#ForçaAndréDLucca

O ator André D’Lucca recebe homenagem em evento a ser realizado pela classe artística mato-grossense.

 

Reportagem publicada em 13/03:

Artistas mato-grossenses se reuniram para ajudar o amigo André D’Lucca, que interpreta uma das personagens mais queridas do país, a Almerinda. Desde o dia 05 de março, o ator se encontra hospitalizado. Segundo a assessoria, familiares informaram que André teve uma melhora significativa nos últimos dias, porém, ainda necessita de cuidados médicos e deve seguir em tratamento. O Blog apurou que o ator, que saiu da UTI do PS, se encontra internado no hospital Júlio Müller, com quadro evolutivo estável.

 

O espetáculo #ForçaAndréDLucca acontece no domingo, 24 de março, a partir das 18h30, no Cine Teatro Cuiabá (CTC). A programação conta com apresentações de músicos, dançarinos, humoristas, intervenções teatrais, recitação de poesia e grafite. Também haverá uma exposição de obras que foram doadas por artistas plásticos que serão leiloadas. Segundo a assessoria, toda a renda arrecadada, tanto da bilheteria como em vendas de obras e camisetas, será revertida para custear o tratamento do ator.

 

O evento solidário conta com o apoio do grupo de teatro Cena Onze (que tem a direção de Flávio Ferreira), da equipe do Cine Teatro Cuiabá e da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso (SECEL-MT), responsável pelo CTC.

 

A idealização

A ideia de realizar um evento em prol do ator surgiu após o encontro de amigos, familiares e fãs em frente ao Pronto Socorro de Cuiabá, onde André se encontrava na UTI. Eles oraram e prestaram homenagens durante toda a tarde de domingo (10). O músico Henrique Maluf, o idealizador e produtor do espetáculo #ForçaAndréDLucca, contou para o Blog da Bárbara Fontes sobre a sua amizade e parceria com André D’Lucca:

Eu conheci o André através do espetáculo chamado Foi um Liu que passou por nossas vidas. Eu fiz a direção musical para ele nessa peça há seis anos atrás. Foi quando a gente foi trabalhar junto e não paramos mais. Sempre que tenho apresentações com ele. Já montei várias direções musicais, já compus várias paródias e tem clipes nossos na internet. Já fiz muito produção musical para ele”

 

IMG-20190314-WA0000
André D’Lucca, como Almerinda, e o músico Henrique Maluf: amizade para toda a vida.

 

Sobre a importância de André D’Lucca para as Culturas Mato-grossense e nacional, Henrique Maluf disse:

André é a voz de muitas pessoas que não tem coragem de se posicionar em relação à política. Ele é a voz no mundo dos artistas. E são coisas que fecham portas quando se posiciona. André é uma pessoa que não trabalha com dinheiro público. Nesses últimos anos, eu desconheço o uso de dinheiro público nos trabalhos de André. Todas as produções dele são independentes. Ele tem uma produtora chamada D’Lucca Produções. André foi dirigido pelas atrizes Ingrid Guimarães e Heloísa Perissé, na peça Segredos de Almerinda, e Almerinda se tornou uma personagem icônica. Depois que ele postou nas redes sociais, antes de passar mal, que estava triste e que não iria mais falar de política, eu comentei com o pessoal que a voz que André vai ecoar por muito, muito tempo, mesmo que nunca mais ele fale sobre política. O que ele plantou até hoje é uma onda que vai ecoar por muito, muito tempo. O meu telefone não para de tocar, são muitos artistas querendo participar do evento, e infelizmente não dá para colocar todo mundo. Não dá para fazer um espetáculo de 10 horas dentro de um teatro, né? Mas já estamos pensando que teremos de fazer outro espetáculo em breve com os artistas que não puderam se apresentar no primeiro evento. Muita gente quer somar. Isso mostra a representatividade que André tem na Cultura. Ele me representa. Eu sempre falei isso.”

 

O Blog também conversou com Fabrício Carvalho, maestro da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT):

Minha participação será bem pontual no início do show. Fui convidado pelo Flávio Ferreira e pelo Henrique Maluf. Eles imaginaram que no Foyer, eu pudesse fazer algumas canções ao piano e que as pessoas cantassem juntas numa entrada no espetáculo. Vai ser simples mas feito com muito amor. Vai ser uma alegria. Vai ser uma surpresa boa para quem estiver chegando no espetáculo.”

 

Sobre a importância do evento no cenário cultural mato-grossense, Fabrício comenta que,

A importância desse espetáculo é tamanha de reunir todos esses nomes importantes da Cultura de Mato Grosso. Lembro do evento que fizemos em prol do Flor Ribeirinha, quando eles tiveram aquele acidente trágico indo para Diamantino. Então, eu acho muito rico essa oportunidade de colocar tanta gente importante no palco em prol de uma ação tão importante para o André. A importância para a Cultura nem se fala! Reunir toda essa galera num mesmo dia, não é todo dia!  É fundamental que as pessoas participem, que reconheçam a ação e que estejam lá para prestigiar os seus artistas favoritos. E ver todos esses artistas juntos. Isso é muito bacana. Não é todo dia que isto acontece! Então é importante que as pessoas participem e que comprem os ingressos, que contribuam financeiramente neste momento complexo do André. O André precisa disso porque ele trabalha com o corpo e com a energia vital dele, que agora precisa se recuperar. Ele não pode trabalhar e a gente precisa ajudar. Então é fundamental que as pessoas participem, partilhem, comprem os ingressos e que ajudem a divulgar. E que ajudem nesse momento importante da vida dele.”

 

Sobre a sua amizade com André D’Lucca, o maestro relembra:

Eu conheci André há muito tempo atrás. Sempre fui fã do trabalho dele e sempre acompanhei as obras dele, dede quando estreou ‘Segredos de Almerinda’, no Teatro da UFMT. Quando eu estava Pró-reitor de Cultura da UFMT, a gente se falou. Ele me atendeu num momento em que eu fiz uma ação para o Dia do Servidor. O André fez um espetáculo para os servidores da UFMT. A gente já partilhou o Teatro da universidade. Então a gente tem uma amizade e admiração recíproca muito forte. Eu me sinto muito honrado em ser amigo de André e poder participar desse momento muito bacana, de reconstrução deste momento dele. Estou muito feliz que ele está se recuperando e a gente vai fazer um super espetáculo, no dia 24. É importante que as pessoas estejam juntas para contribuir, colaborar e enaltecer tanto o trabalho de André quanto da Cultura de Mato Grosso.

 

97fb17b212e945ee4d0ec24d35bc20db
André D’Lucca fez os servidores da UFMT rirem muito na fesa do Dia do Servidor (outubro/2015).

 

Programação

O espetáculo irá reunir grandes nomes da classe artística que ocuparão espaços do Cine Teatro Cuiabá. No foyer do teatro, a premiada poetisa e imortal da Academia Mato-grossense de Letras, Luciene Carvalho, recitará poemas acompanhada do percursionista Mano Raul. Em seguida, no mesmo local, o maestro e gestor cultural Fabrício Carvalho fará uma apresentação ao piano.

 

O jornalista Elias Neto e o ator Thyago Mourão (premiado recentemente num festival de cinema na Índia, ao lado do ator Eduardo Butakka) serão os Mestres de Cerimônia das apresentações que acontecerão no palco principal do CTC.

 

Considerado o melhor grupo folclórico do mundo, Flor Ribeirinha será o primeiro a se apresentar. Em seguida, apresentam Penélope (personagem do ator Eduardo Butakka que está esta semana no Jogo de Panelas, do programa Mais Você, apresentado pela Ana Maria Braga, na Rede Globo), Sarah Mitch (que arrasou no programa Amor & Sexo, apresentado pela Fernanda Lima), Henrique Maluf, Ana Rafaela, Totó Bodega (personagem do ator Romeu Benedicto), Pescuma, Estela Ceregatti e John Stuart, Nico e Lau, Vera Capilé e Habel Dy Anjos. Para encerrar o espetáculo #ForçaAndréDLucca, uma apresentação de um coral de cantores de Cuiabá, sob a regência da maestrina Dorit Kolling, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

 

 

Leilão do Bem

Os artistas Babu 78, Adriano Ferreira, Jean Siqueira e a dupla Vera e Zuleika doaram obras que estarão expostas no dia do evento e que serão leiloadas posteriormente. Além do espetáculo e do leilão, fãs e admiradores do ator André D’Lucca também podem realizar doações por meio da vaquinha virtual que ajudará pagar as despesas médicas e dar suporte a André durante a sua recuperação. O ator é profissional autônomo e vive somente de sua arte. Toda ajuda é importante.

 

 

Serviço

Espetáculo #ForçaAndréDLucca

Data: 24 de março (domingo)

Horário: a partir das 18h30

Local: Cine Teatro Cuiabá (Av. Getúlio Vargas, 247 – Centro, Cuiabá)

Ingressos: R$ 40 inteira e R$ 20 meia

Contatos: (65) 2129-3848 ou (065) 9 8133-4559

 

Saiba mais:

Matéria do Blog ‘Viva André D’Lucca’ aqui.

Anúncios

‘Mãe’

Cia de Teatro Porão volta com o espetáculo que discute o etarismo, no Cine Teatro Cuiabá entre os dias 22, 23 e 24 de fevereiro.

 

Atualizado em 18/02/19:

Desde a criação da MT Escola de Teatro, dezenas de peças foram montadas. Bom para os apreciadores desta arte milenar que vivem distantes do eixo Rio-SP, onde todos os dias tem alguma peça em cartaz. Também é muito importante para a formação de novos públicos. Ano passado eu levei Bibi para ver a peça “Mulheres da Terra”, do grupo Cena Onze, e senti o quanto minha filha adolescente ficou impactada – não só pela história, mas também com o todo: o cenário, o figurino, a iluminação, a sonoplastia entre outros componentes que tornam o Teatro um lugar incrível. Eu recomendo: leve a garotada ao Teatro!

 

 

WhatsApp Image 2019-02-14 at 12.35.24 AM
Espetáculo ‘Mãe’, do grupo Cia Teatro Porão/ Divulgação

 

No tablado do belo Cine Teatro Cuiabá, os formandos da 2º Turma do Curso Superior de Teatro (formação Tecnólogo) também vão impactar a todos que forem assistir a peça ‘Mãe’, do grupo Cia de Teatro Porão. A narrativa contempla um tema tão antigo e ao mesmo tempo contemporâneo: a família. E há uma abordagem interessante: o etarismo nos dias atuais. Etarismo é a discriminação baseada na idade (ex: velha lenta demais, não tem utilidade; adolescente imatura, irresponsável, etc).

 

 

Segundo a sinopse, a peça ‘Mãe’,

fala de uma família ora convencional. Ora nada convencional. Fernanda, uma assistente que está exausta dos vínculos conflituosos entre gerações, se percebe numa caminhada até a assimilação do tempo. Essas relações intergeracionais podem culminar em algo inesperado, ao som de canções criadas para este cenário.

 

psx_20190101_151358_easy-resize.com (1)
Divulgação/Assessoria

A idealização

Quando assistimos a uma peça teatral (quem não é da área) ficamos tão concentrados no que se passa no tablado (palco) que esquecemos que ali está o resultado de  um trabalho árduo de uma equipe: Alguém escreveu a história, alguém montou o cenário, alguém criou o figurino, alguém dirigiu os atores. E sabe aquele som que a gente ouve? Tem um sonoplasta fazendo a mágica acontecer – e que ensaiou muito! E também tem a Produção (também conhecido como o “povo que rala muito”) – sem isso não tem Teatro, não tem nada! (idem no Cinema).

Aqui vai uma dica: assista a peça e depois (ou antes) dê uma conferida na ficha técnica – ali está a galera que tornou a montagem da peça possível!

 

Segundo os idealizadores da peça Mãe,

a composição do roteiro, cenografia e figurinos foram cautelosamente projetados para transmitir ao público uma visão geral das dificuldades do viver antes, durante e após os 60 anos. Uma elaboração intrínseca e avassaladora da realidade e o seu cotidiano.

 

Fotos: Elenco reunido e muitos ensaios para as apresentações do espetáculo “Mãe”. O Blog agradece as fotos dos bastidores!

 

 

Estreia de sucesso

O Cia de Teatro Porão contou com exclusividade para o Blog da Bárbara Fontes sobre a interação do público na estreia:

Sentimos uma identificação do público para com a mensagem que estávamos e estamos passando de que comportamentos são violentos, palavras são violentas e tudo isso acumulado pode gerar algo inesperado. Obviamente, que nem todos lêem o espetáculo como eu, ela, você. Mas a grande maioria se emocionou e agradeceu pelo trabalho que estamos mostrando. Mas é contrário, quem agradece somos nós, sem público não existe troca”.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 12.38.38 AM
Divulgação
A respeito do aprendizado que o elenco obteve durante a montagem da peça Mãe e como isso se reverteu para cada um dos integrantes:

Nossa evolução dia pós dia enquanto gente aprendendo sobre gente, tentando ser gente feito bolha de sabão, vivendo por um certo e determinado período de tempo, tentando não estourar. Tentando não secar. Pensando em ser flor e beija-flor. Pensando em ser ave, pra nem sempre ser gente. Para voar e escoar da gente, que não pensa como gente, mas só de ser feito gente dá orgulho pra gente. Para ser ave precisa de esperteza, e ave que é gente, talvez, seja melhor ser só gente. Gente não entende ave-gente que voa numa brisa boa. Não é “atoa”. Só quer ficar na boa com outros tipos de gente, tão gente quanto a gente.

“Mãe” é contemplada em edital

Para celebrar os 300 anos da capital de Mato Grosso, o grupo Cia de Teatro Porão estará com apresentações do espetáculo ‘Mãe’ durante todo o ano de 2019. As montagens acontecerão por meio do Fundo Municipal de Apoio à Cultura, da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, da prefeitura de Cuiabá.

Conheça a galera do espetáculo “Mãe”!

Ficha Técnica:

Direção: Maria Clara Bertúlio e Paulo França

Dramaturgia: Amanda Muller

Atuação: Danielle Souziel, Elisa Carvalho, Júnior Faria, Mariah Ferreira, Maykon Castrovicky e Nadiny Costa

Cenário e figurino: Jane Klitzke e Naiane Gonçalves

Iluminação: Bruno Brun

Sonoplastia: Jone Sayd

Produção: Elis Correia e Juciney Fernandes

 

Serviço

Espetáculo ‘Mãe’
Dias: 22, 23 e 24 de fevereiro
Duração: 1h
Horário: 21h
Ingresso: R$ 20 (inteira) // R$ 10  (meia)
Onde: Cine Teatro Cuiabá (CTC) – sala Anderson Flores
Realização: Formandos da MT Escola de Teatro
Informações: (65) 99926.5860
Saiba mais sobre a MT Escola de Teatro:
*Curso de Teatro forma 1º Turma aqui.

Teatro de Sombras em Cuiabá

Grupo Penumbra apresenta nesta sexta, 11/01, o espetáculo ‘A Vila de Pantolux’, no Cine Teatro Cuiabá (CTC).

A arte de contar histórias com o uso de bonecos de sombra é muito antiga e, segundo os historiadores, sua origem vem da China e se espalhou por vários países da Ásia, até chegar na Europa, onde fez muito sucesso e inspirou os primeiros experimentos que levaram à criação do Cinema.

Séculos se passaram e tecnologias para o entretenimento surgem todos os dias, porém, o Teatro de Sombras continua a encantar o mundo com a sua simplicidade em contar histórias, e ao mesmo tempo, tem o poder de prender a atenção de quem assiste – como se estivesse vendo numa sala de cinema, um filme do super-herói preferido.

 

Cuiabá tem Teatro de Sombras

 Criado em 2018, durante o Projeto de Teatro de Formas Animadas, realizado pelo Sesc Arsenal (Cuiabá/MT), o Grupo Penumbra pesquisa e produz peças teatrais por meio do Teatro de Sombras – uma das vertentes do Teatro de Animação. Durante a participação no Projeto, o grupo contou com a orientação de dois importantes nomes do Teatro de Sombra: Rafael Curci, de São Paulo; e Alexandre Fávero, do Rio Grande do Sul. Além de realizarem três apresentações durante o evento, o grupo fez a sua estreia profissional na Semana de Formas Animadas, do Sesc Arsenal.

 

‘A Vila de Pantolux’

Partindo da vontade de falar de ciência, em estudos de geração de eletricidade que abastece uma população, chegamos a figura de uma usina hidrelétrica, com isso achamos então o mote para nossa história, na qual acompanhamos uma vila do interior, que sente necessidade de cada vez mais consumir energia e até que ponto é possível? Uma mãe, um filho e um amigo que nos conduz nesse enredo.” (sinopse)

 

Ficha Técnica

Conheça a galera que faz o Teatro de Sombras acontecer em Cuiabá:

Elenco-Sombristas: Elton Martins, Jair Junior, Jone Sayd e Julio Rocha;

Direção: Juliana Graziela;

Dramaturgia: Grupo Penumbra;

Sonoplastia: Jair Junior;

Iluminação: Julio Rocha;

Criação de figuras: Jone Sayd e Grupo Penumbra;

Produção artística e executiva: Juliana Graziela.

 

Espetáculo por uma boa causa

O Grupo Penumbra apresenta ‘A Vila de Pantolux’ nesta sexta-feira, 11, às 20h, no Cine Teatro Cuiabá (CTC). Além do objetivo divulgar o Teatro de Sombras, o espetáculo também visa angariar recursos com a venda dos ingressos para que o grupo teatral possa viajar até o Rio Grande do Sul para participar da residência artística ‘Territórios Desconhecidos – Vivência no Teatro de Sombras’, que está em sua sexta edição.

O evento ocorre entre 20 a 27 de janeiro, no Espaço de Residências Artísticas Vale Arvoredo, na região serrana de Morro Reuter. Além das passagens aéreas, o grupo precisa custear as inscrições (que são individuais) e que inclui a hospedagem e a alimentação nesses oito dias de imersão teatral.

Os integrantes do Grupo Penumbra terão a oportunidade de conviver com artistas vindos de muitos lugares do país. Eles exercitarão em grupos, práticas e estudos sobre o teatro de sombras moderno, com uma metodologia exclusiva e multidisciplinar organizada e ministrada pelos integrantes da Cia Teatro Lumbra (RS), um coletivo que é referência internacional nessa linguagem. O convite para participar da residência partiu de Alexandre Fávero (RS), diretor da Cia.

 

 

Ajude o Grupo Penumbra

Você pode ajudar o Grupo Penumbra participar da residência artística comprando os ingressos para prestigiar o espetáculo ‘A Vila de Pantolux’. Também pode contribuir por meio de patrocínios empresariais e doações particulares. Para mais informações, entre em contato com a atriz Juliana Graziela (diretora e produtora do Grupo Penumbra):

E-mail: julianagrazielarocha@gmail.com

Tel: (65) 99304.5542

 

Serviço

Espetáculo ‘A Vila de Pantolux’

Local: Cine Teatro Cuiabá

Data: 11 de janeiro de 2019

Horário: 20 horas

Ingressos: R$ 10,00 meia e R$ 20,00 inteira

OBS: O horário de funcionamento da bilheteria do Cine Teatro Cuiabá: de terça à sexta-feira, das 14h às 18h. Também será vendido no dia do espetáculo, uma hora antes.

Classificação: Livre

Informações: (65) 99304-5542

Venha ocupar o Cine Teatro Cuiabá!

As inscrições do Edital de Chamamento Público do Cine Teatro Cuiabá – CTC, seguem até 10 de dezembro

 

CineTeatroCuiabá_logo

 

Produtores culturais podem enviar propostas para utilização em 2019, das salas do Cine Teatro Cuiabá.  O CTC é gerido pela Associação Cultural Cena Onze por meio de Termo de Colaboração (gestão compartilhada) com a Secretaria de Estado de Cultura (SEC). O Edital de Chamamento Público tem como objetivo tornar acessível o uso de um dos aparelhos públicos mais queridos dos cuiabanos, inaugurado em 1942. As inscrições seguem até às 23h59 do dia 10 de dezembro de 2018. Ainda dá tempo galera!!!

 

Durante todo o ano de 2018, o Cine Teatro esteve ocupado (por meio do Edital de Chamamento), com uma diversificada programação, sempre lotada e com ingressos populares, ingressos sociais (mediante a doação de alimento não perecível) ou gratuitos.

 

CineTeatro_CreditoBarbaraFontes1
Crédito: Bárbara Fontes

A gestão compartilhada possibilitou que projetos aprovados, ou em coparceiras com a SEC tornassem mais visível para a população, que pode conferir filmes de ficção ou documentários, peças de teatros, shows, lançamentos de livros entre outras ações culturais. Ter Associação Cena Onze à frente do CTC foi fundamental para dar oportunidades aos produtores culturais com os seus projetos bacanas que até então, antes da gestão compartilhada, tinham mais dificuldades em utilizar os aparelhos públicos. É importante ressaltar que o CTC abriga um dos programas mais importantes do setor cultural: A MT Escola de Teatro, que em breve vai formar a sua primeira turma de atores, diretores, dramaturgos, produtores, iluminadores e sonoplastas.

Atenção: O edital tem duas modalidades, fomento e sustentabilidade. Podem participar da seleção de propostas pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, com ou sem fins lucrativos. O período de ocupação do espaço inicia em 22 de janeiro, e vai até 22 de dezembro de 2019.

As inscrições para o Edital de Chamamento Público do Cine Teatro Cuiabá (Nº004/2018/CTC) deverão ser realizadas EXCLUSIVAMENTE mediante envio de informações pelo e-mail pautacineteatrocuiaba@gmail.com.

Período de Inscrições: até às 23h59 do dia 10 de dezembro de 2018.