3º Prêmio Veja Comer & Beber Cuiabá

3ºEdição_PrêmioVejaComer&Beber_BárbaraFontes
Foto: Bárbara Fontes

O tempo passou tão depressa e, de repente, um ano havia se passado desde a última edição do Prêmio da revista Veja Comer & Beber Cuiabá. A terceira edição aconteceu no mês de maio (15), no Espaço Stelata, do Buffet Leila Malouf. É o mais importante prêmio de gastronomia do país, e pela segunda vez consecutiva, Cuiabá abre a temporada de premiações dos melhores endereços gastronômicos locais em três categorias: Comidinhas, Bar e Restaurante, além de delivery, voto do leitor e empreendedor Santander. Essas categorias foram definidas pela redação da revista Veja Comer & Beber, com sede na capital de São Paulo.

 

 

“Todo ano a gente procura olhar o que está acontecendo na cidade e mudar um pouco as categorias. A gente observa o movimento da cidade e na hora em que a gente decide quais prêmios a gente vai dar, olhamos para isso. A gente viu que apesar da crise, dos últimos meses difíceis, abriram muitos restaurantes, então a gente lançou a categoria “Novidade do Ano”, para privilegiar quem está se arriscando a investir num momento desses. Outra categoria nova que a gente fez e acho que é uma tendência mundial, “A Melhor Refeição Saudável”, não é necessariamente para um restaurante vegetariano ou vegano, mas para o estabelecimento que tenham opções para quem não quer comer carne ou que queira uma refeição com alimentos orgânicos”, disse Mônica Santos, editora da revista Veja Comer & Beber e coordenadora do prêmio, para o Blog da Bárbara Fontes.

 

 

Foi uma noite de muitas torcidas e emoções que premiou nomes consagrados como o Mahalo e Haru, e estabelecimentos que foram indicados pela primeira vez, como o Serra Grande – A Casa da Cerveja. O Mahalo Cozinha Criativa, que tem à frente a chef Ariani Malouf, venceu pelo terceiro ano consecutivo (já pode pedir música para o Fantástico!) o prêmio Veja Comer & Beber nas categorias “Melhor Restaurante da Cidade” e “Melhor Variado/Contemporâneo’.

 

 

3ºEdição_PrêmioVejaComer&Beber3_BárbaraFontes
Foto: Bárbara Fontes

Cuiabá não deixa nada a desejar em relação aos grandes centros gastronômicos, há estabelecimentos que merecem muitas estrelas Michelin (é considerado o guia mais respeitado do mundo  e premia os melhores restaurantes, classificando-os com estrelas – de 1 a 3.*). A capital de Mato Grosso completou 300 anos em 8 de abril e possui diversidade gastronômica que vai da peixada mais tradicional do São Gonçalo Beira-Rio (onde nasceu Cuiabá) aos restaurantes contemporâneos – aqueles que servem comidas que assistimos no Masterchef e outros reality shows de culinária. Cuiabá tem comida, salgados, bebidas, doces, carnes vermelhas e brancas, frutos do mar, vegetarianos e veganos para todos os gostos e bolsos.

 

Como funciona a premiação

O júri é composto por artistas, esportistas, profissionais da comunicação e do cinema, professores de Gastronomia; servidores públicos e profissionais liberais que moram em Cuiabá, num total de 29 pessoas. Eles elegeram os melhores Bares, Restaurante e Comidinhas. Então, os resultados são tabulados em ordem decrescente: os jurados escolheram os três melhores em cada uma das categorias. Com essas informações, a redação da revista Veja Comer & Beber atribui uma pontuação a cada uma das posições, sendo: 5 pontos para o 1º colocado; 2 pontos para o 2º; e 1 ponto para o 3º colocado. “A soma dos pontos determinou os três primeiros lugares” (revista Veja Comer & Beber Cuiabá 2019, página 8).

Para eliminar os empates, a redação teve como critério inicial, o número de menções na tabela do juri, sendo assim, o vencedor é aquele que foi citado por mais pessoas do juri. Se os empates permanecem, a próxima solução é levar em conta a posição na tabela – quantas vezes o estabelecimento ficou em primeiro, segundo ou terceiro lugar. Caso os empates continuam, a última solução é o voto de minerva dado pela equipe da revista Veja, apoiada em avaliações in loco.

Como acontece todos os anos, o banco Santander elege o “Empreendedor do Ano”. Este ano foram inseridos mais duas votações: a online (voto do leitor) e a de “Melhores Serviços de Delivery (categorias Comida Brasileira; Pizzaria e Hambúrguer) patrocinado pelo Ifood”.

 

Novos indicados ao prêmio

Um dos meus locais favoritos em Cuiabá, o Gabinete Antes do Café foi um dos indicados na categoria. O Gabinete é um lugar aconchegante que reúne boa comida, bebidas, sobremesas, música, brechó, sebo e uma decoração linda! É tudo de um bom gosto. Na noite de premiação, o Blog da Bárbara Fontes conversou com as proprietárias Soraia Morão (mãe do querido ator Thyago Mourão) e Juliana Albernaz:

 

WhatsApp Image 2019-05-16 at 4.33.11 PM
Foto: Helder Faria

“Foi uma surpresa porque a gente faz as coisas tão sem pretensão de nada e a gente nem sabe da repercussão que a gente tem. Então foi uma surpresa”, disse Soraia. “O fato da gente ser indicado já é um prêmio pra gente. Estamos muito felizes”, afirma Juliana Albernaz que também complementa “A ideia do Gabinete Antes do Café é que a casa é sua”.

 

 

O Melhor Bolinho de arroz: “É o Amor!”

Não foi novidade para os convidados que acompanharam a premiação, quando o jornalista e apresentador do SBT, Daniel Adjuto chamou ao palco a dona Eulália para receber o prêmio de “Melhor Bolinho de Arroz de Cuiabá”. É a terceira vez consecutiva que o estabelecimento “Eulália e Família” recebe o prêmio Veja Comer & Beber Cuiabá. Muito emocionada, a mais famosa quituteira de Cuiabá repetiu no palco o que alguns minutos antes ela havia me dito: “É muita Emoção!”. Quando Daniel perguntou sobre o segredo da receita, ela humildemente respondeu “É amor!”. O “Eulália & Família” é um local que deve ser ponto obrigatório para quem for visitar Cuiabá e para quem sai da primeira missa (às 4h30) na Igreja do Rosário e São Benedito.

 

veja-6
Foto: Helder Faria

Dona Eulália é uma fofura de senhorinha de 85 anos que dedicou a sua vida aos quitutes tradicionais cuiabanos. Eu frequento o estabelecimento desde quando dona Eulália acordava às 4 da manhã para colocar a mão na massa. Em 2008, eu estive no “Eulália & Família” bem cedinho com uma equipe de filmagem para a gravação de um documentário sobre a Cultura e Turismo de Mato Grosso, e dona Eulália estava à frente do forno quente. Quando terminamos, ela preparou um pacote com pães de queijo, francisquitos (feito de polvilho) e bolinhos de arroz e me entregou. Eu perguntei quanto custava e ela me respondeu que não custava nada e que ficou preocupada com a equipe – que ainda tinha o dia todo para filmar em outras locações – e preparou os quitutes para nós. Ela também nos disse que era uma forma de nos agradecer por termos estado lá. A equipe ficou emocionada com carinho e preocupação, e a honra de estar com ela foi toda nossa!

 

Chef celebridade

Indicado pela terceira vez como “Melhor Chef”, Hugo Rodas experimentou algo diferente nesta terceira edição do prêmio Veja Comer & Beber Cuiabá: a sua chegada e permanência na premiação foi notada por muitos convidados. Alguns se aproximaram para cumprimentá-lo, outros queria conversar e também tirar fotos. O motivo de tanto assédio é que Hugo é participante do reality Show “Fecha a Conta”, do programa da Ana Maria Braga. Ele é um dos finalistas. O resultado será revelado no programa ao vivo, nesta segunda (20), a partir as 9h, horário de Brasília.

Muito simpático e acessível, Hugo conversou com o Blog da Bárbara Fontes sobre a sua carreira como chef de cozinha, proprietário do badalado restaurante Seu Majó e também sobre a sua participação no Fecha a Conta. Foi um bate-papo muito bacana e que estará disponível no Blog, a partir desta segunda-feira.

 

Confira os finalistas e os vencedores (em negrito):

 

COMIDINHAS

O Melhor bolinho de Arroz: Chá com Bolo Cuiabano Tia Fran; Eulália e Família; Bolo de Arroz & Companhia

O Melhor Café: Amado Grão; Café & Prosa; Gabinete antes do Café

A Melhor Doceria: Fábula Doces; Magrello; Simone Klauk Pátisserie

O Melhor Háburguer: Cozinha dos Fundos; Jymmy Burguer; Rock Burguer

A Melhor Padaria: Bakehouse 44; Sorella; Studio do Pão

O Melhor Sorvete: Alaska; Matteo Gelato Criativo; Nevaska

 

BARES

O Melhor Boteco: Bar do Edgare; Bar do Jarbas; Fundo de Quintal

A Melhor Carta de Cervejas: Hookerz; Serra Grande A Casa da Cerveja; Sumérios Templo Cervejeiro

O Melhor Gastrobar: Mezada Baricoz; Talavera Bar e Restaurante; Varadero Bar e Restô

A Melhor Happy Hour: Armazém Mamur; Bar das Águas; Ditado Popular

O Melhor Bar para Ir a Dois: Porão Parrilla y Tragos; Talavera Bar e Restaurante; Varadero Bar e Restô

 

RESTAURANTES

A Melhor Carne: Açougue 154; Grand Toro Steakhouse; Meat’s Grill

O Melhor Japonês: Haru Oriental; Japô Casa; Santô Oriental

A Melhor Pizzaria: Gato Mia Pizzaria; Padrino; Santa Oliva Pizza Restô

A Melhor Receita de Pintado: Lélis Peixaria; Mirante das Águas; Restaurante e Peixaria Okada

A Melhor Refeição Saudável: Arado Natural; Body Chef; Raposa Vegana

O Melhor Variado/ Contemporâneo: Flor Negra; Mahalo; Seu Majó

Novidade do Ano: Arado Natural; Coco Bambu; Outback

O Melhor da Chapada dos Guimarães: Atmã; Bistrô da Mata; Pomodori

 

O Melhor dos Melhores!

 

comer e beber-136
Mahalo é eleito “O Melhor Restaurante da Cidade” e Ariani Malouf agradece. Foto: Helder Faria.

 

 

veja-17
A editora da revista Veja Comer & Beber, com Carol Manhozo, eleita a chef do Ano. Foto: Helder Faria.

 

 

O Melhor Restaurante da Cidade: Flor Negra; Haru Cozinha Oriental; Mahalo

Chef do Ano: Ariani Malouf (Mahalo); Carol Manhozo (Flor Negra); Hugo Rodas (Seu Majó)

Chef Revelação: Nilvo Salvatori (Santô Oriental); Phellipe Jacob (Roostic); Silvério Cerqueira (Avec)

 

Informações adicionais

*Guia Michelin via Wikipédia.

**Esta reportagem também tem informações obtidas pela Assessoria de Imprensa Pau & Prosa, que também gentilmente forneceu fotos.

**Foto de capa: os vencedores da 3º edição do Prêmio Veja Comer & Beber Cuiabá. Crédito: Helder Faria/Pau E Prosa Comunicação.

 

Saiba mais:

Qual é o melhor bolinho de arroz de Cuiabá?, acesse aqui.

Os melhores de Cuiabá (2º edição do prêmio Veja Comer & Beber), acesse aqui.

O Blog experimentou (Outback Cuiabá), acesse aqui.

Expo-Ecos MT 2019

Acontece entre os dias 04 a 06 de junho, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá-MT, o Encontro Centro-Oeste dos Supermercadistas, Atacadistas, Distribuidores, Indústria e Food Service. O evento pretende movimentar em torno de R$ 35 milhões em negócios e gerar 1.500 empregos diretos e indiretos. O evento também vai movimentar o setor do turismo e da gastronomia com a vinda de centenas de turistas, expositores e participantes.

A Expo-Ecos MT 2019 reúne uma grande feira com 60 expositores, palestras e oficinas. A entrada é gratuita desde que se inscreva no site do evento com um CNPJ (link no final da matéria). A programação começa no dia 04 de junho, às 9h, para o Credenciamento dos participantes. A cerimônia de abertura começa às 14h, e a abertura da feira está marcada para às 15h.

 

Palestrantes ilustres

A Expo-Ecos MT 2019 está com uma programação imperdível de palestras com importantes temas para o setor. A palestra magna “Perspectivas na Economia Brasileira e impactos no setor” será ministrada no dia 04 de junho, pelo economista Ricardo Amorim, e custa R$ 80,00 para não associados, e R$ 40,00 para associados. Também são palestrantes, Eloi Assis, diretor executivo do segmento de Varejo e Distribuição da Totvs; Cristhiane Brandão, sócia consultora da Nunes Brandão Empresas Familiares; Alisson Rodrigo Gratão, gestor de recursos humanos do Grupo Sinagro Consultoria Empresarial; Alexandre Ribeiro, sócio fundador da R-Dias Especialistas em Varejo; e Darcy Holanda Mendes, Diretor de Marketing e Vendas da IREKS do Brasil. O autor do livro “Estratégia de venda e motivação de equipes para supermercados”, Frederico Gorgulho, também faz parte do time de palestrantes.

 

Oficinas

As oficinas realizadas pela Casa do Padeiro e pelo Senac acontecem todos os dias de evento e custam R$ 30,00 cada. É uma ótima oportunidade de capacitar, atualizar conhecimentos e aprender novas técnicas por um valor acessível.

 

Dados do Setor Atacadista/Distribuidor

Segundo a pesquisa mensal da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (ABAD), o setor, no âmbito nacional, mantém o processo de recuperação iniciado no fim do último trimestre do ano passado. O faturamento do atacado distribuidor cresceu 1,87% no primeiro trimestre de 2019, na comparação com o mesmo período de 2018, quando houve retração de mais de 4% no setor.

Em Mato Grosso, o setor abastece cerca de 62% do canal varejista do estado, gera mais de 40 mil empregos diretos e indiretos, possui uma frota de 10 mil veículos, e tem um faturamento anual em torno de R$ 5 bilhões.

 

Dados do Setor de Supermercados

Segundo o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), divulgado em 03 de maio, o primeiro trimestre de 2019 foi positivo para o setor, que registrou crescimento real 0,42% (deflacionado pelo IPCA/IBGE) em relação ao mesmo período de 2018. No Brasil há cerca de 89 mil supermercados (lojas) que geram 1,853 milhão de funcionários diretos. O faturamento está em torno de R$ 355,7 bilhões (em 2018), o que representa 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Em Mato Grosso há aproximadamente 2 mil supermercados que geram cerca de 100 mil empregos diretos e indiretos, com faturamento em torno R$ 10 bilhões.

 

 

Realização

A Expo-Ecos MT 2019 é realizado pela Associação de Supermercados de Mato Grosso (Asmat) – presidida por Alessandro Morbeck; pela Associação Mato-grossense de Atacadistas e Distribuidores (Amad) – presidida por João Carlos Sborchia; pelo Sindicato do Comércio Atacadista Distribuidor de Mato Grosso (Sincad-MT) – presidido por Sebastião dos Reis Gonçalves (Tião da Zaeli); e pelo Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Estado de Mato Grosso (Sincovaga) – presidido por Kassio Catena.

 

Café da manhã para a imprensa

Na terça-feira (14/05), a organização do Encontro Centro-Oeste dos Supermercadistas, Atacadistas, Distribuidores, Indústria e Food Service recebeu jornalistas para um café da manhã, na sede da Associação de Supermercados de Mato Grosso (Asmat). O lançamento oficial da Expo-Ecos MT 2019 foi apresentado pelos representantes do setor: Alessandro Morbeck, presidente da Asmat; João Carlos Sborchia, presidente da Asmad; Sebastião dos reis Gonçalves, o Tião da Zaeli; e Kassio Catena, presidente do Sincovaga.

 

ExpoEcos2019MT_Bárbara Fontes_Easy-Resize.com

 

Durante os três dias, a imprensa terá um espaço exclusivo para trabalhar e acompanhar toda programação. Na ocasião, o Blog da Bárbara Fontes perguntou sobre as sequelas e ensinamentos da maior greve de caminhoneiros da história do Brasil, ocorrida em maio de 2018, e a resposta foi que houve um grande impacto negativo para o setor, que levou cinco meses para voltar ao ritmo normal, e que por meio da greve se detectou que há uma grande dependência dos grandes centros produtores (95% dos produtos vendidos em Mato Grosso vem de São Paulo). Apesar de ser legítimo o protesto e a mobilização dos caminhoneiros, a paralisação causou muitos danos para todos os brasileiros, principalmente para quem revende, que recebeu poucos produtos com valores inflacionados, e também perdeu muita mercadoria que estragou na estrada. No final, quem pagou a conta alta foi o consumidor.

 

Serviço

ExpoEcos MT 2019

Dia: 04 de maio

Cerimônia de Abertura

Horário: 14h

Abertura da Feira

15h

 

Ingressos: Entrada gratuita desde que se inscreva no site do evento com um CNPJ

 

Palestra magna: Ricardo Amorim

Horário: 17h

Ingressos: R$ 80,00 para não associados, e R$ 40,00 para associados

Local: Centro de Eventos do Pantanal, Cuiabá-MT

 

 

Programação Completa

 

04 DE JUNHO (TERÇA-FEIRA)

09h – Abertura do Credenciamento

14h – Cerimônia de Abertura

15h – ABERTURA Oficial da Feira

17h às 18h – Palestra Magna: Perspectivas na Economia Brasileira e impactos no setor (Ricardo Amorim).

OFICINAS CASA DO PADEIRO

15h às 17h – Of. 01: Confeitaria

18h às 20h – Of. 02: Pães e Lanches

 

PALESTRAS E OFICINAS SENAC

15h às 17h – Palestra 01: A experiência que vende

18h às 20h – Of.01: Conheça os novos cortes e possibilidades da Carne Suína

20h às 22h – Talk Show: Conheça o programa Jovem Aprendiz

 22h – Encerramento da Feira

 

05 DE JUNHO (QUARTA-FEIRA)

13h – Abertura do Credenciamento

14h às 22h – Período da Feira

14h às 15h – Palestra 01: Tendências da Tecnologia no Varejo (Elói Assis)

15h30 às 16h30 – Palestra 02: 4.0 Gestão Comercial Inteligente (Alexandre Ribeiro)

17h às 18h – Palestra 03: Tendências de Saudabilidade na Panificação – (Darcy Holanda Mendes)

18h30 às 19h30 – Palestra 04: Tendências de consumo e estratégias de venda para o varejo – (Frederico Gorgulho)

OFICINAS CASA DO PADEIRO

15h às 17h – Of. 03: Pães rústicos e artesanais

18h às 20h – Of. 04: Pães rústicos e artesanais

PALESTRAS E OFICINAS SENAC

16h às 18h – Of. 02: Visual Merchandising

18h às 20h – Of. 03: Novos Cortes e Possibilidades Carne Suína

22h – Encerramento

 

 

 

06 DE JUNHO (QUINTA-FEIRA)

13h – Abertura do Credenciamento

14h às 22h – Período da Feira

14h às 16h – Palestra 05: Formação e profissionalização da família empresária

(Cris Brandão)

16h às 18h – Palestra 06: Como a Gestão de Pessoas pode auxiliar a gestão de sua empresa – (Alisson Rodrigo Gratão)

OFICINAS CASA DO PADEIRO

 

15h às 17h – Of. 05: Salgados e lanches

18h às 20h – Of. 06: Pães leves, integrais e pré-mistura de pão francês

PALESTRAS E OFICINAS SENAC

16h às 18h – Of.04: Carne Bovina: Novos cortes, novas possibilidade para agregar valor ao seu produto

18h às 20h – Of.05: Conheça os novos cortes e possibilidades da Carne Suína

20h às 22h – Of.06: Como atrair mais clientes mudando o layout do seu estabelecimento

22h – Encerramento

 

Saiba Mais:

Site da Expo-Ecos MT 2019, acesse aqui:

Inscrições, acesse aqui.

Matérias do Blog da Bárbara Fontes sobre a paralisação dos caminhoneiros em maio de 2018:

“O Dia em que o Brasil parou”, acesse aqui.

“Mais um dia de paralisação no Brasil”, acesse aqui.

 

 

 

*Esta matéria também tem informações sobre a Expo-Ecos MT 2019, por meio da Assessoria de Imprensa do evento: Cafeína Conteúdos Inteligentes

6º Semana ENEF

Acontece entre os dias 20 a 26 de maio, a 6º Semana de Educação Financeira.

O evento concentra as principais ações de educação financeira de entidades públicas e privadas. Em 2018, aconteceram quase 7.000 ações, de 280 instituições, alcançando mais de 4 milhões de pessoas em 1.134 cidades, em 26 estados e o Distrito Federal.

A Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF) é uma iniciativa do Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef) para promover a ações de educação financeira no país.

 

Concurso Cultural Quem Sonha, Poupa!

A programação da 6ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF) também conta com a ação educacional “Quem sonha poupa”, da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) integrada com Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú, Santander e Votorantim, que irá premiar cinco jovens entre 18 e 24 anos com cursos de inglês no exterior, no valor total de R$ 100 mil.

 

Segundo a FEBRABAN, o objetivo, que tem o apoio do Banco Central, é reforçar o conceito de educação financeira com foco no ato de poupar, para ampliar a compreensão sobre os produtos de investimento e ressaltar a importância da reserva financeira de médio e longo prazos como forma de realizar sonhos e metas. A ação também tem o apoio do CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola).

 

Serão 5 bolsas, uma para cada região do país, no valor de R$ 20 mil cada. Para isso, o participante terá de responder a um questionário de 20 questões, com respostas múltiplas. O material didático no site (link no final da matéria) servirá de base para a formulação das perguntas do questionário.

 

No dia 27 de maio, os organizadores divulgarão o ranking com os 50 mais bem colocados, divididos em grupos de 10 pessoas por região do Brasil. O resultado levará em conta o maior número de respostas corretas no menor tempo.  Até 31 de maio, os selecionados deverão enviar um vídeo inédito com depoimento pessoal, de, no máximo, dois minutos, onde relatarão o aprendizado com a ação educacional e como pretendem colocar em prática os conhecimentos adquiridos. A divulgação dos resultados ocorrerá em 1º de julho. Os cinco ganhadores terão 18 meses para agendar a viagem e o curso de um mês, que deverá ser feito em países de língua inglesa.

 

Saiba mais:

Site “Quem sonha poupa” acesse aqui.

Agenda oficial da 6º Semana ENEF acesse aqui.

*Matéria produzida com informações da Assessoria de Comunicação da FEBRABAN.

Concurso Público

Chamada de Concurso para a Universidade Federal de Santa Catarina.

Segue até o dia 31 de maio, as inscrições para selecionar candidatos para provimento do cargo de Professor da Carreira do Magistério Superior para o quadro permanente das Unidades Universitárias dos campi de Araranguá, de Curitibanos, de Joinville e de Florianópolis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). São dezenas de vagas para diversas departamentos e, segundo o edital, há duas vagas para o Departamento de Sociologia e Ciência Política, sendo uma para Sociólogos e outra para Cientistas Políticos (item 1.4.9.4.).

 

Remuneração

Tabela_concursoUFSC_1

 

 

Inscrições

Todos os campos de conhecimento, independentemente da reserva de vagas, poderão ter
inscrições de candidatos com deficiência, de candidatos negros ou ampla concorrência. Os candidatos podem se inscrever até o dia 30/05.

Os valores de inscrição dependem do cargo, denominação e regime de trabalho:

a) Professor Adjunto A/DE: R$ 260,63 (duzentos e sessenta reais e sessenta e três centavos).

b) Professor Adjunto A/40 (quarenta) horas: R$ 169,42 (cento e sessenta e nove reais e
quarenta e dois centavos).

c) Professor Assistente A/40 (quarenta) horas: R$ 121,32 (cento e vinte e um reais e trinta e dois centavos).

d) Professor Assistente A/20 (vinte) horas: R$ 76,51 (setenta e seis reais e cinquenta e um centavos).

e) Professor Auxiliar/DE: R$ 114,56 (cento e quatorze reais e cinquenta e seis centavos).

f) Professor Auxiliar/20 (vinte) horas: R$ 62,24 (sessenta e dois reais e vinte e quatro centavos).

 

 

 

Saiba mais:

UFSC_entrada
Reprodução/UFSC

Inscrições aqui.

*Foto de capa: prédio da UFSC. Crédito: Henrique Almeida

Hino de Mato Grosso

Conheça a história de um dos hinos mais belos do Brasil

 

Quando Dom Aquino Corrêa terminou o “Canção Mato-grossense” não imaginava que a obra literária atravessaria o século e se tornaria o hino oficial de Mato Grosso. O poema foi escrito para homenagear o bicentenário de Cuiabá, celebrado no dia 8 de abril de 1919. É importante ressaltar que durante décadas, a capital cuiabana (fundada em 1719) pertencia à Capitania de São Paulo e somente em 1748, com a nomeação do primeiro Capitão-general pela Coroa Portuguesa, Antônio Rolim de Moura, é criado o Estado, portanto, Cuiabá é legalmente mais velha do que Mato Grosso.

 

 

Em 1919, Mato Grosso era outro, assim como a sua capital. Não existia o estado de Mato Grosso do Sul e ainda se ouvia histórias sobre a famigerada Gerra do Paraguai, também conhecida como a Guerra da Tríplice Aliança ou a Grande Guerra. Iniciada em dezembro de 1864, matou milhares de brasileiros, inclusive mato-grossenses, e paraguaios até o seu término em março 1870. Ainda havia resquícios da guerra em Mato Grosso e a ferida não estava totalmente cicatrizada.

 

 

Francisco Aquino Corrêa, nascido em Cuiabá na mesma casa do político Joaquim Murtinho, hoje o Museu Dom Aquino, situado às margens do rio Cuiabá (na avenida Beira-Rio), fez questão de relembrar na obra “Canção Mato-grossense” os heróis cuiabanos que lutaram bravamente na Guerra do Paraguai. Se hoje, Corumbá e Dourados permanecem no território brasileiro é graças aos cuiabanos que deixaram as suas famílias para defender estas cidades tomadas pelas tropas do presidente paraguaio Francisco Solano Lópes, mentor e executor da Grande Guerra. Dom Aquino não queria que o povo mato-grossense se esquecesse dessa parte dolorida da história do Brasil. E nem dos bravos Antônio João Ribeiro, que comandou a colônia militar de Dourados, e  Antônio Maria de Coelho, que liderou a retomada de Corumbá em 13 de junho de 1865. Antônio Maria (Barão de Amambaí) foi o primeiro governador de Mato Grosso depois da proclamação da República, e também é o criador da bandeira do Estado. Na Cuiabá de 1919, também havia outra questão que tirava o sono de muita gente: já se falava, confabulava a respeito da divisão de Mato Grosso, e Dom Aquino era contra.

 

 

O Hino de Mato Grosso

Limitando, qual novo colosso,
O Ocidente do imenso Brasil,
Eis aqui, sempre em flor, Mato Grosso,
Nosso berço glorioso e gentil! 

Eis a terra das minas faiscantes,
Eldorado como outros não há,
Que o valor de imortais bandeirantes
Conquistou ao feroz Paiaguá! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu
Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal! 

Terra noiva do Sol, linda terra
A quem lá, do teu céu todo azul,
Beija, ardente, o astro louro na serra,
E abençoa o Cruzeiros do Sul! 

No teu verde planalto escampado,
E nos teus pantanais como o mar,
Vive, solto, aos milhões, o teu gado,
Em mimosas pastagens sem par! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu
Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal! 

Hévea fina, erva-mate preciosa,
Palmas mil são teus ricos florões;
E da fauna e da flora o índio goza
A opulência em teus virgens sertões! 

O diamante sorri nas grupiaras
Dos teus rios que jorram, a flux.
A hulha branca das águas tão claras,
Em cascatas de força e de luz! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu 

Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal!
Dos teus bravos a glória se expande
De Dourados até Corumbá;
O ouro deu-te renome tão grande,
Porém mais nosso amor te dará! 

Ouve, pois, nossas juras solenes
De fazermos, em paz e união,
Teu progresso imortal como a fênix
Que ainda timbra o teu nobre brasão! 

Salve, terra de amor,
Terra de ouro,
Que sonhara Moreira Cabral!
Chova o céu
Dos seus dons o tesouro
Sobre ti, bela terra natal!

 

 

Criado por meio do Decreto n. 38, de 03 de maio de 1983, pelo então governador Júlio Campos, após uma avaliação realizada entre os anos de 1982 e 1983, por uma comissão formada por Adauto Dias de Alencar, pelos jornalistas Pedro Rocha Jucá e Arquimedes Pereira Lima (que conviveu com Dom Aquino), Marília Beatriz de Figueiredo Leite (filha do desembargador e primeiro escritor Modernista do Estado, Gervásio Leite), e Lidio Modesto.  A missão da equipe de intelectuais e estudiosos da História e Cultura de Mato Grosso era reconhecer oficialmente ou não o Hino de Mato Grosso. O motivo era que o poema de Dom Aquino cita as cidades de Corumbá e Dourados que, com a divisão do estado em 1977, não pertenciam mais a Mato Grosso. Hoje, as duas cidades fazem parte de Mato Grosso do Sul. A comissão decidiu manter a letra original pelo valor histórico que possui. Segundo trecho do Relatório da Comissão,

 

“Mas o heroísmo dessas figuras não diz respeito apenas a Mato Grosso, e sim ao Brasil, nas circunstâncias por que passava a soberania nacional”

 

O Relatório completo está disponível para pesquisa na Superintendência de Arquivo Público de Mato Grosso. Segundo o documento, que revelou vários aspectos da letra do Hino de Mato Grosso, o termo “qual novo colosso”, na primeira estrofe faz uma comparação entre Mato Grosso e o Colosso de Rodes, uma das sete maravilhas do mundo antigo, e que já não existe mais. No trecho “teu progresso imortal como a Fênix”, representa o Estado que, mesmo passando por dificuldades, renascia sempre para o progresso. A alusão está presente também nos brasões de Cuiabá, e de Mato Grosso. Na mitologia grega, o pássaro Fênix é queimado e ressurge das cinzas.

 

 

MariliaBeatriz_fotoAhmad
Marília Beatriz. Foto: Ahmad Jarrah (acervo pessoal)

 

O Blog da Bárbara Fontes conversou com a advogada, escritora e ex-presidente da Academia Mato-grossense de Letras (AML), Marília Beatriz de Figueiredo Leite, que fez parte da comissão que analisou o Hino de Mato Grosso:

 

 

Blog da Bárbara Fontes: O Hino de MT é importante nos dias de hoje? Por quê?

Marília Beatriz: Toda solenidade deve ter uma celebração e nada melhor do que uma canção para apontar os fatos e os feitos significantes de um território.

 

Blog da Bárbara Fontes: No início da década de 1980, a senhora fez parte da Comissão que analisou o Hino de Mato? Qual era o objetivo? O que a Comissão decidiu?

Marília Beatriz: O objetivo era o estudo e a adequação do Hino ao momento histórico.
Havia ocorrido a divisão do Estado e assim era necessária uma avaliação conjuntural.
A comissão decidiu que devia permanecer como era. Se me lembro, eu fui voz discordante pois entendia que Dourados e Corumbá não pertenciam ao estado nascente.

 

Blog da Bárbara Fontes: Quando a senhora ouve o Hino de Mato Grosso, quais sentimentos lhe chegam?

Marília Beatriz: Quando ouço o hino sinto realmente uma emoção pelo amor que devoto ao estado que adotei e a terra dos meus pais.

 

Blog da Bárbara Fontes: Na sua opinião, o Hino de MT deve ser cantado nas escolas como uma obrigação ou somente em momentos festivos?

Marília Beatriz: Entendo que fazer do canto do Hino uma obrigação escolar é perder o sabor, o prazer da surpresa. O que é obrigatório deixa de ter emotividade e passa a ser mera prisão de nenhuma cidadania. O hino é saudação, celebração e como tal deve ser tocado, escutado em liberdade.

 

 

 

Dom Aquino Corrêa

Image
Foto: Missão Salesiana de Mato Grosso

Uma das maiores mentes de Mato Grosso, Dom Francisco de Aquino Corrêa foi o primeiro cuiabano a fazer parte da Academia Brasileira de Letras. Nasceu em 2 de abril de 1885. Foi o bispo mais jovem do Brasil e se tornou Arcebispo de Cuiabá. Fundou a Academia Mato-grossense de Letras e o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso. Publicou dezenas de livros como “Odes” e “Terra Natal”. Também foi governador do Estado entre os anos de 1818 à 1922. Faleceu na capital de São Paulo em 22 de março de 1956.

 

 

 

Memória Afetiva

HinoMT_bastidores2
Bárbara Fontes repassa a cena com os Nambiquaras. Foto: Acervo Pessoal

 

Em 2007, eu recebi uma das maiores missões da minha vida profissional: roteirizar e dirigir um videoclipe do Hino de Mato Grosso para o Sebrae-MT. Por meses, eu me debrucei nos acervos sobre Dom Aquino Corrêa e tudo o que envolve a história do hino. Assim nasceu a obra cinematográfica, exibida em quase todos os países do mundo, “Canção Mato-grossense”. O título do videoclipe é em homenagem a Dom Aquino, e mostra as belezas de naturais, a cultura popular e a vida moderna dos mato-grossenses, porém, se esquecer dos verdeiros donos da terra: os indígenas. A trilha sonora reúne os ritmos musicais presentes no Estado. Para realizar a obra cinematográfica foi necessário reunir uma equipe de 120 pessoas e foram utilizados os equipamentos mais sofisticados na época, como uma Redcam (câmera) vinda dos EUA, novidade em Hollywood e utilizada pelo cineasta Steve Spielberg.

 

HinoMT_bastidores
Bárbara Fontes e equipe filmam na Aldeia Nambiquara. Foto: Acervo Pessoal

Foi um importante marco para o Audiovisual mato-grossense que contou com o apoio  financeiro e logístico do Sebrae-MT que acreditou no projeto, e que apostou na contratação de uma cineasta mulher criada em Mato Grosso. É importante que eu cite uma pessoa que foi fundamental na escolha de meu nome para o Sebrae-MT: Magna Domingos – uma das mais importantes produtoras culturais do Brasil. Infelizmente, ela nos deixou no final de 2018. Minha gratidão à querida Magna!

 

 

Acesse o link do videoclipe “Canção Mato-grossense” – Hino de Mato Grosso aqui:

 

 

 

*Esta reportagem tem informações da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado de Mato Grosso (Secom-MT).

**Foto de capa: Bandeiras de Mato Grosso e do Brasil. Foto: Lenine Martins/Secom-MT

 

***Matéria publicada no dia em que Mato Grosso completou 271 anos, em 09 de maio de 2019.

Cinema

Cineasta participa da “Sessão Realizadores de Mato Grosso”, no Cine Teatro Cuiabá

 

Os fãs de “Cinema Documentário” têm a oportunidade de assistir no Cine Teatro Cuiabá, no dia 21 de maio, às 19h30, duas obras cinematográficas da cineasta premiada e jornalista Bárbara Fontes: o curta “Sayonara” e o longa “Vila Bela: Terra de Colores”. Após as exibições, a cineasta que iniciou na carreira em 1994, vai conversar com o público.  As exibições fazem parte da programação do evento “Sessão Realizadores de Mato Grosso”, do Cine Clube Coxiponés, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

 

“Sayonara”:

Sayonara_doc
Bastidores do documentário “Sayonara”. Acervo Pessoal de Bárbara Fontes

Fruto do curso Cinema Documentário: da teoria à prática, ministrado por Bárbara Fontes em parceria com a UFMT, por meio da Escola de Artes, do Cine Clube Coxiponés e da TV Universidade. A obra cinematográfica resgata as memórias da lendária casa de shows ‘Sayonara’, em Cuiabá. A direção geral é de Bárbara Fontes com a participação dos alunos do curso. O documentário participou de Festivais, Mostras de Cinemas e de Sessões Especiais no Brasil e no exterior.

 

 

“Vila Bela: Terra de Colores”:

Babi_VilaBela
Bárbara Fonte filma em Vila Bela da Santíssima Trindade (MT).

Premiado pelo programa nacional de fomento ao Cinema Documentário, o DOCTV (2º Edição), e tornou Bárbara Fontes, a primeira cineasta mulher de Mato Grosso a vencer o concurso. O documentário conta quatro histórias que se entrelaçam sobre a primeira capital de Mato Grosso, Vila Bela da Santíssima Trindade – da sua idealização em Portugal até os dias atuais. A obra cinematográfica é resultado de anos de pesquisa histórica realizada em Mato Grosso, no Rio de Janeiro e acervos em Portugal.

 

 

Bárbara Fontes:

Babi_arne_doc
Bárbara Fontes nas filmagens com o cineasta Arne Sucksdorff, em Estocolmo/Suécia (2001).

 

Bárbara Fontes é jornalista, cineasta documentarista, roteirista, produtora, fotógrafa e poetisa. Em 25 anos de carreira, trabalhou em mais de 60 obras audiovisuais, seja como diretora, roteirista, produtora, co-produtora ou como consultora. Entre as principais estão “Arne Sucksdorff: uma vida documentando a vida”; “Canção Mato-Grossense (Hino de Mato Grosso)”. Em 2017, dirigiu o vídeo-poema “A Mangueira”, que fez parte da exposição de arte “Natureza: Substantivo Feminino”. Atualmente trabalha na pré-produção (Pesquisa e elaboração do Roteiro Cinematográfico) do documentário “Pantaneiras” (as pesquisas se iniciaram em 1999) e na pesquisa histórica sobre as origens indígenas da sua bisavó, que pertenceu à etnia Puri, do Rio de Janeiro. Bárbara Fontes é editora do blogdabarbarafontes.com.

 

Babi_Nambikwara
Bárbara filma com os Nambiquaras (MT), em 2006.

 

Serviço

Babi_CineTeatroCuiaba_cinema_Capa

Sessão Realizadores de Mato Grosso: Bárbara Fontes

Filmes exibidos:

Sayonara (Bárbara Fontes, 2008, 20’)

Vila Bela: terra de colores (Bárbara Fontes, 2005, 55’)

Dia: 21 de maio (terça-feira)

Horário: 19h30

Duração do evento: 01h30

Local: Cine Teatro Cuiabá

Ingressos: Será cobrada uma taxa de manutenção do Cine Teatro Cuiabá.

R$ 4,00

R$ 2,00

 

 

Saiba mais:

Programação completa do mês de maio, do Cine Teatro Cuiabá aqui.

Cinco tipos de medo

Conheça as violências contra à mulher. 

Se você é mulher, antes de começar a ler este texto faça uma reflexão: você vive uma relação sadia com o seu companheiro/marido/namorado/noivo? O que é uma relação sadia? É aquela onde o respeito entre o casal prevalece. A mulher não apanha ou recebe ameaças por discordar ou quando decidir terminar uma relação. Discussão entre casais é normal, violência não! Se há qualquer tipo de violência dentro lar, não tenha medo e denuncie: ligue 180 (Centro de atendimento à mulher). Infelizmente o Feminicídio ocupa diariamente as páginas policiais em todos os estados brasileiros. Segundo o dossiê do Instituto Patrícia Galvão,

Feminicídio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Suas motivações mais usuais são o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade sobre as mulheres, comuns em sociedades marcadas pela associação de papéis discriminatórios ao feminino, como é o caso brasileiro.

 

Em janeiro deste ano, o Jornal O Globo publicou um estudo realizado pelo professor Jefferson Nascimento, doutor em Direito Internacional pela USP, que aponta mais de 107 casos de Feminicídio registrados – sendo 68 consumados e 39 tentados – em pelo menos 94 cidades, em 21 estados. Nascimento se baseou no noticiário nacional veiculado no início do mês de janeiro.

 

No dia 26 de fevereiro, a Agência Brasil publicou que pelo menos 126 mulheres foram mortas este ano.

 

Uma das formas de combates ao machismo ignorante que atinge muitos homens, independente de classe social, cor, raça e credo é o acesso à informação. Quanto mais as mulheres tomarem conhecimento dos tipos de violência que matam todos os dias, elas estarão mais fortes para denunciar os seus parceiros que insistem em relações abusivas. Quem ama não bate, não xinga, não ameaça e não mata.

 

 

Cinco tipos de violência

A Lírios, uma organização da sociedade civil de apoio psicossocial gratuito às mulheres em situação de risco, com sede na cidade de Várzea Grande (MT), fez uma postagem muito bem vinda em suas redes sociais, onde esclarece os cinco tipos de violência contra à mulher:

 

*violência física

*violência psicológica

*violência sexual

*violência patrimonial 

*violência moral

 

O Blog da Bárbara Fontes reproduz abaixo, o informativo da Lírios:

53513172_1018101738381695_6375402231016980480_n.jpg

 

Saiba mais: 

Dossiê Violência Contra às mulheres, do Instituto Patrícia Galvão aqui.

Conheça o trabalho da Lírios, acessse aqui.

 

 

 

*Matéria publicada em 28/02/2019, e atualizada em 12/.