Hino de Mato Grosso

Conheça a história de um dos hinos mais belos do Brasil

 

Quando Dom Aquino Corrêa terminou o “Canção Mato-grossense” não imaginava que a obra literária atravessaria o século e se tornaria o hino oficial de Mato Grosso. O poema foi escrito para homenagear o bicentenário de Cuiabá, celebrado no dia 8 de abril de 1919. É importante ressaltar que durante décadas, a capital cuiabana (fundada em 1719) pertencia à Capitania de São Paulo e somente em 1748, com a nomeação do primeiro Capitão-general pela Coroa Portuguesa, Antônio Rolim de Moura, é criado o Estado, portanto, Cuiabá é legalmente mais velha do que Mato Grosso.

 

 

Em 1919, Mato Grosso era outro, assim como a sua capital. Não existia o estado de Mato Grosso do Sul e ainda se ouvia histórias sobre a famigerada Gerra do Paraguai, também conhecida como a Guerra da Tríplice Aliança ou a Grande Guerra. Iniciada em dezembro de 1864, matou milhares de brasileiros, inclusive mato-grossenses, e paraguaios até o seu término em março 1870. Ainda havia resquícios da guerra em Mato Grosso e a ferida não estava totalmente cicatrizada.

 

 

Francisco Aquino Corrêa, nascido em Cuiabá na mesma casa do político Joaquim Murtinho, hoje o Museu Dom Aquino, situado às margens do rio Cuiabá (na avenida Beira-Rio), fez questão de relembrar na obra “Canção Mato-grossense” os heróis cuiabanos que lutaram bravamente na Guerra do Paraguai. Se hoje, Corumbá e Dourados permanecem no território brasileiro é graças aos cuiabanos que deixaram as suas famílias para defender estas cidades tomadas pelas tropas do presidente paraguaio Francisco Solano Lópes, mentor e executor da Grande Guerra. Dom Aquino não queria que o povo mato-grossense se esquecesse dessa parte dolorida da história do Brasil. E nem dos bravos Antônio João Ribeiro, que comandou a colônia militar de Dourados, e  Antônio Maria de Coelho, que liderou a retomada de Corumbá em 13 de junho de 1865. Antônio Maria (Barão de Amambaí) foi o primeiro governador de Mato Grosso depois da proclamação da República, e também é o criador da bandeira do Estado. Na Cuiabá de 1919, também havia outra questão que tirava o sono de muita gente: já se falava, confabulava a respeito da divisão de Mato Grosso, e Dom Aquino era contra.

 

 

O Hino de Mato Grosso

Limitando, qual novo colosso,
O Ocidente do imenso Brasil,
Eis aqui, sempre em flor, Mato Grosso,
Nosso berço glorioso e gentil! 

Eis a terra das minas faiscantes,
Eldorado como outros não há,
Que o valor de imortais bandeirantes
Conquistou ao feroz Paiaguá! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu
Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal! 

Terra noiva do Sol, linda terra
A quem lá, do teu céu todo azul,
Beija, ardente, o astro louro na serra,
E abençoa o Cruzeiros do Sul! 

No teu verde planalto escampado,
E nos teus pantanais como o mar,
Vive, solto, aos milhões, o teu gado,
Em mimosas pastagens sem par! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu
Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal! 

Hévea fina, erva-mate preciosa,
Palmas mil são teus ricos florões;
E da fauna e da flora o índio goza
A opulência em teus virgens sertões! 

O diamante sorri nas grupiaras
Dos teus rios que jorram, a flux.
A hulha branca das águas tão claras,
Em cascatas de força e de luz! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu 

Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal!
Dos teus bravos a glória se expande
De Dourados até Corumbá;
O ouro deu-te renome tão grande,
Porém mais nosso amor te dará! 

Ouve, pois, nossas juras solenes
De fazermos, em paz e união,
Teu progresso imortal como a fênix
Que ainda timbra o teu nobre brasão! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu
Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal!

 

 

Criado por meio do Decreto n. 38, de 03 de maio de 1983, pelo então governador Júlio Campos, após uma avaliação realizada entre os anos de 1982 e 1983, por uma comissão formada por Adauto Dias de Alencar, pelos jornalistas Pedro Rocha Jucá e Arquimedes Pereira Lima (que conviveu com Dom Aquino), Marília Beatriz de Figueiredo Leite (filha do desembargador e primeiro escritor Modernista do Estado, Gervásio Leite), e Lidio Modesto.  A missão da equipe de intelectuais e estudiosos da História e Cultura de Mato Grosso era reconhecer oficialmente ou não o Hino de Mato Grosso. O motivo era que o poema de Dom Aquino cita as cidades de Corumbá e Dourados que, com a divisão do estado em 1977, não pertenciam mais a Mato Grosso. Hoje, as duas cidades fazem parte de Mato Grosso do Sul. A comissão decidiu manter a letra original pelo valor histórico que possui. Segundo trecho do Relatório da Comissão,

 

“Mas o heroísmo dessas figuras não diz respeito apenas a Mato Grosso, e sim ao Brasil, nas circunstâncias por que passava a soberania nacional”

 

O Relatório completo está disponível para pesquisa na Superintendência de Arquivo Público de Mato Grosso. Segundo o documento, que revelou vários aspectos da letra do Hino de Mato Grosso, o termo “qual novo colosso”, na primeira estrofe faz uma comparação entre Mato Grosso e o Colosso de Rodes, uma das sete maravilhas do mundo antigo, e que já não existe mais. No trecho “teu progresso imortal como a Fênix”, representa o Estado que, mesmo passando por dificuldades, renascia sempre para o progresso. A alusão está presente também nos brasões de Cuiabá, e de Mato Grosso. Na mitologia grega, o pássaro Fênix é queimado e ressurge das cinzas.

 

 

MariliaBeatriz_fotoAhmad
Marília Beatriz. Foto: Ahmad Jarrah (acervo pessoal)

 

O Blog da Bárbara Fontes conversou com a advogada, escritora e ex-presidente da Academia Mato-grossense de Letras (AML), Marília Beatriz de Figueiredo Leite, que fez parte da comissão que analisou o Hino de Mato Grosso:

 

 

Blog da Bárbara Fontes: O Hino de MT é importante nos dias de hoje? Por quê?

Marília Beatriz: Toda solenidade deve ter uma celebração e nada melhor do que uma canção para apontar os fatos e os feitos significantes de um território.

 

Blog da Bárbara Fontes: No início da década de 1980, a senhora fez parte da Comissão que analisou o Hino de Mato? Qual era o objetivo? O que a Comissão decidiu?

Marília Beatriz: O objetivo era o estudo e a adequação do Hino ao momento histórico.
Havia ocorrido a divisão do Estado e assim era necessária uma avaliação conjuntural.
A comissão decidiu que devia permanecer como era. Se me lembro, eu fui voz discordante pois entendia que Dourados e Corumbá não pertenciam ao estado nascente.

 

Blog da Bárbara Fontes: Quando a senhora ouve o Hino de Mato Grosso, quais sentimentos lhe chegam?

Marília Beatriz: Quando ouço o hino sinto realmente uma emoção pelo amor que devoto ao estado que adotei e a terra dos meus pais.

 

Blog da Bárbara Fontes: Na sua opinião, o Hino de MT deve ser cantado nas escolas como uma obrigação ou somente em momentos festivos?

Marília Beatriz: Entendo que fazer do canto do Hino uma obrigação escolar é perder o sabor, o prazer da surpresa. O que é obrigatório deixa de ter emotividade e passa a ser mera prisão de nenhuma cidadania. O hino é saudação, celebração e como tal deve ser tocado, escutado em liberdade.

 

 

 

Dom Aquino Corrêa

Image
Foto: Missão Salesiana de Mato Grosso

Uma das maiores mentes de Mato Grosso, Dom Francisco de Aquino Corrêa foi o primeiro cuiabano a fazer parte da Academia Brasileira de Letras. Nasceu em 2 de abril de 1885. Foi o bispo mais jovem do Brasil e se tornou Arcebispo de Cuiabá. Fundou a Academia Mato-grossense de Letras e o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso. Publicou dezenas de livros como “Odes” e “Terra Natal”. Também foi governador do Estado entre os anos de 1818 à 1922. Faleceu na capital de São Paulo em 22 de março de 1956.

 

 

 

Memória Afetiva

HinoMT_bastidores2
Bárbara Fontes repassa a cena com os Nambiquaras. Foto: Acervo Pessoal

 

Em 2007, eu recebi uma das maiores missões da minha vida profissional: roteirizar e dirigir um videoclipe do Hino de Mato Grosso para o Sebrae-MT. Por meses, eu me debrucei nos acervos sobre Dom Aquino Corrêa e tudo o que envolve a história do hino. Assim nasceu a obra cinematográfica, exibida em quase todos os países do mundo, “Canção Mato-grossense”. O título do videoclipe é em homenagem a Dom Aquino, e mostra as belezas de naturais, a cultura popular e a vida moderna dos mato-grossenses, porém, se esquecer dos verdeiros donos da terra: os indígenas. A trilha sonora reúne os ritmos musicais presentes no Estado. Para realizar a obra cinematográfica foi necessário reunir uma equipe de 120 pessoas e foram utilizados os equipamentos mais sofisticados na época, como uma Redcam (câmera) vinda dos EUA, novidade em Hollywood e utilizada pelo cineasta Steve Spielberg.

 

HinoMT_bastidores
Bárbara Fontes e equipe filmam na Aldeia Nambiquara. Foto: Acervo Pessoal

Foi um importante marco para o Audiovisual mato-grossense que contou com o apoio  financeiro e logístico do Sebrae-MT que acreditou no projeto, e que apostou na contratação de uma cineasta mulher criada em Mato Grosso. É importante que eu cite uma pessoa que foi fundamental na escolha de meu nome para o Sebrae-MT: Magna Domingos – uma das mais importantes produtoras culturais do Brasil. Infelizmente, ela nos deixou no final de 2018. Minha gratidão à querida Magna!

 

 

Acesse o link do videoclipe “Canção Mato-grossense” – Hino de Mato Grosso aqui:

 

 

 

*Esta reportagem tem informações da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado de Mato Grosso (Secom-MT).

**Foto de capa: Bandeiras de Mato Grosso e do Brasil. Foto: Lenine Martins/Secom-MT

 

***Matéria publicada no dia em que Mato Grosso completou 271 anos, em 09 de maio de 2019.

Anúncios

Ações da PM-MT

Polícia Militar de Mato Grosso apresenta à imprensa, os resultados das ações e operações realizadas no primeiro trimestre deste ano.

PMMT_cafédamanhajornalistas3_Easy-Resize.comEvento realizado no 1º Comando Geral da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso (PM-MT) no dia 12 de abril, reuniu jornalistas de diversos veículos de comunicação para um café da manhã que também celebrou o Dia do Jornalista (07/04). O período também marca os cem primeiros dias do governo Mauro Mendes.

Um dos êxitos apontados pelo Coronel da PM-MT, Jonildo José de Assis (Cel. Assis) foi a Operação Carnaval que proporcionou aos foliões um período festivo sem nenhum incidente nos locais onde haviam eventos carnavalescos. A respeito das Ações Assistenciais realizadas, o coronel afirma que “ainda temos uma credibilidade muito boa junto à população”.

 

PROER

Outra Operação importante que ocorre no estado é a ‘Escola Segura’, com policiamento ostensivo geral em ambientes escolares e seu entorno, o que ajuda a inibir ações criminosas. Vinculada à Operação, o PROER (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência) também vem colhendo bons frutos. Eu faço uma observação aqui para informar o quanto o PROER é importante: no início do ano letivo, policiais militares estiveram na escola da minha filha, onde repassaram muitas informações importantes relacionadas às drogas, bullying e à violência escolar. A visita foi muito bem-vinda e tranquilizadora para os alunos que sabem podem contar com a Polícia Militar, principalmente neste momento em que estão sensibilizados com a tragédia ocorrida na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, região metropolitana de São Paulo, em 13 de março deste ano. Segundo o Coronel Assis, a Operação Escola Segura conseguiu atingir por meio das ações de Formação e Atendimento, apenas no primeiro trimestre, cerca de 55.118 alunos da Educação Infantil, e do 5º ao 7º Ano, do Ensino Fundamental.

 

Resultados do 1º Trimestre de 2019

De janeiro a março foram realizadas 17 Operações:

PMMT_RelatorioDados1

 

Resultados Gerais:

PMMT_RelatorioDados2

Violência Doméstica e Feminicídio

A respeito dos casos de Feminicídio no estado, o Coronel Assis respondeu ao Blog da Bárbara Fontes:

Buscamos potencializar dentro do nosso Plano de Ação, o trabalho em conjunto, em forma de rede para o combate à violência doméstica e o feminicídio. Nós temos implantado em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças e Sinop, e estamos implantando também em Tangará [da Serra], a Patrulha Maria da Penha. É um trabalho fenomenal em conjunto com várias instituições como o Ministério Público, Polícia Federal e Polícia Civil. Cabe à Polícia Militar fazer a visita, devidamente autorizada, às pessoas que foram vítimas da violência doméstica.

 

PM_MT_logo

O relatório apresentado pela PM-MT retratam três meses de trabalho ostensivo e os resultados positivos são sinais de que estão no caminho certo, porém, tanto a corporação quanto a população sabem que há muito para ser feito na questão da Segurança Púbica do estado. A PM está presente em 141 municípios e conta com um contingente de 7.400 policiais militares (não há previsão para a realização de concurso público). Em relação ao decreto de estado de calamidade que vigora desde janeiro, a Polícia Militar não sofreu cortes em seu orçamento, porém, realizou um plano de contingência para conter gastos e os salários dos policiais também foram escalonados.

De novo, Brasil?

Brumadinho chora e o Brasil estarrecido pergunta: Por quê?

ATUALIZADO: 21/02/2019

– BOLETIM da Defesa Civil de Minas Gerais:

28 dias de buscas; 171 pessoas mortas;

160 corpos identificados e 124 liberados e entregues às famílias;

139 desaparecidos;

192 resgatados;

392 pessoas localizadas.

*Os bombeiros encontraram o local onde funcionava o almoxarifado da sede da mineradora VALE/SA. Há possibilidade de haver muitos corpos soterrados.

 

Multa milionária

A VALE S/A recebeu 14 multas que totalizam R$ 108.323.890,00, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMA) – prefeitura de Brumadinho (MG).

As multas são referentes ao rompimento da Barragem B1, na Mina do Córrego do Feijão, ocorrida em 25 de janeiro de 2019, e foram entregues no dia 31 de fevereiro.

 

2019-02-15_907751-vale-1024x576.jpeg

(Foto: prefeitura de Brumadinho/MG)

 

No dia 07, a mineradora apresentou petição que anexa relatórios de monitoramento, e também comunicou que irá interpor recurso administrativo dentro do prazo definido pela legislação municipal (30 dias do recebimento das informações das infrações).

(Com informações da prefeitura de Brumadinho/MG).

 

 

Matéria publicada em 12/02:

As buscas estão concentradas nos locais onde ficava a sede administrativa da empresa Vale (o refeitório e o vestiário). Como o rompimento da barragem do Córrego do Feijão aconteceu no horário de almoço e havia uma grande concentração de funcionários no refeitório.

&&&&&&&&&&&&&

04/02

Já se encontram em Brumadinho, a Força Nacional composta de sessenta homens e dois helicópteros. Eles se juntaram aos 250 bombeiros e 22 cães farejadores que lutam incansavelmente para encontrar sobreviventes e corpos. Ainda há mais de 200 pessoas desaparecidas. Não há previsão para encerrar as buscas.

 

A coordenação dos resgates é do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Também participam das buscas, bombeiros dos estados de Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Alagoas e Maranhão.

 

A ida da Força Nacional partiu de um acordo entre o governador Romeu Zema com o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

 

 

&&&&&&&&&

 

Dia 30/01: operações de resgates encontraram diversos corpos. A retirada desses corpos da lama é um trabalho delicado e demorado, por isso, apenas um corpo foi resgatado pela manhã. As atividades seguirão por todo o dia.

Também começaram as buscas nas matas no entorno da barragem. Segundo a assessoria da prefeitura,

A pedido do prefeito Avimar Barcelos uma equipe de bombeiros civis começa a procurar vítimas nas matas no entorno das áreas afetadas pelo rompimento da barragem da Vale. Em visita às comunidades atingidas o prefeito se comprometeu em conseguir essa ajuda para acelerar a localização de pessoas que ainda estão desaparecidas. Parentes e amigos nutrem a esperança de ainda encontrar alguém com vida.

 

 

Quando a ganância fala mais alto

brumadinho_regiaoatingida_prefeiturasite
região atingida pelo rompimento da barragem da mineradora Vale. Crédito: Prefeitura de Brumadinho

A tragédia de Mariana parece que não surtiu efeito para algumas autoridades brasileiras e para a empresa Vale. Dor, tristeza, desamparo e negligência só as vítimas sabem o que é. Infelizmente essa dor é agora também compartilhada pela população de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG).  Um dos locais mais bonitos do país, que abriga o maior museu à céu aberto do mundo, o Inhotim (não foi atingido por estar numa região mais alta), desaparece na lama tóxica de uma barragem inativa da empresa Vale (de novo!!!), a da Mina do Feijão (Córrego do Feijão). O mais chocante é saber que vidas foram ceifadas e toda uma rica biodiversidade comprometida por causa de uma barragem de tecnologia obsoleta!! Em várias partes do mundo não se utiliza mais essa técnica de contenção de resíduos tóxicos, há outras tecnologias mais eficazes. Quem vai pagar por isso? Dessa vez haverá punições e leis mais rígidas?

Uma cidade enlutada

A prefeitura de Brumadinho comunicou hoje pela manhã que a barragem da Vale “saiu do nível de risco II (dois) e voltou para o nível I (um). Ao se romper, a lama atingiu o refeitório e prédio da mineradora, a pousada Nova Estância, casas, fazendas centenárias e toda a vegetação ao redor. Centenas de animais atolados, e os que não podem ser resgatados são abatidos com um tiro. Triste cenário.

Muitas pessoas estão desaparecidas: funcionários da Vale, moradores e turistas que estavam na pousada. Desde o momento da tragédia, a região conta com 200 bombeiros militares especialistas, de Minas Gerais e de outros Estados.  É incansável o trabalho desses heróis brasileiros! Também são heróis, os civis que estavam no local no início da tragédia e que conseguiram resgatar pessoas até a chegada do helicóptero dos Bombeiros.

 

Velórios em andamentos

A prefeitura também disponibiliza pontos de velório com assistência médica e psicológica. Até da tarde de hoje, 28, ocorreram três sepultamentos no cemitério Parque das Rosas. Abaixo segue as informações sobre os locais dos velórios das vítimas da barragem:

brumadinho_prefeiturasitelocaisvelorios

 

Doações para Brumadinho

Atenção: faça doações em dinheiro somente para as contas oficiais para depósito abaixo:

brumadinho_contasbanco_prefeiturasite

 

 

Militares de Israel em Brumadinho

Já se encontra em Brumadinho, os 132 militares (soldados, oficiais e engenheiros especializados em resgate) vindos de Israel. Na bagagem trouxeram equipamentos como localizadores de sinal de celular, radares para água e sólidos, cães, câmeras, drones e máquinas hidráulicas para aumentar o potencial de busca.

Não há preço neste mundo que pague a generosidade, solidariedade e humanidade desses militares e do governo de Israel, que no primeiro momento da tragédia se colocou à disposição do Brasil. Ajuda bem recebida pelos governos federal e de Minas Gerais, e por toda nação brasileira que ainda lamenta pelas vítimas de Mariana (MG), tragédia também por causa de rompimento de barragem de resíduos tóxicos ocorrido há um pouco mais de três anos.

governadormg_reunião_militatesisraelenses_credtitogilleonardi_imprensamg_easy-resize.com
Crédito: Gil Leonardi/Imprensa MG

Segue informação do governo de Minas Gerais, por meio da Agência Minas: 

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, acompanhou nesta segunda-feira (28/1), em Brumadinho, a chegada das primeiras equipes de militares de Israel que vão ajudar nas buscas e salvamentos das vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho, ocorrido na última sexta-feira (25/1). Ele participou de uma reunião de alinhamento entre as forças de segurança do Estado e integrantes da delegação de Israel para definir como será o início dos trabalhos, ainda nesta segunda-feira.

“Estamos iniciando o trabalho junto com as forças do Exército de Israel. Vejo que, com a tecnologia deles, vamos aumentar a chance de encontrarmos novos sobreviventes e termos mais agilidade para encontrar vítimas, o que vai amenizar e muito a angústia que as famílias têm passado. Sei que palavras não satisfazem, mas compartilho as dores dos familiares e sou grato ao nosso pessoal que tem se empenhado muito, a Polícia Militar, a Polícia Civil, e o Corpo de Bombeiros, que têm feito o possível e o impossível. A partir de hoje, somando com as forças de Israel, esse trabalho vai ser ainda mais agilizado”, afirmou o governador em pronunciamento à imprensa. Após a reunião, ele fez um novo sobrevoo das áreas atingidas.

O comandante da tropa israelense, coronel Golan Vach, também chegou a Brumadinho e pontuou que os trabalhos começaram nas primeiras horas desta segunda-feira.

“Na primeira luz da manhã chegamos à área para ver onde entrar. Agora temos uma imagem do lugar e do que é preciso fazer. Nossa impressão é que os bombeiros estão fazendo um ótimo trabalho. É um lugar muito complicado e perigoso para trabalhar. Decidimos onde nossa delegação vai começar a atuar. Nossos primeiros militares já chegaram no local e o primeiro passo é fazer esforço para achar pessoas vivas. Isso vai ser feito por meio de aparelhos tecnológicos com sinais de celular. Espero que as encontremos e vamos trabalhar com radares para achar pessoas vivas ou vítimas fatais”, completou. (Governo de Minas Gerais//Fonte: Agência Minas)

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

*Foto de capa: barragem da Mina do Feijão, Brumadinho/MG. Foto tirada durante o sobrevoo do presidente Jair Bolsonaro na região, sábado, 26 de janeiro de 2019. Crédito: Isac Nóbrega/PR (Agência Brasil/EBC).

Ninho perdido

Curto-circuito no ar-condicionado pode ter sido a causa do incêndio que matou 10 atletas no Ninho do Urubu, no Centro de Treinamento do Flamengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 

A cidade do Rio de Janeiro, outrora ‘cidade maravilhosa’, ainda chorava pelos seus mortos da forte tempestade ocorrida na quarta-feira, 6/2, quando um incêndio de grande proporção, no início desta sexta-feira, ceifou 10 vidas, no módulo do alojamento do Centro de Treinamento George Helal, mais conhecido como Ninho do Urubu.

 

Segundo testemunhas, às 5h10 houve uma grande explosão e um fogo intenso. Os bombeiros chegaram ao local às 5h40. A causa mais provável é um curto-circuito num ar-condicionado localizado em um dos quartos e que foi se espalhando por todo alojamento que era ocupado pelos garotos jogadores das categorias de base do Flamengo (Sub-15 e Sub-17), o time com mais torcedores no país.

 

Sonhos interrompidos

Eram apenas garotos com sonhos de garotos que amam o futebol. Eram garotos que passaram por testes e peneiras até conseguirem entrar em um dos maiores clubes de futebol do mundo. Eram garotos de várias partes do país que deixaram o ninho familiar para viverem no Ninho do Urubu onde ganharam uma nova e grande família. Eram garotos que representavam o futuro do futebol profissional. Eram garotos que por meio do futebol queria dar uma vida melhor às suas famílias.

Esses garotos que tiveram todos os sonhos interrompidos eram Arthur, Cristian, Pablo, Vitor, Athila, Bernardo, Samuel, Rykelmo, Gedson e Jorge. Arthur faria 15 anos neste sábado, 8.

Os que ainda lutam bravamente pela vida são Jhonatan Ventura (14 anos), que tem 40% do corpo queimado e o seu estado é grave; e Francisco Diogo (15 anos), que também está internado no CTI, com quadro de saúde estável.

 

O garoto Cauãn Emanuel, de 14 anos, inalou muita fumaça e se encontra internado, porém, está lúcido e ja conversou com os pais e com a ex-presidente do Flamengo, Patrícia Amorim.

 

Investigações no CT

A polícia civil se encontra no Centro de Treinamento do Flamengo. Perícias serão realizadas para descobrir a causa do incêndio e buscar respostas sobre os motivos que não permitiram as vítimas fugirem do local. Também esclarecer toda nação brasileira se foi um lamentável incidente ou mais uma tragédia anunciada por falta de manutenção e prevenção. O módulo que pegou fogo seria desativado aos poucos ainda neste semestre.

 

*foto de capa: Fachada do CT do Flamendo. Divulgação/Crédito: Gilvan de Souza/Flamengo.

 

 

 

 

 

 

Quatro projetos para salvar Mato Grosso

Depois de uma longa reunião com deputados estaduais realizada no Palácio Paiaguás, o governador Mauro Mendes vai nesta quinta (10/01) à ALMT entregar os projetos de lei que buscam tirar um dos estados mais ricos do Brasil do buraco.

Parece um paradoxo: Mato Grosso é um estado rico e pobre ao mesmo tempo! Rico por ser o maior celeiro do agronegócio do país, e tem um potencial turístico que pode gerar milhões de reais por ano; e pobre porque mal consegue andar pelas próprias pernas e tem muitas dívidas por aí, ao ponto de ter de escalonar os salários de seus servidores. E o Estado precisa de seus servidores para continuar a arrecadar.

Quando Pedro Taques assumiu o governo, o Estado já passava por problemas e era uma questão de urgência realizar algumas reformas e mudanças de hábitos dentro do próprio governo. Com a mudança da empresa pública de tecnologia Cepromat para MTi, eu acreditei que Mato Grosso daria um salto gigantesco no setor, atraindo parcerias internacionais  e que arrecadaria muito dinheiro (os melhores analistas de sistemas do Estado estão nesta empresa!).

Enquanto muitas Secretarias tinham de economizar papel higiênico e copos descartáveis (eu vi isso!), os gastos com publicidade governamental eram espantosos – inclusive, foi neste governo que houve um aumento considerável de recursos para o Gabinete de Comunicação (GCom). Também aconteceu algo bem estranho: a ocupação de cargos chaves no governo por pessoas que nunca haviam morado no Estado antes e, que eram ligadas ao PSDB. Eu poderia listar muitos outros motivos que podem ter levado o Estado a esse momento lamentável, como o governador ter virado às costas para o Estado quando foi trabalhar na campanha de Wilson Santos, que disputava a prefeitura de Cuiabá. Isso foi uma falta de respeito e de responsabilidade com todos os eleitores que acreditaram que teriam um governante focado nos problemas do Estado.  Isso sem falar na ‘grampolândia’ – um escândalo vergonhoso! E quantas pessoas foram presas? Dezenas!! E o povo não perdoou, Wilson perdeu de lavada para Emanuel Pinheiro e, Taques perdeu para Wellington Fagundes (Fagundes perdeu para Mauro Mendes). Silval Barbosa errou muito, e Pedro Taques que poderia ter feito o melhor e não fez, por isso, errou muito mais.

Mauro Mendes começa governar após dois péssimos governos. O cenário atual do Estado pode ser um tema para um filme de ficção pós-apocalíptico: tudo quebrado, ao Deus dará, sem dinheiro, endividado e mal falado. O governador é o herói que salva todo mundo? Não! Deixemos os atos de heroísmos para o Cinema ou para a Literatura. A vida real dentro do governo estadual é bem mais parecida com os contos de Nelson Rodrigues – quase sem final feliz. Mauro Mendes terá de ter muita sabedoria para montar uma força-tarefa, ter muita diplomacia para dialogar com os deputados da Assembleia Legislativa, e também saber dialogar com o seu servidor público (idem o Fórum Sindical). Cortar gastos é vital, e podia começar com os salários do alto escalão do governo e manter um staff de comissionados enxuto – mas sem prejudicar a governabilidade. Pedir para o servidor economizar água, copos e papel higiênico não vai salvar Mato Grosso!

 

Os quatro projetos de lei

Na manhã desta quinta-feira, dia 10, o governador Mauro Mendes estará na Assembleia Legislativa para protocolar quatro projetos de lei que visam mudar os rumos do Estado de Mato Grosso: Reforma Administrativa; a reedição do Fundo Estadual de Transportes e Habitação (Fethab); Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e dos critérios para a concessão da Revisão Geral Anual (RGA). Sem a aprovação desses projetos pelos deputados, o Estado de Mato Grosso pode ir à falência. Agora será a hora do eleitor mato-grossense descobrir se valeu a pena votar naquele (a) deputado (a).

 

 

Em tempo:

Acontece nesta quinta-feira, 10, às 14h, na Assembleia Legislativa (ALMT), uma audiência pública para debater o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2019. O evento continua na sexta, 11, às 9h.  Segundo a Secom-MT, a Secretaria de Planejamento (Seplan) vai apresentar a peça orçamentária proposta pelo Executivo, que estima a receita e fixa as despesas do Estado para o exercício financeiro seguinte.

 

Serviço

Evento: Audiência Pública do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2019

Data: 10 e 11/01 (quinta e sexta-feira)

Horários: 14h, na quinta// 9h, na sexta

Local: auditório “Deputado Milton Figueiredo”, Assembleia Legislativa, em Cuiabá.

 *Foto de capa: Praça das Bandeiras, Cuiabá/MT. Crédito: GCom/2016

Projetos de Lei na ALMT

Governador marca almoço com deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso para discutir sobre os projetos de lei que serão protocolados nesta quinta-feira (10/1).

 

Era para ter sido ontem a tarde, 08/01, a ida do governador Mauro Mendes à ALMT para protocolar os projetos com propostas de mudanças e melhorias no Estado, em seguida faria um pronunciamento aos deputados no plenário e depois, concederia uma entrevista coletiva. Era pra ser, mas não foi. O cancelamento desta importante agenda pegou a imprensa de surpresa, e tinha até jornal que contava com a pauta para fechar a edição do dia.

O governador decidiu fazer a mesma coisa que o seu antecessor fez: conversar com os deputados antes de protocolar os projetos. Essa conversa pode ser decisiva em muitos aspectos – até mesmo ocorrer modificações de última hora. A questão crucial é que esses projetos não podem ser rejeitados: o destino do Estado recordista no agronegócio e um dos mais ricos do país está na mãos dos deputados da Casa da Democracia.

Os projetos são resultados das apurações e ‘pentes-finos’ que a equipe de transição (antes da posse e encontraram um Estado “quebrado”) e a equipe do novo governo realizaram, como o projeto do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). É bem provável que também há um projeto de lei que extingue algumas empresas públicas. A equipe do governador também detectou que há servidores que recebem “super salários” (não compatível com a função que exerce). Sobre os projetos que serão apresentados na ALMT, o governador ressalta que,

são leis importantes que serão debatidas com a Assembleia Legislativa e com os setores envolvidos, dentro da Assembleia. Lá é a Casa da Democracia, que representa todos os segmentos, e tenho certeza que serão aprovadas porque são imprescindíveis para tirar Mato Grosso do buraco” (fonte: Secom/MT).

 

 

Almoço indigesto?

Neste momento, governador Mauro Mendes se reúne em seu gabinete, no Palácio Paiaguás, com todos os deputados da ALMT, desde as 11h, para mostrar os projetos de lei. Também pode acontecer um almoço, previamente combinado com os deputados (informação ainda não confirmada pela Assessoria de Comunicação do Estado-Secom/MT). O que não ficou claro é se nesse encontro de hoje, o governador irá entregar os projetos.

 

Projetos na ALMT

Está marcada para a manhã de quinta, 10/01, a entrega dos projetos de lei do novo governo do Governo do Estado de Mato Grosso, onde também serão protocolados. Está previsto um pronunciamento de Mauro Mendes no plenário e aí sim, acontece a tão aguardada coletiva de imprensa. E que assim seja!

 

*Foto de capa: Fachada Palácio Paiaguás/fonte: Sefaz

Teatro de Sombras em Cuiabá

Grupo Penumbra apresenta nesta sexta, 11/01, o espetáculo ‘A Vila de Pantolux’, no Cine Teatro Cuiabá (CTC).

A arte de contar histórias com o uso de bonecos de sombra é muito antiga e, segundo os historiadores, sua origem vem da China e se espalhou por vários países da Ásia, até chegar na Europa, onde fez muito sucesso e inspirou os primeiros experimentos que levaram à criação do Cinema.

Séculos se passaram e tecnologias para o entretenimento surgem todos os dias, porém, o Teatro de Sombras continua a encantar o mundo com a sua simplicidade em contar histórias, e ao mesmo tempo, tem o poder de prender a atenção de quem assiste – como se estivesse vendo numa sala de cinema, um filme do super-herói preferido.

 

Cuiabá tem Teatro de Sombras

 Criado em 2018, durante o Projeto de Teatro de Formas Animadas, realizado pelo Sesc Arsenal (Cuiabá/MT), o Grupo Penumbra pesquisa e produz peças teatrais por meio do Teatro de Sombras – uma das vertentes do Teatro de Animação. Durante a participação no Projeto, o grupo contou com a orientação de dois importantes nomes do Teatro de Sombra: Rafael Curci, de São Paulo; e Alexandre Fávero, do Rio Grande do Sul. Além de realizarem três apresentações durante o evento, o grupo fez a sua estreia profissional na Semana de Formas Animadas, do Sesc Arsenal.

 

‘A Vila de Pantolux’

Partindo da vontade de falar de ciência, em estudos de geração de eletricidade que abastece uma população, chegamos a figura de uma usina hidrelétrica, com isso achamos então o mote para nossa história, na qual acompanhamos uma vila do interior, que sente necessidade de cada vez mais consumir energia e até que ponto é possível? Uma mãe, um filho e um amigo que nos conduz nesse enredo.” (sinopse)

 

Ficha Técnica

Conheça a galera que faz o Teatro de Sombras acontecer em Cuiabá:

Elenco-Sombristas: Elton Martins, Jair Junior, Jone Sayd e Julio Rocha;

Direção: Juliana Graziela;

Dramaturgia: Grupo Penumbra;

Sonoplastia: Jair Junior;

Iluminação: Julio Rocha;

Criação de figuras: Jone Sayd e Grupo Penumbra;

Produção artística e executiva: Juliana Graziela.

 

Espetáculo por uma boa causa

O Grupo Penumbra apresenta ‘A Vila de Pantolux’ nesta sexta-feira, 11, às 20h, no Cine Teatro Cuiabá (CTC). Além do objetivo divulgar o Teatro de Sombras, o espetáculo também visa angariar recursos com a venda dos ingressos para que o grupo teatral possa viajar até o Rio Grande do Sul para participar da residência artística ‘Territórios Desconhecidos – Vivência no Teatro de Sombras’, que está em sua sexta edição.

O evento ocorre entre 20 a 27 de janeiro, no Espaço de Residências Artísticas Vale Arvoredo, na região serrana de Morro Reuter. Além das passagens aéreas, o grupo precisa custear as inscrições (que são individuais) e que inclui a hospedagem e a alimentação nesses oito dias de imersão teatral.

Os integrantes do Grupo Penumbra terão a oportunidade de conviver com artistas vindos de muitos lugares do país. Eles exercitarão em grupos, práticas e estudos sobre o teatro de sombras moderno, com uma metodologia exclusiva e multidisciplinar organizada e ministrada pelos integrantes da Cia Teatro Lumbra (RS), um coletivo que é referência internacional nessa linguagem. O convite para participar da residência partiu de Alexandre Fávero (RS), diretor da Cia.

 

 

Ajude o Grupo Penumbra

Você pode ajudar o Grupo Penumbra participar da residência artística comprando os ingressos para prestigiar o espetáculo ‘A Vila de Pantolux’. Também pode contribuir por meio de patrocínios empresariais e doações particulares. Para mais informações, entre em contato com a atriz Juliana Graziela (diretora e produtora do Grupo Penumbra):

E-mail: julianagrazielarocha@gmail.com

Tel: (65) 99304.5542

 

Serviço

Espetáculo ‘A Vila de Pantolux’

Local: Cine Teatro Cuiabá

Data: 11 de janeiro de 2019

Horário: 20 horas

Ingressos: R$ 10,00 meia e R$ 20,00 inteira

OBS: O horário de funcionamento da bilheteria do Cine Teatro Cuiabá: de terça à sexta-feira, das 14h às 18h. Também será vendido no dia do espetáculo, uma hora antes.

Classificação: Livre

Informações: (65) 99304-5542