Quem quer ser Vereador?

Está aberto o processo seletivo para candidatos a vereador nas eleições de 2020. A iniciativa é do NOVO que busca encontrar entre os seus filiados, candidatos comprometidos com os valores do partido político como a redução do número de assessores, de custo e verba dos gabinetes.

 

Segundo informações da Ícone Press, que assessora o Partido NOVO, a seletiva conta com três etapas: na primeira, os postulantes devem preencher informações sobre seus currículos; mandar um vídeo explicando o motivo de querer ser candidato, sua estratégia de campanha e propostas; além de passar por uma avaliação. Os aprovados seguem para uma segunda etapa, que consiste em uma entrevista com membros dos diretórios do partido. E na terceira etapa, deverão participar de tarefas e atividades de “Exposição e Capacitação”, evento que engloba treinamentos online e provas.

 

Os aprovados devem assinar um termo de compromisso de gestão e partidário, onde devem seguir os princípios e valores do NOVO, entre eles o cumprimento de todo o mandato (quatro anos).

 

Cuiabá, capital de Mato Grosso, está entre as 17 cidades contempladas pelo processo seletivo do NOVO, e o Blog da Bárbara Fontes conversou com o vereador Luis Claudio, do Partido Progressista (PP), e Suelme Fernandes, analista político, sobre os prós e contras de um processo seletivo no âmbito da política brasileira.

 

“Eu acho interessante a ideia do processo seletivo e é válido dentro da posição do partido, porém, na minha opinião, ela não reflete na escolha e ascensão de um líder. A liderança é algo nato, nasce com a pessoa. Mas o teste seletivo permite a ter mais qualidade dentro do Parlamento, mas não enseja numa liderança mais forte”, observa o vereador Luis Claudio, do PP, e líder do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro.

 

Não será um processo seletivo que vai determinar que uma pessoa seja melhor do que a outra, atesta apenas que uma pessoa está em melhores condições de estar num Parlamento, porém, a formação de um líder ocorre de uma forma mais natural”. (Luis Claudio, vereador por Cuiabá pelo Partido Progressista)

 

O analista político, Suelme Fernandes, também afirma que a iniciativa é válida e o partido tem o direito de escolher os seus candidatos, porém, não acredita que isso vai causar uma grande inovação no cenário político atual. “Não é uma mudança dessa que vai mudar o conceito de como se faz política nesse país”, ressalva. Também cita a Constituição Federal onde diz que “todos têm o direito de votar e ser votado”.

 

Nós passamos cerca de 70 anos, do Brasil República sem voto de analfabeto, sem o voto das mulheres e sem o voto das pessoas pobres porque havia uma visão exclusivista e elitista de política, e que dava direito somente a alguns a serem candidatos, a votarem e serem votados. E a gente conseguiu na Constituição democrática de 1988, o direto de as pessoas votarem e serem votadas, inclusive os analfabetos. Eu não entendo o porquê de agora se fazer um concurso para isso. Eu acredito que o ato político não depende de diploma ou de certificação, o caráter de uma pessoa não se mede por uma avaliação. Não dá garantia nenhuma ser atestado num processo seletivo. Na verdade, isso passa a ser um processo excludente. O que muda a postura e o compromisso de uma pessoa aos interesses públicos republicanos é o caráter, a educação e a cultura que possui. Não sei se uma prova é capaz de aferir garantias de bom caráter”. (Suelme Fernandes, Analista Político)

 

******

Publicidade

APRENDA INGLÊS de forma prática, barata e eficaz! Saiba mais AQUI.

*******

O que diz a Constituição Federal

No artigo “Os direitos políticos na Constituição Federal de 1988”, de José Liosmar dos Santos,  esses direitos concretizam a soberania popular” por meio de um “conjunto de direitos que regula a forma através da qual o povo consegue interferir no governo se caracterizando como direitos essenciais ao indivíduo”. Para o usufruto dos direitos políticos faz necessário possuir condições para votar e ser votado, e dentro das regras da Constituição e da legislação infraconstitucional. O que a Carta Magna rege:

§ 3º São condições de elegibilidade, na forma da lei:

        I –  a nacionalidade brasileira;

        II –  o pleno exercício dos direitos políticos;

        III –  o alistamento eleitoral;

        IV –  o domicílio eleitoral na circunscrição;

        V –  a filiação partidária;

        VI –  a idade mínima de:

  1.         a)  trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da República e Senador;
  2.         b)  trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal;
  3.         c)  vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de paz;
  4.         d)  dezoito anos para Vereador.

(Constituição Federal, Título II, Capítulo IV – dos Direitos Políticos, Artigo 14, parágrafo 3º)

 

O artigo 14, da Constituição Federal não obriga aos partidos políticos a realizarem processos seletivos, porém, não é ilegal um partido realizar um edital para escolher os seus candidatos.

 

 

A proposta da seletiva para candidatos a cargos políticos do NOVO, “surge diante da decepção da população brasileira com partidos e políticos”, como afirma Sérgio Antunes, líder do partido em Cuiabá.

 

 

A necessidade por uma verdadeira renovação na política se fortaleceu. Além disso, é uma forma de minimizar os riscos de termos candidatos desalinhados com os ideais da sigla”. (Sérgio Antunes, NOVO)

 

 

Processo Seletivo

Os interessados em concorrer a uma vaga para vereador devem acessar o edital do processo seletivo no site do NOVO. As inscrições têm o valor de R$ 350. Quem já foi candidato paga metade. Segundo o partido, a expectativa é de abrir o processo seletivo para a escolha dos candidatos a vereadores em cerca de 60 cidades.

 

Cidades com processos seletivos abertos:

  • Belém – PA
  • Belo Horizonte – MG
  • Campo Grande – MS
  • Cuiabá – MT
  • Curitiba – PR
  • Florianópolis – SC
  • Fortaleza – CE
  • Goiânia – GO
  • Manaus – AM
  • Natal – RN
  • Porto Alegre – RS
  • Recife – PE
  • Rio de Janeiro – RJ
  • Salvador – BA
  • São Paulo – SP
  • Teresina – PI
  • Vitória – ES

 

 

 

Saiba mais:

Processo Seletivo do NOVO, acesse AQUI.

Constituição Federal, artigo 14, acesse AQUI.

 

*Esta matéria também contém informações da assessoria do NOVO de Cuiabá, Ícone Press Assessoria de Imprensa e Agência de Conteúdo.

 

 

O BLOG DA BÁRBARA FONTES (BBF) é um site independente e se mantém por meio de recursos próprios e doações dos leitores. Saiba mais:

Campanha “AMIGOS DO BLOG”, acesse aqui e colabore

 

 

BBF nas redes sociais:

Página no Facebook, acesse AQUI.

Grupo no Facebook, acesse AQUI.

Instagram: @barbarafontes2018

LinkedLn, acesse AQUI.

Twitter: @BarbaraFontesBR

 Site do BBF: http://www.blogdabarbarafontes.com

 

 

 ATENÇÃO

As matérias, reportagens e qualquer outro conteúdo produzido possuem direitos autorais, isto é, exclusivo do Blog da Bárbara Fontes e foi pesquisada, apurada, escrita e publicada por sua editora, Bárbara Fontes. Cada pauta tem um custo e exige muito trabalho para fazer! O plágio é uma atitude covarde e que não deve ser tolerada. Portanto a autora NÃO AUTORIZA a reprodução/veiculação em outros sites, blogs e plataformas (qualquer uso na internet). Também NÃO AUTORIZA a reprodução/veiculação em veículos de comunicação (TV, emissoras de rádio e qualquer meio impresso). Plágio é crime!

Anúncios

Jornalistas Que Correm (Atualizado)

Em sua quinta edição, iniciativa esportiva reúne jornalistas em parque cuiabano neste sábado (27.07)

 

 

Pautar, apurar, investigar, entrevistar, reportar, escrever, editar e publicar, essas ações técnicas fazem parte da rotina de jornalistas em todo mundo, somado a isso, sempre há um relógio que marca os minutos finais para a entrega da matéria ou reportagem – deadline, no jargão jornalístico. Ser jornalista é uma missão gratificante, porém, muito estressante porque viver todos os dias sob o imediatismo da notícia não é uma tarefa fácil e com o tempo, a mente cansa e o corpo adoece.

 

É comum imaginar que ser jornalista é viver sem rotinas burocráticas, viajar para lugares desconhecidos, escrever muito, fumar um cigarro atrás de outro e curtir a boemia noturna com outros intelectuais e artistas. Essa imagem foi fortalecida pelo cinema hollywoodiano que também disseminou a ideia do jornalista como um curioso que se mete em confusões como os repórteres Louis Lane e Tintin, ou capaz de atos heroicos como Clark Kent, o Superman, que sai às pressas no meio do expediente do jornal Planeta Diário para salvar o mundo. A verdade nua e crua é: jornalista é um ser humano de carne e osso que trabalha muito, ganha menos do que merece e adoece com muito mais facilidade por causa da vida estressante no trabalho e, geralmente sedentária na vida privada.

 

 

Sensível à essa realidade, surgiu o “Jornalistas que Correm” (JQC), liderado pelo jornalista e escritor Paulo Vieira, 50 anos, que já participou de quatro maratonas e meias-maratonas. Desde 2013, o projeto esportivo incentiva profissionais da Comunicação Social a treinarem e competirem em corridas de rua, como a São Silvestre, a maior do Brasil. A iniciativa deu tão certo e recebeu um apoio importante: a inclusão do projeto Saber Beber, programa de consumo responsável do Grupo Petrópolis. Em todos os eventos do JQC que acontecem pelo país há um treinador que orienta os participantes antes de começarem a correr (alguns caminham) em percursos de curta e média distâncias. Depois da corrida é oferecido um café da manhã e também há cerveja bem geladinha. Ao final do evento, os participantes ganham packs de cerveja Petra.

 

 

 

Jornalistas Que Correm em Cuiabá

WhatsApp Image 2019-06-25 at 6.45.02 PM
Jornalistas na terceira edição do Jornalistas Que Correm Cuiabá, no parque Tia Nair. (Assessoria)

 

Acontece neste sábado, 27 de julho, a partir das 7h, no parque Tia Nair, a quinta edição cuiabana do JQC. Desde o final de 2018, mais de 100 jornalistas residentes em Mato Grosso participaram do projeto que incentiva a prática da corrida esportiva. O sucesso do evento na capital que recentemente completou 300 anos, se deve à proposta de mostrar ao jornalista que praticar esportes é um ótimo antídoto contra o estresse, e que a vida não é só correr atrás de furos de reportagens.

 

 

 

Dani_Pacheco_Paola
Daniele Danchura, Ronaldo Pacheco e Paola Carlini. (acervo pessoal)

“Eu vi vários amigos da área de Jornalismo, da Comunicação Social morrerem jovens por problemas de saúde porque eram sedentários, não faziam nenhum tipo de exercício, levavam a vida muito boêmia. Desde 2014 eu voltei a praticar esportes. Eu abracei o projeto como uma questão pessoal, de ativismo mesmo, de fazer com que as pessoas entenderem que não é por uma questão de estética. Lógico que praticando atividade física, o seu corpo vai mudar para melhor, mas é principalmente para a saúde. Fazer atividade física é uma questão de saúde. Vivemos numa profissão que ficamos muito sentados, hoje em dia a gente fica muito sentado, tem muito estresse, muita tensão e correr é uma forma de aliviar o estresse. Correr produz a endorfina, o seu cérebro irriga mais o sangue e trabalha melhor. Então é uma maneira de você viver melhor, qualidade de vida.” (Daniele Danchura, 41 anos, jornalista e corredora)

 

 

 

A rotina de trabalho de um jornalista é bem puxada, com horas extras e plantões. No final de semana, quando é possível, a maioria quer dormir até mais tarde, portanto, correr às sete da manhã não faz parte dos planos. Também tem a questão da preguiça ou desinteresse em praticar esportes, mesmo que todos saibam que é importante para a saúde. É aí que entra o projeto Jornalistas Que Correm ao incentivar esses profissionais acordarem mais cedo não apenas para correr, também para reencontrar amigos e colocar a conversa em dia, tomar um café da manhã delicioso, tomar uma cervejinha e ainda ganhar presentes!

 

WhatsApp Image 2019-06-27 at 8.45.31 PM
No café da manhã do JQC, Celly com Laura no colo, o marido Jonison e as colegas jornalistas. (acervo pessoal)

“Eu participei do Jornalistas Que Correm no ano passado, quando estava grávida de sete meses e eu só caminhei e me senti muito bem. Depois que a Laura nasceu teve outras edições eu continuei participando porque preciso me manter ativa, fazer alguma coisa um pouco fora do universo da maternidade e também não me sentir anulada. É importante manter contato com os colegas de profissão, rever colegas e também praticar uma atividade física. O meu corpo mudou muito depois que a Laura nasceu, depois do parto. Eu aproveito esses momentos que surgem para não ficar parada. O JQC é um incentivo porque além da prática do exercício físico, também tem a parte social de rever os colegas. Eu acho isso muito importante. Tem gente que fala que não pode ir porque não dá conta de correr, mas além de mim há outros jornalistas que também só caminham. Cada um vai de acordo com a sua limitação. (Celly, 28 anos, jornalista e escritora)

 

 

4º Edição (29/07)

 

 

 

 

Bate-papo com o Blog

O Blog da Bárbara Fontes conversou com o profissional de Educação Física, Fernando Gois, treinador de corrida de rua (FG Assessoria Esportiva), responsável pelos treinamentos do projeto Jornalistas Que Correm em Cuiabá:

 

Blog da Bárbara Fontes: Antes de iniciar a corrida, você faz um treinamento. Por quê?

Fernando Gois: Chamamos de educativos de corrida. São exercícios que visam melhorar a técnica do corredor.

 

 

BBF: No parque Tia Nair qual é o percurso da corrida?

FG: O percurso foi saindo do parque e indo em direção ao Florais Itália e voltando.

 

 

BBF: Jornalistas têm uma vida profissional estressante, como podemos incentivar esses profissionais a participarem do Jornalistas Que Correm?

FG: Com esse tipo de ação onde casa o estímulo de correr com café da manhã e companheirismo demonstra-se ser uma excelente ideia. A dica para iniciar é ir com um amigo, uma turma, procurar uma Assessoria Esportiva para que o estímulo seja maior, melhorando assim o comprometimento e disciplina.

 

JQC2_Assessoria
Fernando, em primeiro plano, com a galera do JQC Cuiabá. (Assessoria)

 

 

BBF: Professor, por que o evento Jornalistas que Correm é importante?

FG: Devido à grande adesão dos participantes, tirando muitos do sedentarismo e despertando o interesse para ser uma pessoa ativa e mais saudável.

 

BBF: Eu sempre ouço: correr libera a endorfina. O que significa isso?

FG: É um importante hormônio responsável pela sensação de bem-estar, reduzindo sintomas depressivos e ansiedade.

 

                                                          &&&&&&&&&&&&&&

 

*Foto de capa: Jornalistas que participaram da 4º edição do Jornalistas Que Correm (29.06), em Cuiabá/MT. Crédito: Ícone Press (Assessoria de Imprensa do evento)

**Matéria publicada em 27/06, e atualizada em 21/07.

 

 

Campanha “AMIGOS DO BLOG”, acesse aqui e colabore

Compras com desconto

Segue até sábado, a 13 edição do “Liquida Centro 2019” em Cuiabá

Calçados novos e descontos é uma dupla muito bem-vinda em qualquer época do ano!  De 8 até 13 de julho, 200 empresas de comércio e serviços da região central de Cuiabá (MT) oferecem descontos que vão de 20% a 70%. O Sindicato do Comércio Varejista de Calçados e Couros do Estado de Mato Grosso (Sinalco/MT) é um dos parceiros que ajudaram a viabilizar o evento. A entidade aposta que o tradicional e aguardado “Liquida Centro 2019” vai aquecer as vendas, e o clima mais frio que atinge a capital de Mato Grosso pode ser um incentivo a mais para que as pessoas saíam às compras.

Segundo o presidente do Sinalco, Junior Macagnam,

Dependendo do lojista, ele ainda poderá ter um ganho a mais nas vendas por conta das noites e inícios das manhãs com baixas temperaturas, pois têm em seu estoque roupas e calçados de frio, que devem ser bastante procuradas pelos clientes. Essa já é a 13ª edição do evento e a cada ano com mais adesão por parte dos empresários, o que faz com que os produtos fiquem com preços ainda mais atrativos para a população”.

 

Crédito foto Evelyn Leite
Crédito: Evelyn Leite

 

Se a população é a maior beneficiada com o “Liquida Centro 2019”, o setor do comércio comemora porque pode continuar a gerar emprego e renda, pagar os impostos, renovar os estoques e promover a circulação de pessoas no centro da cidade.

 

 

Nossa expectativa é vender 20% a mais que na edição anterior, pois trabalhamos com roupas infantis e adultas para o inverno e essa queda de temperatura no fim e início do dia pode ter pego alguns pais de surpresa. Outra estratégia que deve atrair clientes é a possibilidade de parcelar as compras, mesmo os produtos em promoção, poderão ser pagos em até seis vezes sem juros”

(Ademar Vidotti, sócio-proprietário da rede de lojas Moda Verão)

 

O empresário conta também que conseguiu incluir suas lojas de outras regiões de Cuiabá e Várzea Grande na promoção, segundo ele, uma forma de aumentar ainda mais as vendas e atender uma maior quantidade de clientes. “Além de conseguir levar essas promoções para as lojas de bairro, também haverá produtos com até 80% de desconto, um pouco acima do que prevê o evento”, explica.

 

13º “Liquida Centro 2019”

São parceiros do evento a o Sincalco, Fecomércio, Sindiotca, FCDL, CDL, Polícia Militar, Sesc, Senac, Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Cuiabá, Secretaria Municipal de Cultura e Câmara de Cuiabá.

 

Serviço

“Liquida Centro 2019” (com participação de 200 empresas de comércios e serviços)

Período: 08 e 13 julho (segunda a sábado)

Horário: 8h às 18h

Local: Ruas e avenidas do Centro Histórico de Cuiabá, dentre elas Av. Generoso Ponce, Getúlio Vargas, Calçadão da Galdino Pimental, da Ricardo Franco, dentre outras.

 

 

*Esta matéria do Blog da Bárbara Fontes tem informações da assessoria de imprensa Ícone Press (Luis Rodrigues)

**Foto de capa: reprodução/Sinalco