Eleições 2018 – 2º Turno

Jair Bolsonaro é eleito o 38º Presidente da República Federativa do Brasil

Eleitoras e eleitores das 26 unidades federativas, mais o Distrito Federal, votaram domingo (28/10), no segundo turno da eleição presidencial. Mato Grosso do Sul foi o primeiro estado a totalizar o resultado, às 18h37, segundo informação do TRE-MS. O último foi o Amazonas, na manhã da segunda-feira (29).

 

TSE_anunciopresidente
Crédito: TSE

No domingo, às 19h18 (horário de Brasilia), a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, declarou que o candidato Jair Bolsonaro (coligação PSL/PRTB) foi matematicamente eleito presidente da República, isto é, não havia mais a possibilidade do candidato adversário, Fernando Haddad (PT) vencer a eleição.  Jair Bolsonaro tomará posse no cargo no dia 1º de janeiro, num mandato que segue de 2019 a 2022.

 

Campanha estranha, com gente esquisita

Foi campanha eleitoral nunca vista na história do país, marcada por muita tensão e compartilhamento de fake news – informações produzidas com conteúdos falsos – com a intenção de atacar covardemente o adversário. Houveram denuncias por parte dos dois partidos que disputavam o segundo turno, PT (considerado de esquerda) e PSL (considerado de extrema direita).

Enquanto “bolsominios” (referência aos minions da animação “Meu Malvado Favorito”), e “petralhas ou mortadelas” (como os opositores se referem aos petistas e simpatizantes) se ofendiam gratuitamente nas redes sociais e nas ruas; os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) também destilavam provocações entre si. Foi a campanha eleitoral mais engajada entre eleitores convictos de ambos os partidos e a mais agressiva desde a redemocratização do país há 30 anos. A situação foi tão atípica na sociedade, que até houve rompimentos familiares, separações de casais e de amizades antigas. As pessoas que se declaravam neutras e dispostas a não votar em nenhum dos candidatos também sofreram assédios abusivos por eleitores dos dois partidos. Realmente parecia uma guerra civil cibernética munida de agressões verbais e ameaças de tudo quanto era tipo nas redes sociais. Muita selvageria em pleno século XXI!

 

E agora Jair?

Jair Bolsonaro foi eleito democraticamente numa eleição de segundo turno que ocorreu bem mais tranquilamente do que no primeiro turno. Apesar de alguns estados também tiveram eleições para governadores, as apurações foram rápidas. O processo de transição no governo federal pode ocorrer ainda esta semana.

Presidente e governadores eleitos, Assembleias Legislativas Estaduais e o Congresso Nacional (com a maior renovação em 20 anos!) enchem de esperanças o povo brasileiro, que anseia por um projeto coletivo de um Brasil melhor. Caberá a cada um de nós fiscalizar, cobrar, denunciar o que está errado, e fazer valer, todos os dias, o cumprimento da Constituição Federal. Os brasileiros mostraram nas urnas que estavam descontentes com o rumo em que o país tomou nas últimas décadas e, principalmente, com a corrupção que parecia endêmica e vergonhosa. É preciso alertar que não basta os políticos serem honestos e trabalharem com dedicação; a corrupção e a desonestidade também estão nas pequenas coisas erradas que muitos brasileiros fazem. Pra quem acha que estacionar num vaga prioritária sem merecer estar nela ou furar a fila com a maior cara de pau não são atitudes desonestas, precisam reavaliar os seus valores. E tudo isso pode ser resolvido com uma boa Educação, iniciada no ensino infantil presencial, isto é, dentro das escolas.

Se Jair Bolsonaro vai ser ou não um bom presidente, primeiro temos de permiti-lo a trabalhar. Há muita coisa para consertar e criar no país. Há muito o que negociar com o Congresso Nacional – que deve sempre pensar no coletivo e não em benefício próprio ou do partido. Agora é o momento de aguardar e não de julgar o que ainda nem começou.

 

Resultados do 2º turno para Presidente da República

Segundo dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Jair Bolsonaro (PSL) venceu em 15 estados, mais o Distrito Federal. Confira abaixo:

REGIÃO SUL

Rio Grande do Sul –  63,24% dos votos válidos

Santa Catarina – 75,92% dos votos válidos

Paraná – 68,43% dos votos válidos

 

REGIÃO SUDESTE

São Paulo –  67,97% dos votos válidos

Rio de Janeiro – 67,95% dos votos válidos

Minas Gerais – 58,19% dos votos válidos

Espírito Santo – 63,06% dos votos válidos

 

REGIÃO CENTRO-OESTE

Mato Grosso do Sul – 65,22% dos votos válidos

Mato Grosso – 66,42% dos votos válidos

Goiás – 65,52% dos votos válidos

Distrito Federal – 69,99% dos votos válidos

 

REGIÃO NORTE

Rondônia – 72,18% dos votos válidos

Acre – 77,22% dos votos válidos

Amazonas –  50,27% dos votos válidos

Roraima – 71,55% dos votos válidos

Amapá – 50,20% dos votos válidos

 

O candidato pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, venceu em todos os estados da região Nordeste, e em 2 da região Norte. Foram 11 estados no total. Confira abaixo:

REGIÃO NORTE

Pará –54,81% dos votos válidos

Tocantins – 51,02% dos votos válidos

 

REGIÃO NORDESTE

Maranhão –73,26% dos votos válidos

Piauí – 77,05% dos votos válidos

Ceará – 71,11% dos votos válidos

Rio Grande do Norte – 63,41% dos votos válidos

Paraíba – 64,98% dos votos válidos

Pernambuco – 66,50% dos votos válidos

Alagoas – 59,92% dos votos válidos

Sergipe – 67,54% dos votos válidos

Bahia – 72,69% dos votos válidos

 

Acesse informações mais detalhadas das apurações do 2º turno da Eleição para Presidente da República aqui. http://divulga.tse.jus.br/oficial/index.html

**Gostou dessa matéria? Faça parte dos “Amigos do Blog da Bárbara Fontes” e receba  uma foto-art. Saiba mais aqui.

Anúncios

MT: Resultado Eleições 2018

Confira os eleitos do estado de Mato Grosso

 

O empresário e ex-prefeito de  Cuiabá, Mauro Mendes (DEM) é eleito governador de Mato Grosso. Em segundo lugar ficou Wellington Fagundes (PR). De todo o pleito, apenas três mulheres foram eleitas. Confira o resultado da apuração abaixo*:

Mauro Mendes – 58,69% dos votos válidos

Wellington Fagundes – 19,56%

Pedro Taques (PSDB) – 19,00%

Arthur Nogueira (REDE) – 1,72%

Moisés Franz (PSOL) – 1,03%

 

Os senadores eleitos foram Selma Arruda (PSOL) e Jayme Campos (DEM).  Confira os resultados abaixo:

Selma Arruda – 24,65% dos votos válidos

Jayme Campos – 17,82%

Carlos Fávaro (PSD) – 15,80%

Adilton Sachetti (PRB) – 12,10%

Nilson Leitão (PSDB) – 12,00%

Procurador Mauro (PSOL) – 8,21%

Professora Maria Lúcia (PC do B) – 6,26%

Dr. Waldir Caldas (NOVO) – 2,60%

Aladir (PPL) – 0,34%

Gilberto Lopes Filho (PSOL) – 0,22%

Sebastião Carlos (PPL) – não aparece

 

Das oito vagas na câmara federal, somente Carlos Bezerra (MDB) conseguiu se reeleger. Apenas uma mulher foi eleita: Professora Rosa Neide (PT). Confira os resultados abaixo:

Nelson Barbudo (PSL) – 8,52 dos votos válidos

José Medeiros (PODEMOS) – 5,57%

Emanuelzinho  (PTB) – 5,18%

Neri Geller (PP) – 4,93%

Carlos Bezerra – 3,99%

Dr. Leonardo (SOLIDARIEDADE) – 3,53%

Professora Rosa Neide – 3,44%

Juarez Costa (MDB) – 3,37%

 

Reeleita, a deputada estadual Janaína Riva continua sendo a única  mulher na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Confira os 24 deputados estaduais eleitos//reeleitos:

1º- Janaina Riva (MDB) – 3,40 dos votos válidos

2º- Nininho (PSD) –  2,47% – reeleito

3º- Max Russi (PSB ) – 2,31 – reeleito

4º- Eduardo Botelho (DEM) – 2,23% – reeleito

5º- Delegado Claudionei (PSL) – 1,98%

6º- Guilherme Maluf (PSDB) – 1,98% – reeleito

7º- Dilmar Dal Bosco (DEM) – 1,90% – reeleito

8º- Engenheiro Sebastião Machado Rezende (PSC) – 1,69% – reeleito

9º- Xuxu Dal Molin (PSC) – 1,57%

10º- Lúdio Cabral (PT) – 1,50%

11º- Valdir Barranco (PT) – 1,45% – reeleito

12º- Eliseu Nascimento (DC) – 1,41%

13º- Valmir Moretto (PRB) – 1,40%

14º- Faissal (PV) – 1,35%

15º- Dr. João (MDB) – 1,31%

16º- Thiago Silva (MDB) – 1,28%

17º- Ulysses Moraes (DC) – 1,24%

18º- Professor Alan (PDT) – 1,23% – reeleito

19º- Wilson Santos (PSDB) – 0,98% – reeleito

20º- Dr. Eugênio (PSB) – 0,89%

21º- Silvio Favero (PSL) – 0,80%

22º- Dr. Gimenez (PV) – 0,80%

24º- Paulo Araujo (PP) – 0,77%

24º- João Batista do SINDSPEN (PROS) – 0,75%

 

*Fonte: TRE/MT

**Crédito da foto de capa: Palácio do Governo de MT/\Crédito: Secom-MT

Senadores Eleitos – Resultado das Apurações

Neste domingo de eleição, eleitores escolheram os senadores que representarão os seus Estados no Congresso Nacional. Confira os eleitos:

 

Centro-Oeste

Distrito Federal –  Leila do Vôlei (PSB) e  Izalci (PSDB)

Goiás –  Vanderlan (PP) e Jorge Kajuru (PRP)

Mato Grosso –  Selma Arruda (PSL) e Jayme Campos (DEM)

Mato Grosso do Sul –  Nelsinho Trad (PTB) e Soraya Thronicke (PSL)

Norte

Acre –  Petecão (PSD) e Márcio Bittar (MDB)

Tocantis – Eduardo Gomes (SOLIDARIEDADE) e Irajá (PSD)

Amapá –  Randolfe (REDE) e Lucas Barreto (PTB)

Amazonas – Plinio Valério (PSDB) e Eduardo Braga (MDB)

Pará –  Jader Barbalho (MDB) e Zequinha Marinho (PSC)

Rondônia –  Marcos Rogério (DEM) e Confucio Moura (MDB)

Roraima –  Chico Rodrigues (DEM) e Mecias de Jesus (PRB)

Nordeste

Alagoas –  Rodrigo Cunha (PSDB) e Renan Calheiros (MDB)

Bahia –  Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD)

Ceará –  Cid Gomes (PDT) e Eduardo Girão (PROS)

Maranhão –  Weverton (PDT) e Eliziane Gama (PPS)

Paraíba – Veneziano (PSB) e Daniella Ribeiro (PP)

Pernambuco – Humberto Costa (PT) e Jarbas Vasconcelos (MDB)

Piaui –  Ciro Nogueira (PP) e Marcelo Castro (MDB)

Rio Grande do Norte –  Capitão Styvenson (REDE) e Drª Zenaide Maia (PHS)

Sergipe – Delegado Alessandro Vieira (REDE) e Rogerio Carvalho Santos (PT)

Sudeste

Espírito Santo – Fabiano Contarato (REDE) e Marcos do Val (PPS)

Paraná –  Professor Oriovisto Guimarães (PODEMOS) e Flavio Arns (REDE)

Minas Gerais –  Rodrigo Pacheco (DEM) e Jornalista Carlos Viana (PHS)

São Paulo: Major Olimpio (PSL) e Mara Gabrilli (PSDB)

Rio de Janeiro – Flavio Bolsonaro (PSL) e Arolde de Oliveira (PSD)

 

Sul

Rio Grande do Sul –  Luiz Carlos Heinze (PP) e Paulo Paim (PT)

Santa Catarina –  Espiridião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR)

 

*************************************************************************************************************************************************

 

Resultado – Eleições 2018

Treze Estados elegem governadores no 1º turno

 

O sistema biométrico foi o causador das longas filas e de alguns tumultos em todo o país. Para milhares de pessoas que fizeram a biometria nos cartórios eleitorais, a votação deveria ser rápido, mas não foi. Em muitas seções não bastava apenas colocar o polegar direito no aparelho biométrico, porque não funcionava e foram necessários várias tentativas com outros dedos das duas mãos até que, finalmente, o sistema aceitasse. Depois, era seguir para urna com a colinha e votar em seis candidatos.

A eleição no país começou às 8h da manhã e finalizou às 17h no Acre (19h em Brasília). Após o encerramento das votações no estado mais distante do país, inciaram as apurações para presidente da República. Duas horas antes, vários estados já começavam as suas apurações, e às 19h (de Brasília) muitos governadores já estavam eleitos (ou reeleitos) no primeiro turno.

 

 

*****Resultados das Apurações*****

PRESIDENTE DA REPÚBLICA – 2º TURNO

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)

*************************************************************************************************************************************************

GOVERNADORES ELEITOS NO 1º TURNO

Centro-Oeste

Goiás – Ronaldo Caiado (DEM)

Mato Grosso – Mauro Mendes (DEM)

Norte

Acre – Gladson Cameli (PP)

Tocantis – Mauro Carlesse (PHS) – reeleito

Nordeste

Alagoas – Renan Filho (MDB) – reeleito

Bahia – Rui Costa (PT) – reeleito

Ceará – Camilo (PT) – reeleito

Maranhão – Flávio Dino (PC do B) – reeleito

Paraíba – João Azevêdo (PSB)

Pernambuco – Paulo Câmara (PSB) – reeleito

Piaui – Wellington Dias (PT)

Sudeste

Espírito Santo – Renato Casagrande (PSB)

Paraná – Ratinho Junior (PSD)

*************************************************************************************************************************************************

CANDIDATOS QUE DISPUTARÃO O 2º TURNO

Centro-Oeste

Distrito Federal – Ibaneis (MDB) e Rollemberg (PSB)

Mato Grosso do Sul – Reinaldo Azambuja (PSDB) e Juiz Odilon (PDT)

Norte

Amapá – Waldez (PDT) e Capi 40 (PSB)

Amazonas – Wilson Lima (PSC) e Amazonino Mendes (PDT)

Pará – Helder (MDB) e Marcio Miranda (DEM)

Rondônia – Expedito Junior (PSDB) e Coronel Marcos Rocha (PSL)

Roraima – Antonio Denarium (PSL) e Anchieta (PSDB)

Sudeste

Minas Gerais – Romeu Zema (NOVO) e Antonio Anastasia (PSDB)

São Paulo: João Dória (PSDB) e Marcio França (PSB)

Rio de Janeiro – Wilson Witzel (PSC) e Eduardo Paes (DEM)

Nordeste

Rio Grande do Norte – Fátima Bezerra (PT) e Carlos Eduardo (PDT)

Sergipe – Belivaldo (PSD) e Valadares Filho (PSB)

Sul

Rio Grande do Sul – Eduardo Leite (PSDB) e José Ivo Sartori (MDB)

Santa Catarina – Gelson Merísio (PSD) e Comandante Moisés (PSL)

Tira-dúvidas – Eleições 2018

Neste domingo, 147.306.275 eleitores brasileiros vão às urnas. Viva a Democracia!

Acabou o horário eleitoral, acabaram os debates e agora é refletir em quem votar ou confirmar os candidatos que merecem o voto de confiança. Pense bem porque são quatro anos de mandato que afetam na vida de toda a nação brasileira.

UrnaEletronica_TSE_1
Reprodução/TSE

A decisão mais importante é a de comparecer no local de votação e votar. Faça valer a sua vontade e aperte o botão verde (Confirma) da urna eletrônica. Se o candidato (a) escolhido vai ganhar ou não, isso depende da maioria, porém, cada um de nós fizemos a parte que nos cabia na democracia.

No dia de votação

É neste domingo, 07 de outubro, que 147.306.275 eleitores vão às urnas em todo país.  Se tiver dúvidas sobre o local de votação, acesse o site do Tribunal Superior Eleitora (TSE) ou do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de seu Estado. Basta clicar em Local de Votação e digitar o número do título de eleitor, data de nascimento e o nome da mãe. Para votar é necessário estar com um documento de identificação com foto (RG; CNH; Carteira de Trabalho).

Eleições_reproduçaoTSE
Reprodução/TSE

Identificação biométrica

Este ano, algumas cidades vão ter Seções com leitura digital no ato da identificação. A biometria é mais uma ferramenta de segurança para que as eleições possam ocorrer sem fraudes.

O que é o e-Título?

O Brasil sempre está à frente nas inovações tecnológicas no que se refere ao pleito eleitoral. Este ano, o e-Título, que é um título digital com foto e todas as informações pessoais, vai facilitar a vida dos eleitores. Segundo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mais de seis milhões de eleitores já baixaram de graça o aplicativo (vídeo no final desta matéria).

De frente com a urna: como votar

Ao se deparar com a urna eletrônica, eleitores devem votar em seis candidatos. A primeiro escolha é para Deputado Federal. Logo em seguida, para Deputado Estadual (ou Deputado Distrital, se estiver no Distrito Federal). O próximo voto é para Senador:  eleitores precisam escolher dois (2) candidatos. Pode escolher só um? Pode sim. Pode votar duas vezes no mesmo candidato? Não pode. Se fizer isso, o segundo voto vai ser anulado! O voto seguinte é para Governador, e por último é para Presidente da República.  Quando digitar o número, aparecerá a foto do candidato na  urna. No caso dos candidatos a Governador e à Presidência da República, também vai aparecer as fotos dos seus vices. Ao digitar os números para Senador, vai aparecer a foto do candidato e de seus dois (2) suplentes.

Atenção: votos brancos e nulos não vão para os candidatos!

É muito candidato para votar, posso fazer uma colinha?

Deve! E aqui vai uma dica do Blog da Bárbara Fontes: faça a cola de acordo com a ordem de votação que está na urna, comece com Deputado Federal e termine com Presidente da República. Se tiver dúvida, releia o parágrafo acima (De frente com a urna: como votar).

Atenção: Não faça a cola no celular. É proibido entrar na urna com aparelho móvel. Ahh…e nem ouse fotografar o momento do voto. Vai dar muita encrenca!

Viva a DEMOCRACIA!

blog_bandeira

 

O Blog da Bárbara Fontes desde o início da campanha eleitoral tem seguido uma linha editorial a favor da democracia e incentivando os seus milhares de leitores em todo país a participar das eleições. O Brasil possui uma democracia recente, portanto, ainda estamos aprendendo e o processo eleitoral faz parte dessa aprendizagem que nos levará ao um país melhor. Não desista, não desanime com a situação atual do país. Vote com confiança neste domingo! Parabéns para todos nós!

 Para saber mais:

Vídeo explicativo sobre o e-Título:

 

TSE

Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997)

Código Eleitoral

Eleitores de Mato Grosso, acesse o site do TRE:

TRE-MT

*Gostou dessa matéria? O Blog da Bárbara Fontes é um site independente, com recursos próprios e precisa da sua ajuda. Seja um apoiador do blog! Saiba mais aqui.

Eleições 2018

Neste domingo, eleitores podem votar em dois candidatos para Senador

Nas eleições deste ano há duas vagas para Senador (em 2014 foi uma vaga). O mandato dos senadores é de oito anos, e a cada eleição ocorre alteração da composição da Câmara do Senado, em Brasília, composta de 81 senadores. Este ano, candidatos de todo país disputam 54 vagas. Eleitores podem votar em dois candidatos ou votar em apenas um, porém NÃO pode votar duas vezes no mesmo candidato. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), quem tentar votar duas vezes no mesmo candidato, o segundo voto será anulado.

O direito de votar nas eleições é uma conquista da nação brasileira, que por décadas viveu sob o regime militar e não tinha o direito de votar (e nem de se expressar livremente!).  Hoje, eleitores podem decidir nas urnas quem serão os seus representantes, afinal, quem paga os salários e benefícios dos eleitos, é a própria nação.

UrnaEletronica_TSE_1
Reprodução: TSE

Neste domingo é tudo ou nada! Faça valer o seu voto! Vote para presidente do Brasil; para governador; para deputado estadual e deputado federal; e vote também em dois senadores.

Fim da propaganda eleitoral gratuita

Segundo Tribunal Superior Eleitoral, hoje, quinta-feira, 04 de setembro, termina a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão (Lei das Eleições, artigo 47). Também é o último dia para propaganda política em reuniões públicas ou comícios e utilização de aparelhagem de sonorização fixa, entre 8h e meia noite, com exceção do comício de encerramento da campanha, que pode se estender por mais duas horas. O prazo-limite para realização de debates no rádio e na televisão também termina hoje.

Sexta-feira é o último dia para a divulgação paga na imprensa escrita, de propaganda eleitoral e para a reprodução na internet, de jornal impresso. Quem violar as regras da Lei 9.504/1997 e do Código Eleitoral está cometendo crime eleitoral.

Esclareça todas as suas dúvidas nos sites abaixo:

TSE

Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997)

Código Eleitoral

Eleitores de Mato Grosso, acesse o site do TRE:

TRE-MT

*Gostou dessa matéria? O Blog da Bárbara Fontes é um site independente, com recursos próprios e precisa da sua ajuda. Seja um apoiador do blog! Saiba mais aqui.

Votar ou não votar: eis a questão???

Dados de Institutos de Pesquisas apontam uma realidade: muitos brasileiros não querem votar.

Os números (em percentual) do IBOPE e Datafolha, por segmento, dos eleitores que afirmam votar Em branco/nulo/nenhum*:

 

IBOPE*

Publicada em 18 de setembro, a pesquisa foi encomendada pela TV Globo. Foram ouvidos 2.506 eleitores:

 

Por Gênero:

Sexo Masculino: 11%

Sexo Feminino: 17%

 

 

Por Idade:

16 a 24 anos: 13%

25 a 34 anos: 12%

35 a 44 anos: 14%

45 a 54 anos: 17%

Acima de 55 anos: 14%

 

 

Por Escolaridade:

Até a 4º série: 11%

Da 5º a 8º série: 14%

Ensino Médio: 15%

Ensino Superior: 13%

 

 

Por Renda:

Até 1 salário: 14%

Mais de 1 a 2 salários: 16%

Mais de 2 a 5 salários: 14%

Mais de 5 salários: 8%

 

 

Por região:

Norte/Centro-Oeste: 10%

Sul: 12%

Nordeste: 11%

Sudeste: 18%

*Registro no TSE: BR-09678/2018

Acesse a pesquisa Ibope aqui.

Acesse matéria do G1 aqui.

 

 

Datafolha

A pesquisa para presidente do Brasil, divulgada em 14 de setembro.  Foram ouvidos 2.820 eleitores em 197 municípios, contemplando as cinco regiões do país: Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste. A Pesquisa Datafolha foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de São Paulo.

 

Por Gênero:

Sexo Masculino: 10%

Sexo Feminino: 16%

 

Por Idade:

16 a 24 anos: 10%

25 a 34 anos: 14%

35 a 44 anos: 14%

45 a 59 anos: 13%

Acima de 60 anos: 13%

 

Por Escolaridade:

Fundamental: 14%

Médio: 14%

Superior: 11%

 

Por Renda:

Até 2 salários: 15%

Mais de 2 a 5 salários: 13%

De 5 a 10 salários: 9%

Mais de 10 salários: 8%

 

Por região:

Sudeste: 14%

Sul: 10%

Nordeste: 15%

Centro-Oeste: 11%

Norte: 13%

*Registro no TSE: protocolo nº BR-05596/2018

 

Eleitores desinteressados em Política?

Em todos os segmentos apresentados nas duas pesquisas (gênero, idade, escolaridade, renda e região), há mais  eleitores que afirmam votar em branco, em nulo ou em nenhum dos candidatos à presidência do Brasil, do que eleitores que votarão nos candidatos João Amoêdo, Henrique Meirelles, Álvaro Dias, Cabo Daciolo, Vera, Guilherme Boulos, João Goulart Filho e Eymael. O maior índice está no segmento Mulheres: 17%, segundo o Ibope, e 16%, na pesquisa Datafolha. No segmento Renda de até dois salários mínimos: 16% apontou o Ibope, e 15%, Datafolha. Segundo o Ibope, na região Sudeste o índice é de 18%; na pesquisa Datafolha, a região com maior número de eleitores que votam Em branco/nulo é o Nordeste, com 15%. Para as duas pesquisas, o nível de confiança utilizado é de 95%, considerando a margem de erro (de dois pontos percentuais para mais ou para menos). O atual cenário político, com muitos escândalos de corrupção, pode ser um grande fator de descontentamento do eleitorado.

Crise na democracia?

Bandeira_Brasil_BarbaraFontes
Crédito: Bárbara Fontes/Projeto de Poetisa

Brasil passou por décadas sob o regime militar, o voto era indireto, isto é, a população não tinha o direito de votar (e nem havia liberdade de expressão e nem a de imprensa). Após o golpe de 64, milhares de pessoas que não concordavam ver o país sob o comando dos militares foram presas e torturadas. Infelizmente, até hoje há muitas famílias que desconhecem o paradeiro de seus entes queridos (ou de seus restos mortais) que desapareceram durante a ditadura.

 

 

 

NotaEuquerovotarPresidente
Em 1983, Dante de Oliveira era deputado federal por Mato Grosso e deu início às Diretas Já por meio do projeto de emenda para eleições diretas no país. Imagem/Reprodução: http://blog-diretasja.blogspot.com

O regime democrático é instituído na segunda metade da década de 1980, após muitas lutas, passeatas e atos civis em praças de todo país. O Diretas Já foi o maior marco de cidadania da nossa história. A Constituição de 1988, garante a todos os brasileiros, a partir de 16 anos, o direito de votar em quem quiser sem sofrer censuras (e nem torturas) por parte do governo. O ato de votar é uma conquista de valor incalculável.

 

vempraurnaQuando deparamos com as pesquisas de intenções de votos que apontam altos índices de pessoas que não querem votar nessas eleições, podemos refletir se realmente valeu todo o sangue derramado para que hoje o país pudesse ter eleições diretas com a participação popular.

Votar vai muito além de  ato obrigatório de cidadania. É o momento em que cada eleitor (a) decide o destino do país. O que a maioria decidir refletirá coletivamente. Não votar porque há muita corrupção no país ou que os políticos não são dignos de confiança, abre uma brecha perigosa que pode permitir a continuidade da corrupção e da manutenção de maus políticos no poder. Não existe voto inútil.

 

Independente de quem for o presidente do Brasil, quais se tornarão senadores,  deputados federais e estaduais eleitos no pleito de 2018, caberá a cada um de nós a cobrança e a fiscalização de seus atos. Os eleitos estarão prestando um serviço público a população por um tempo determinado, e a honestidade é uma obrigação, assim como ser  um bom gestor ou legislador. A população também tem o dever de cobrar a IMPRENSA, que é o olho que tudo vê e está constitucionalmente amparada pela Lei de Imprensa. Ela pode e deve denunciar o que está errado.

 

Todo cidadão e cidadã tem o direito em não votar, porém, a situação política e econômica em que o país atravessa é lamentável, e se abster de votar é aceitar as coisas como estão. O Brasil só evoluirá e se manterá como país democrático por meio das eleições. Não votar é permitir que políticos ruins continue no poder. O voto é a melhor arma para a população.

 

Saiba mais sobre a pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Datafolha aqui.

Acesse matéria do G1 aqui.

Informações sobre as Eleições 2018 aqui.

 

Gostou dessa matéria? Faça parte dos “Amigos do Blog da Bárbara Fontes” e receba  uma foto-art de autoria de Bárbara Fontes. Saiba mais aqui.