vista de contestar isso. Nós tivemos uma ação judicial para a suspensão do corte de ponto, e a juíza jogou para o Núcleo de Mediação e que, lamentavelmente, não resultou em uma proposta adequada para a categoria que estabeleceu dois pontos: o pagamento do ponto cortado, e uma proposta que integralizasse o 7.69, até a database do próximo ano. Nesse sentido, volta para a Justiça e não sabemos o que pode ser decidido a partir de lá. De qualquer forma, a categoria não abre mão dessas duas condições”, conclui.

 

Lei 510

Criada em 2013, a Lei 510 visa dobrar o poder de compra do salário dos trabalhadores da educação da rede estadual, no prazo de 10 anos, que iniciou em 2014 e vai até 2023. Atualmente essa reposição é de 7.69 (valor fixo). Todos os anos na database, o governo tem de aplicar uma reposição sobre o piso salarial da categoria, e que se refere ao percentual acima da inflação e acima do RGA (Regime Geral Anual).  Em relação a greve, não está em negociação o pagamento do RGA, e sim o cumprimento da Lei 510. A questão do RGA será tratada juntamente com outros servidores, por meio do Fórum Sindical.

 

O governo contesta

Abaixo segue na íntegra a nota do Governo do Estado de Mato Grosso a respeito da greve dos trabalhadores da educação da rede estadual:

 

A greve parcial da Educação prejudica toda a sociedade. E o Governo do Estado esclarece: Mato Grosso atravessa dificuldades financeiras, já ultrapassou o limite legal para gastos com salário e está impedido de conceder qualquer tipo de aumento salarial. Se está impedido por lei de dar o aumento, esta greve é abusiva. Mato Grosso paga o terceiro melhor salário do país. Um professor ganha em média R$ 5.800, que é o dobro do que pagam as escolas particulares. Apesar disso, a qualidade do Ensino Médio em Mato Grosso só alcançou a vigésima primeira posição, entre os 27 Estados do país. Contamos com a colaboração dos profissionais da educação para o retorno às aulas, melhorando os resultados e construindo, juntos, uma Educação Pública de qualidade.”

Governo de Mato Grosso

 

 

Foto de capa: Sintep-MT

Balbúrdia – O Retorno

Egressos da UFMT celebram a amizade em evento emblemático

 

 

Uma festa para ficar na memória e no coração dos 120 participantes, entre egressos, professores e convidados, que enfrentaram a noite fria de sexta-feira (05.07), no espaço Valdelícias, em Cuiabá (MT), para um raro momento de reencontros, abraços saudosos e muita conversa para colocar em dia, afinal, são 29 anos de história do curso de Comunicação Social (COS) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

 

 

 

O evento promovido pelos egressos de comunicação social da UFMT foi uma excelente ocasião para reencontros, boas conversas e, principalmente, para fortalecer a identidade do curso que foi o pioneiro em Mato Grosso na formação de Jornalistas, Radialistas e Publicitários.” (Sonia Zaramella – profesora aposentada do departamento de Comunicação Social/UFMT)

 

 

Sonia e o marido Zeca

Foto: Professora Sonia Zaramella e o marido José Luiz Zaramella. Sonia é uma das fundadoras do curso de Comunicação Social da UFMT. 

 

 

Ao meu ver, nossa festa foi um evento de importância fundamental em diversos sentidos: reencontro de amigos e colegas que há muito não se viam, encontro de diferentes gerações que se conheciam apenas pelos corredores da UFMT; todavia, o principal foi a sensação de afetividade (no sentido de deixar ser afetado positivamente pela presença do outro) e,  ao mesmo tempo, pertencimento, de estar em um grupo harmonioso – coisa tão rara em nossos dias.” (Glaucos Luis, servidor público da UFMT. Fez parte da primeira turma da COS)

 

 

 

Glaucos entre amigos: Fotos: (1) com as jornalistas Francisca e Ana Cristina. (2) com a radialista e produtora cultural, Keiko Okamura. (3) com o músico Jean Bass, e o radialista/publicitário e vocal da banda Contra-Ataque, Jomar Brittes.

 

 

 

“Balbúrdia – O Retorno” foi um evento que uniu a alegria e o colorido das festas juninas com o melhor do rock in roll, o que gerou uma criativa “festa rockina”. A banda Contra-Ataque tocou clássicos nacionais e internacionais, e a playlist elaborada pelo fotógrafo Tchélo Figueiredo fez uma viagem musical pela década de 1990, período em que os egressos entraram na universidade. O palco aberto permitiu uma galera boa de som, a tocar e cantar, e homenagear uma pessoa que faz parte das boas memórias do egressos dinossauros: Antônio Sodré, o Sodrezinho. Poeta e músico, autor de um dos hinos da UFMT  – “O lado humano não acompanha o tecnológico”.

 

 

A escolha do nome Balbúrdia foi proposital como uma forma de ironizar os ataques sofridos pelas universidade públicas brasileiras, e também criticar a situação de abandono e descaso político. As universidades públicas são as grandes responsáveis pelos avanços significativos em todas as áreas do conhecimento, e beneficiam a sociedade como um todo. Desde a sua criação, o curso de Comunicação Social prepara e forma jornalistas, radialistas, publicitários e cineastas para o mercado de trabalho, e muitos deles são reconhecidos e premiados no Brasil e no exterior. Na festa, o sentimento de gratidão dos egressos por terem estudado na UFMT era nítido!

 

 

65898585_1940803666021574_3078663782185041920_o

 

 

Balbúrdia_Foto_DanielaLepinski

 

 

Balburdia_festaa4

Foto: Banda Contra-Ataque

 

 

A festa foi um sucesso. Fato! O ambiente estava com uma decoração linda, havia muita comida, bebidas e guloseimas. A barraca da pescaria estava animada e cheia de prendas, e os pula-pulas fizeram a alegria da criançada que deixou os seus pais e responsáveis mais tranquilos para se divertirem – como nos bons tempos de universitários. O evento conseguiu atingir os seus objetivos de celebrar a amizade, as boas lembranças e os 29 anos do curso, graças ao trabalho de uma equipe que esteve muito envolvida em todas as etapas para a realização do evento.

“Balbúrdia – O Retorno” tem uma história que merece ser contada aqui:

 

 

  • Tudo nasce com uma ideia 

Foi numa festa de aniversário, em 2018, que as jornalistas Natacha Wogel e Camila Bini jogou na roda de amigos a vontade de fazer um reencontro dos egressos. Todos concordaram, porém, ficou apenas no campo das ideias. O tempo passou e quase um ano depois, a proposta ganha força para a sua concretização durante o café da manhã do “Jornalistas Que Correm” (JQC), iniciativa esportiva patrocinada pelo Grupo Petrópolis. Este evento contou com as participações de Natacha e Camila, além de algumas pessoas que estiveram um dia antes no lançamento do livro “Somos Todos COS”, da jornalista Celly Alves Silva, que fez um emocionante resgate histórico do movimento estudantil do curso de Comunicação Social. O evento da Celly reuniu egressos de várias gerações e o sentimento de saudosismo foi inevitável, assim como a vontade de se reunir novamente. Eram muitos sentimentos bons de reencontro que o universo conspirou a favor!

 

“A festa nasceu de um desejo despretensioso de reunir as turmas, reunir pessoas que convivemos, pelo menos por quatro anos, e foi um período de efervescência cultural, um período de transformação muito grande. A gente, pelo menos eu na minha época, estava sendo introduzida ao mundo tecnológico, um mundo de conexão da internet e tudo era muito novo, interessante e diferente. E de lá para cá, embora o mercado de trabalho seja praticamente o mesmo para a maioria, a gente se encontra no front de trabalho e não tinha um trabalho de reunião dessas pessoas. Uma reunião para saber sobre como estavam a vida delas e com suas famílias. As minhas amizades da faculdade se perduram, porém, eu não encontro no trabalho. Eu encontro outros egressos que não eram os meus amigos de faculdade, mas que sempre estiveram no mercado de trabalho. E por que não reunir essa galera para saber o que virou da vida deles? Não só no campo profissional, mas no pessoal também. E por que não restabelecer amizades? E por que não retomar aquele clima delicioso que era de faculdade? ” (Natacha Wogel, jornalista e idealizadora da festa)

 

Natacha_Camila_Márcia Raquel e Herlon

Foto: Natacha, Camila, Márcia Raquel e Herlon

 

 

O que estava no desejo e no campo da idealização se torna real horas mais tarde com a criação de um grupo de WhatsApp que reuniu quase 200 participantes. A pauta principal era realizar uma festa para os egressos, porém, inevitáveis foram as conversas paralelas que relembraram situações passadas nas salas de aulas, nos laboratórios, nas aulas de campo, nas festas, e principalmente, nos corredores do antigo bloco emprestado para o departamento de Comunicação Social.

 

 

 

Print1.jpeg

 

 

O texto de apresentação tem humor e ironia. O professor Joaquim Welley Martins, o terror de muitas turmas iniciais do curso, se tornou o garoto-propaganda do grupão. Joaquim foi um excelente e exigente professor, porém, a maioria de nós, vindo do Segundo Grau (Ensino Médio) não tinha a maturidade para compreender – ainda – as demandas da vida universitária. O espaço virtual proporcionou o primeiro grande reencontro com egressos que moram em Mato Grosso, em outros estados e no exterior, e alguns conseguiram se programar para virem à Cuiabá.

 

 

Quando recebi a notícia do encontro de egressos da UFMT já comecei a procurar passagem porque penso que a  memória não significa passado, mas gratidão, significa reconhecer o tanto que se trilhou. E foi isso que busquei e encontrei em nossa festa. Mesmo sentindo falta dos meus colegas e amigos de turma, foi prazeroso reencontrar os veteranos e os calouros, conhecer suas famílias, dançar, rir e trocar muitos e muitos abraços. Também me realizei em rever minha orientadora (Profa. Sônia Zaramella) e o que de todos os professores do curso foi meu mestre na vida, o Prof. Segura, que foi meu editor-chefe. Enfim, só tenho agradecimento a comissão organizadora e estou com as melhores expectativas para a balbúrdia dos 30 anos” (Ana Cristina Moreira, jornalista e servidora pública da Rede Federal de Educação Profissional. Fez parte da segunda turma do curso)

 

 

Balburdia_Ana_Eu_AnaMoreira

Foto: Reencontro mágico: Ana Cristina, Eu e Ana Cristina Moreira

 

 

Após várias discussões salutares, a primeira reunião presencial é marcada:

 

 

Fotos no Bar do Dirceu:  (1) Camila, Magda e Doriane. (2) Tchélo Figueiredo e a galera. Assim nasceu a “Comessão” Organizadora!

 

 

  • A Comissão Organizadora

Foi no Bar do Dirceu, ponto de encontro de artistas, escritores e profissionais da Comunicação, que acontece o primeiro encontro dos egressos, e assim nasce a “Comessão” Organizadora, nome batizado pela super criativa Camila Bini. Naquela noite, eu, Bárbara Fontes; Camila; Natacha; Magda Matos; Alessandra Barbosa, Iviush Belotto; Francisca Medeiros; Jomar Brittes; Paola Carlini; Tania Kramm, Doriane Miloch; Tchelo Figueiredo; Joilson e Camacho; não tínhamos ideia de que nossas vidas estariam entrelaçadas e com conversas diárias e reuniões por meio da criação de um grupo de WhatsApp, em 22 de maio.

 

 

Me colocaram no grupo da festa, eu achei a ideia maravilhosa e quando percebi, já estava no grupo da comissão organizadora. Acabei me envolvendo tanto com a festa quanto com a organização porque eu estou num período de resgate, de resgatar das coisas boas da minha vida. Eu já tinha tentado formar um grupo com os formandos da minha turma e não tinha dado certo. Então quando apareceu a Natacha e a Camila, as duas estavam bem animadas para fazer essa festa, eu pensei: agora quem sabe essa festa sai. A iniciativa vale e foi muito legal pra mim porque depois da faculdade, com a rotina de trabalho e casamento e família, a gente vai se perdendo das pessoas. Embora eu encontre alguns profissionalmente, mas a gente se perde da maioria deles. E nesse momento em que a gente deve estar firme e atuante em defesa da Educação pública e de tantas outras coisas, eu acho que a gente estar unido, estar junto é muito importante.” (Iviush Beloto, Jornalista/Chefe de Reportagem da TV Vila Real. Fez parte da turma de 1992)

 

 

 

Fotos: (1) Iviush. (2) Egressos do curso que trabalham com Iviush na TV Vila Real. (3) domingo também era dia de reunião da comissão (na casa da Iviush).

 

Na comissão organizadora o legal mesmo é ver uma ideia se concretizar. Não consegui colocar tanto a mão na massa como queria, mas o núcleo que tocou em frente foi incansável e o bacana que de uma forma muito compartilhada.” (Francisca Medeiros, jornalista, editora-chefe do MT2, na TV Centro América. Fez parte da primeira turma da COS)

 

Balburdia_Natacha e a galera_1reuniao

Foto: Natacha (em 1º Plano), Francisca Medeiros (na primeira cadeira) e a galera da “comessão” organizadora na primeira reunião no Bar do Dirceu (Cuiabá/MT).

 

 

Organizar uma festa, principalmente sem fins lucrativos é um tipo de hobby, eu gosto bastante, mas a festa dos egressos teve um caráter diferente porque eu resgatei uma parte de mim. Eu resgatei um período da minha história em que eu fui muito feliz. Eu tenho memórias fantásticas e relembrar tudo aquilo é também relembrar os amigos que se foram, dos professores que faleceram. Não tenho palavras para expressar a minha gratidão pelo destino ter me ligado novamente aos membros da comissão organizadora.” (Magda Matos, jornalista, servidora do MT Hemocentro e mãe de duas fofuras. Fez parte da turma de 1993/2)

 

 

 

Fotos: (1) Reunião da comissão organizadora no Sesc Arsenal. (2) E mais reunião! Magda Matos com o maridão Otto, que sempre nos ajudou.  (3): Magda, alegria em pessoa!

 

 

A comissão organizadora repassava para o grupão as ideias, possibilidades de datas e locais, e outras questões sobre a produção da festa para o Grupão. Também produziu material para a imprensa, arte gráfica, a ficha de controle de pagamentos, atualizações da lista dos pagantes da cota, a elaboração da playlist do Tchélo, para tocar durante o intervalo da banda entre outras atividades. No final da matéria tem links para acessar a playlist que tocou na festa!!

 

 

“Pensei na diversidade de estilos de músicas conforme as gerações dos alunos da faculdade de comunicação foram existindo, cada geração adotou um estilo, ou uma cultura diferente no seu tempo. O curso de Comunicação Social já foi samba, rock, dance, eletrônico, pop e por aí vai.” (Tchélo Figueiredo, fotógrafo. Fez parte da turma de 2.000/1)

 

 

 

  • Planejar e Planejar

Se fazer uma festa para amigos próximos não é uma coisa fácil, imagina para pessoas que há décadas não se reencontram! Havia muitos desafios para a comissão organizadora ultrapassar, inclusive na questão financeira. A ideia era fazer uma festa bacana e acessível para todos. Com o local e a data definidos, os próximos passos eram levantar orçamentos e buscar parcerias e patrocínios. Camila Bini criou uma vaquinha virtual e uma cota foi definida para pagar o buffet.

 

 

Visita Valdelicias

Foto: Uma parte da comissão visita o restaurante e buffet Valdelícias.

 

Jomar Brittes mandou muito bem nas artes gráficas e sempre solícito com as demandas da comissão. Generoso, abriu mão de seu cachê como vocalista da banda Contra-Ataque. Gratidão, querido amigo!! Segue abaixo algumas artes produzidas por Jomar:

 

 

 

 

Por que o dinossauro? É uma homenagem aos veteranos do curso! Somos todos jurássicos (risos)!

 

 

 

  • A festa ganha “corpo e alma”

Balbúrdia – O Retorno seria uma festa chinfrim sem a participação do talentoso e querido Jorge Katumba. Ele e a sua equipe transformaram o espaço do Valdelícias num ambiente junino sem esquecer a cultura cuiabana, com as chitas coloridas.

 

 

Foto: O querido Jorge Katumba e equipe trabalharam muito!! Gratidão!!

 

 

 

*Fotos: Bárbara Fontes

 

 

A jornalista Magda Matos deu um toque emotivo na decoração ao montar painéis com fotos das mais diversas turmas que passaram pela COS. Em cada foto, uma história boa pode ser contada. Difícil não se emocionar!

 

 

 

 

 

Antes de festar, muito trabalho para deixar tudo bonito, acolhedor e funcional:

 

 

*Fotos: Bárbara Fontes

 

 

 

  • Balbúrdia- O Retorno!

Às 21h, do dia 05 de julho de 2019, iniciou a festa mais aguardada dos últimos meses. As pessoas chegavam de um jeito e no decorrer meio da festa já eram outras, com olhos marejados, sorrisos nos rostos e um festival de abraços apertados e saudosos aconteceu. Um dos momentos mais especiais da festa foi reencontrar alguns professores, nossos mestres que nos ajudaram a encaram os oitos semestres de curso: Aílton Segura, Sonia Zaramella, Claudia Moreira. Muitos egressos, como eu e Camila Bini tivemos a oportunidade de lecionar na UFMT.

 

 

O que eu achei legal da festa foi ter essa dinâmica de unir as pessoas de uma geração mais antiga e de uma geração mais nova, fazer esse contraste de profissionais da Comunicação de hoje em dia também, da realidade que cada um passou, mostrar as épocas nas fotos nos painéis nas paredes. Mostrar quem são as pessoas que muita gente não conhece, às vezes só escuta de nome. O legal da festa foi isso! Gostaria que outras pessoas tivessem vindo, mas não moram mais em Cuiabá, estão em outros lugares como Brasília, como no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiânia também. São todos da minha época da faculdades mas não estão mais presentes. O legal foi isso: mostrar, unir as pessoas, unir a Comunicação Social num todo numa festa descontraída com muita diversidade musical. O curso de Comunicação Social trouxe essa pluralidade de pessoas, de gêneros, de gostos, de pensamentos e isso que eu acho bacana da festa: unir essas pessoas num ponto comum que é a diversão, a descontração e a troca de experiências.” (Tchélo Figueiredo)

 

 

 

Fotos: Bárbara Fontes

 

 

A comissão organizadora abre a festa “Balbúrdia – O Retorno”:

 

Fotos: Rita de Cássia

 

 

 

Foi uma festa linda! Um momento de reencontro, de recordações, de felicidade e de aprendizagem também.  A UFMT foi fundamental na minha formação, não só como jornalista, mas como pessoa, como profissional, como ser humano. Olhar para os professores, depois de tanto tempo, e ter a certeza de que a gente leva um pouquinho de cada um deles, é um sentimento fantástico. Eu vim do Paraná. Tinha algumas coisas para resolver em Cuiabá e procurei casar as agendas. Foi ótimo porque pude rever grandes amigos que se tornaram minha família do coração. É muita gratidão.” (Márcia Raquel, jornalista)

 

Fotos: (1) Julianne Caju, Márcia Raquel e Delvânia; (2) Natacha, Márcia Andreola, Márcia e Maria Góes; (3) Ju, Márcia, Cebola (Diogo Palomares) e Lori.

 

 

A Balbúrdia, o Retorno, foi uma delícia, acho que surpreendeu a todos, reverberou em quem foi e em quem não pode ir. Comunicadores com rotinas por vezes difíceis puderam celebrar, com leveza, a si mesmos, à amizade, aos muitos motivos que têm para se fortalecerem. É bom lembrar a nós mesmos que somos indispensáveis em qualquer momento da vida em uma sociedade. Enfim, a festa foi divertida, contagiante e renovadora. E sinto que vai render frutos duradouros.” (Francisca Medeiros)

 

 

  • Fim de festa. Acabou ou um recomeço?

A festa foi um sucesso! Ninguém do grupão saiu e nem da “comessão organizadora”. Ficou o desejo de “quero mais e mais”. Balbúrdia – O Retorno foi muito mais do que uma festa de reencontros e celebrações, também foi um grito em defesa da Educação pública, da universidade acessível para todos, com melhores condições estruturais e de investimentos em pesquisas e extensões de ensino. Foi uma honra fazer parte da UFMT. Foi uma honra fazer parte da história do curso de Comunicação Social! Depois de 26 anos, relembrar tantas boas histórias ao lado de colegas que pegavam ônibus, enfrentavam filas para comer no Restaurante Universitário (RU) e que passavam horas de estudos na biblioteca central e nos laboratórios. É impossível eu desvencilhar a carreira profissional dos meus tempos na UFMT. Gratidão!

 

 

O que ficou claro para mim é não perder a conexão com o que nos fez chegar até onde nós estamos. A fase da UFMT foi para mim muito mais do que uma aprendizagem científica, eu fiz muitas amizades que levei para a vida. Com o tempo, a correria de todo o dia, a gente acabou se afastando um pouco. O que eu mais aprendi foi a importância desse retorno. A festa teve um valor agregado que foi retomar amizades com pessoas que sempre me foram caras. Eu fiquei muito, muito feliz, muito satisfeita com o resultado da festa, com a energia que eu senti durante todo o evento. Em todas as rodas de conversa em que eu passei, eu via pessoas comemorando o encontro, felizes por resgatarem laços que estavam adormecidos. Eu acho que o nosso papel foi cumprido, o objetivo da comissão organizadora, da proposta da Camila e da Natacha era justamente isso: o reencontro! E foi o reencontro de almas afins. Para mim foi uma experiência única. Eu amei e já estou com saudades! (Magda)

 

 

 

  • Patrocínios e doações: generosidade em alta

A união faz a força, como diz o ditado, e sem esses apoios a festa não teria acontecido: Ícone Press (Paola Carlini) por meio da Plaenge, do Grupo Petrópolis e Pantanal Shopping; Dialog (Camila Bini); Jorge Katumba; Neri Ribas; o vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro; Mika Alimentos, Sindicato dos Jornalistas (Sindjor-MT), Ostrich (Tania Kramm), Editora Tanta Tinta (Ramon Carlini) e Drograria Ativa (Cristiane Celina). Os membros da comissão organizadora: Alessandra Barbosa, Bárbara Fontes, Camila Bini, Doriane Miloch, Francisca Medeiros, Iviush Beloto, Magda Matos, Jomar Brittes, Natacha Wogel, Paola Carlini e Tchélo Figueiredo também dedicaram tempo, disposição e fizeram doações para custear a decoração, comprar lenhas e outras despesas de última hora.

 

 

* O último encontro!    

Quinta-feira, 11.07, aconteceu a reunião com uma parte da comissão organizadora: prestações de contas e avaliações num jantar organizado pela Iviush. Seria o fim? Não! Apenas um fechamento de ciclo. A festa “Balbúrdia – O Retorno” faz parte de um passado delicioso. Agora é olhar para frente e planejar novos reencontros com a galera. Quem sabe rola em novembro? Vamos aguardar ansiosos! Até breve!

 

 

 

 

 

 

Saiba mais no Blog da Bárbara Fontes:

Somos todos COS, acesse aqui.

Jornalistas Que Correm (JQC), acesse aqui.

 

Playlists elaboradas por Tchélo Figueiredo:

Playlist 1, acesse aqui.

Playlist 2, acesse aqui.