Jingle Bell Rock

Conheça a história da música natalina mais famosa do mundo!

 

“Jingle bell, jingle bell, jingle bell rock

Jingle bells swing and jingle bells ring

Snowing and blowing up bushels of fun

Now the jingle hop has begun”

 

Não precisa saber inglês para sentir que Jingle Bell Rock é uma linda canção que nos faz sentir o espírito natalino – em qualquer época do ano.

A música é tão a cara do Natal que é compreensível que esteja nas trilhas sonoras de muitos filmes – principalmente aqueles que têm como cenário Nova York.

A música foi composta pela dupla Joe Carleton Beal (falecido em 1967) e James Rosse Boothe (conhecido como Jim Boothe, falecido em 1976), na primeira metade da década de 1950.

 

Um canção bem ‘cantada’

BobbyHelms_disco
Reprodução

 

Com mais de 40 versões produzidas, sendo a primeira e mais famosa é a do cantor Bobby Helms, gravada em 1957 – bateu recordes de vendas e de pedidos nos  programas de rádios líderes de audiência mundo afora.

 

 

 

 

Até o roqueiro Billy Idol cantou a canção em 2006. A mais atual é a da cantora Lindsey Stirling, de 2017. No Brasil, a canção ganhou uma versão em português na voz da cantora Celly Campello.

 

Minhas versões preferidas!

Eu gosto tanto desta canção, que já devo ter ouvido quase todas as versões existentes! As  minhas preferidas são a de Bobby Helms, e da Brenda Lee (lançada em 1964, e relançada em 1966). Delícia é ouvir também as versões da Laura Pausini e a do elenco da série Glee!

 

Confira abaixo algumas versões da música:

1966 – Wayne Newton

1983 – Hall & Oates

1992 – Randy Travis

2002 – Hilary Duff

2004 – Aly & Aj

2005 – Girls Aloud

2010 – Jake Zyrus

2012 – Blake Shelton

2013 – Laura Marano

 

Uma canção feita para o Cinema

jinglebellrock_MeninasMalvadas
Cena de “Jingle Bell Rock” – Meninas Malvadas. Reprodução

 

 

 

 

 

 

Jingle Bell Rock ganhou novos fãs em 2004, ao ganhar uma homenagem na cena icônica do filme Meninas Malvadas (Mean Girls), quando a terrível Regina George ao lado de suas “comandadas”, vestidas de mamãe Noel se apresentam num evento natalino da escola. A versão escolhida foi a de Brenda Lee. Até hoje, essa cena é lembrada por fãs do filme em todo mundo!

 

E por falar em Cinema, a música também fez parte da trilha sonora dos filmes Esqueceram de Mim, Meu Presente de Natal 2, Máquina Mortífera (com Mel Gibson). Muitas séries de TV também fazem referência nos episódios natalinos, como aconteceu em Glee.

Anúncios

Músicas que ouvi…

…Depois do jogo Brasil x Bélgica

Uma sensação de ressaca sem ter bebido uma gota de álcool, foi assim que eu me senti depois dos dois gols que levaram a Bélgica para a Semi-final da Copa do Mundo na Rússia. Eu já tinha comido um chocolate belga na tentativa de adoçar o amargor da derrota, mas não resolveu muito não!

Decidi trabalhar um pouco, afinal, estou anos-luz de distância dos salários dos jogadores da seleção. Sou operária da arte e do jornalismo, e trabalhar é o que me resta…ou pensando bem, eu posso trabalhar enquanto proponho uma brincadeira com a minha filha Bianca e a sua amiga Rafaela: ouvir algumas músicas listadas no livro “1001 Discos para ouvir antes de morrer”. Cada uma de nós dirá um número (referente a uma página), e veremos qual disco/cantor se refere e as músicas selecionadas pelos críticos. Antes de começar, deixei bem claro que não podiam desistir de ouvir as músicas, seria uma boa oportunidade de ouvir algo diferente.

 

MarvinGaye_Easy-Resize.com

 

Enquanto eu ficava no computador, as meninas, sentadas no chão da sala, pintavam Aquarela. A primeira a escolher foi Rafaela, e o número citado caiu no disco de Marvin Gaye, “What’s Going On”.

 

 

joanBaez

 

Na vez da Bianca, o disco foi “Joan Baez”. Foi uma delícia ouvir as músicas de Baez e ver as meninas aquarelando, e uma coisa ficou definitivamente clara: música boa não tem prazo de validade! Além das músicas sugeridas no livro, ouvimos mais três músicas com Baez: Blowin in the wind; Guatanamera e Gracias a la Vida.

 

 

 

JustinTimberlake_Easy-Resize.com

Na minha vez, o número que escolhi levou à página com Justin Timberlake (disco “Justified”). Amei o disco!

 

 

John Mayall's Blues Breakers with Eric Clapton_Easy-Resize.com

 

Na segunda rodada, minha sobrinha Ariadny (via vídeo) entrou na brincadeira e a página caiu no disco “John Mayall’s Blues Breakers with Eric Clapton”.

 

YardBirds_Easy-Resize.com

Essa experiência musical foi um vasculhar nos tempos do “arco da velha”…hahaha. E só foi possível, graças ao Youtube que possibilitou o acesso a todas as músicas e a oportunidade de vermos imagens antigas e conhecermos os artistas de uma forma mais intimista. Eram jovens cantando canções com mensagens tão atuais!

Para quem quiser brincar não precisa ter o livro, as músicas podem ouvidas por meio de lembranças, numa pesquisa no google, ou escrever alguns nomes (ou letras) num papel e sortear. São muitas possibilidades para vivenciar a experiência de ouvir boas músicas e compartilhar com a garotada que nasceu conectada com o o mundo virtual, não sabem o que era a expectativa de comprar um disco, uma fita-cassete ou cuidar da agulha do toca-discos como se fosse a própria vida!

Sobre o livro

“1001 Discos para ouvir antes de morrer” está na estante da família há 10 anos. É um tipo de livro que sempre deve estar sempre por perto porque sempre terá um disco legal que você nunca ouviu ou que ouviu anos atrás. Citando um trecho do livro:

Escrito por 90 jornalistas e críticos de renome  internacional, este livro faz uma justa homenagem a todos aqueles que influenciaram o meio musical. Além de acompanhar o desenvolvimento da indústria fonográfica – dos discos de 75 rpm aos modernos CDs -, você vai descobrir como os álbuns foram aceitos pela crítica e que impacto causaram no público.

(Robert Dimery, escritor e editor, e Michael Lyndon, jornalista e um dos fundadores da revista Rolling Stone)

Discos Ouvidos por indicação do livro

Nesses anos eu ouvi muitos discos recomendados pelos jornalistas e críticos do livro (geralmente escolhendo aleatoriamente um número e buscando a página). Muitas músicas eu já ouvi no decorrer da vida, independente do  livro). São 1001 discos listados e eu não consigo lembrar de todos agora, então, citarei alguns e vou atualizando aos poucos (sempre acessem este post, eu acrescentarei mais discos ouvidos). Os discos/músicas podem ser vistos no youtube:

Frank Sinatra – disco “In The Wee Small Hours (1955)

Elvis Presley – disco “Elvis Presley” (1956)

Joan Baez – disco “Joan Baez” (1960)

The Byrds – disco “Mr. Tambourine Man (1965)

John Mayall’s Blues Breakers – disco “John Mayall’s Blues Breakers” (1966)

Marvin Gaye – disco “What’s Going On” (1971)

Patti Smith – disco “Horses” (1975)

Talking Heads – disco “Talking Heads:77” (1977): ouça ‘Psycho Killer’

Michael Jackson – “Off de Wall” (1979)

Michael Jackson – “Triller” (1982): ouça o disco todo!!

Justin Timberlake – “Justified” (2002)

Bônus Timberlake: Love never felt so good (com Michael Jackson)

Meu pulso, pulsa música

NewKidsOnTheBlock_Easy-Resize.com
Ouvindo “Please Don’t Girl” na vitrola! Salve, New Kids On The Block!!! Crédito: Bárbara Fontes.

 

Domingo passado, Bianca e Rafaela assistiram uma live no canal da Villa Mix, o show do jovem cantor canadense Shawn Mendes, em Goiânia, capital de Goiás (no Centro-Oeste do Brasil). Observando (e rindo) as duas cantando eufóricas, como se estivessem lá no show, lembrei-me da minha adolescência ouvindo e cantando tão eufórica quanto elas, as bandas A-ha e New Kids On The Block. Eu não me importo da minha filha ter os seus ídolos juvenis, eu também tive e essa fase passa. Em casa não ouvimos músicas que tenham forte conotação sexual ou que denigrem a imagem das mulheres, e já mostrei para a minha filha que temos ótimos Funks.

Ouvir música aqui em casa é como respirar: é necessário todos os dias! Eu sou do tempo em que minha mãe fazia a faxina aos sábados e botava os filhos pra ajudar e a música (alta por sinal) nos guiava entre uma vassorada e outra (com algumas paradas para dançar, sem a mãe ver, claro!).